Mythological Cold Towers: música, madura e bem estruturada

Resenha - Vanished Pantheon - Mythological Cold Towers

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Natural de Osasco (SP) e na ativa desde 1994, o Mythological Cold Towers já conquistou boa parte do público com a qualidade e abrangência musical de seus registros. "The Vanished Pantheon" é seu terceiro álbum e novamente se revela uma obra um tanto quanto incomum, principalmente se comparada com o que vem sendo disponibilizado mundo afora.

Loudwire: as 10 melhores músicas do Slipknot segundo o siteFotos de Infância: Gene Simmons, do Kiss

Mantendo a tradição de seu último disco, o repertório de "The Vanished Pantheon" contém poucas músicas, mas todas de longa duração - são cinco faixas que beiram os 50 minutos - e cuja concepção lírica aborda o desaparecimento de continentes como Lemúria e Atlântida. A linha musical se aproxima do Doom, ainda que certas experimentações lhes injetem um caráter bastante épico e de uma peculiar atmosfera negra, violenta e mística.

E assim funciona a coisa toda, geralmente de forma surpreendente em cada uma das cinco composições - quando analisadas de forma individual. O 'modus operandi' do conjunto têm nos riffs distorcidos, orquestrações e intrigantes linhas vocais ásperas como a base de sua música, madura e bem estruturada. E talvez este venha a ser o ponto que venha a desagradar parte do público: esta mesma base acaba por exibir certa similaridade entre as faixas, que por sua vez gera uma audição mais longa do que deveria. Ou seja, há algumas passagens que não conseguem segurar a atenção do ouvinte.

A produção também poderia ser algo mais límpida, pois a constante faceta dramática de "The Vanished Pantheon" praticamente clama por isso. O Mythological Cold Towers tem em mãos um típico álbum que dividirá as opiniões - e isto está longe de ser algo depreciativo, pois este feito geralmente só é alcançado por quem segue seus próprios passos quando elabora um trabalho artístico - e este já é um motivo mais do que suficiente para a banda merecer muitos elogios.

Formação:
Samej - voz
Shammash - guitarra
Lord Mephyr - baixo
Flagellum - teclados
Hamon - bateria

Mythological Cold Towers - The Vanished Pantheon
(2008 / Somber Music - nacional)

01. When the Solstice Reachs The Apogee
02. Tula
03. The Shine Of Lemuryan Cataclysm
04. Ancestral Solar Emblem
05. The Vanished Pantheon

Homepage: www.mythologicalcoldtowers.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Mythological Cold Towers"


Loudwire: as 10 melhores músicas do Slipknot segundo o siteLoudwire
As 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site

Fotos de Infância: Gene Simmons, do KissFotos de Infância
Gene Simmons, do Kiss

Scorpions: a história por trás da música Wind of ChangeScorpions
A história por trás da música "Wind of Change"

Gastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musicalGastão Moreira
A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical

Black Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de IommiBlack Sabbath
O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi

Metallica: significado de Fade To Black sempre muda para HetfieldMetallica
Significado de "Fade To Black" sempre muda para Hetfield

Ozzy Osbourne: Frankie Banali diz que criou abertura de Over The MountainOzzy Osbourne
Frankie Banali diz que criou abertura de "Over The Mountain"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336