1349: Black Metal enraizado até o fundo da alma norueguesa

Resenha - Hellfire - 1349

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


1349 pode ser um nome bastante incomum para se batizar uma banda, mas não quando se trata de um grupo de Black Metal da Noruega, afinal, este foi o ano em que este país foi assolado pela peste bubônica que dizimou nada menos do que dois terços de sua população. A banda está na ativa desde 1997 e "Hellfire" é seu terceiro álbum, lançado originalmente em 2005, e que está chegando somente agora ao público brasileiro via Somber Music.

Duff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixista

Kerrang: os melhores singles já lançados

Como foi dito acima, o estilo é o Black Metal, daqueles enraizados até o fundo da alma norueguesa. Mas aos poucos o 1349 vem procurando diversificar seus arranjos, inserindo passagens levemente cadenciadas como nas espetaculares "To Rottendom" e "From The Deeps", enquanto "Sculptor Of Flesh" é claramente influenciada por Slayer e se mostra o provável destaque unânime entre as oito composições do disco. Mas nem sempre há acertos, pois sabe-se lá o real motivo, não dá para entender um resultado tão abafado aplicado justamente na longa faixa-título, com seus longos 14 minutos...

De qualquer forma, isso não ofusca o fato de este ser um bom álbum. As guitarras estão decididamente mais técnicas, mas as performances individuais que realmente chamam a atenção é a de Frost (Satyricon, Keep Of Kalessin), que literalmente pulveriza sua bateria e consegue ser muito criativo em meio a toda a velocidade das canções; e ainda a forma com que Ravn usa suas cordas vocais – não que seja tão diferente se comparado aos outros vocalistas do gênero, mas há algo especial em seu timbre que consegue segurar a atenção do ouvinte.

Ainda sobre Ravn, há por aí uma citação do próprio vocalista sobre este álbum: "... se você pode sentir o fogo do inferno enquanto ouve a nossa música, já atingimos o nosso objetivo". É claro que isso cabe aos devotos da velha escola do Black Metal norueguês e aos amantes da música extrema em geral decidir, mas as chances de alguém se queimar (no melhor dos sentidos) são grandes!

Formação:
Ravn - voz
Archaon - guitarra
Tjalve - guitarra
Seidemann - baixo
Frost - bateria

1349 – Hellfire
(2005 / Candlelight Records – 2008 / Somber Music – nacional)

01. I Am Abomination
02. Nathicana
03. Sculptor Of Flesh
04. Celestial Deconstruction
05. To Rottendom
06. From The Deeps
07. Slaves To Slaughter
08. Hellfire

Homepage: www.legion1349.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Injection: os cinco bateristas mais insanos do Black MetalMetal Injection
Os cinco bateristas mais insanos do Black Metal


Duff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixistaDuff McKagan
Anestesias não funcionam mais no baixista

Kerrang: os melhores singles já lançadosKerrang
Os melhores singles já lançados


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin