Sabbat: obra-prima finalmente no mercado brasileiro

Resenha - Dreamweaver (Reflections Of Our Yesterdays) - Sabbat

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Depois que Martin Walkyier e Andy Sneap reativaram o lendário Sabbat para abrir as apresentações do Cradle Of Filth na tour inglesa em dezembro de 2006, foi natural e muito bem-vinda a decisão de se relançar seus antigos registros, verdadeiras obras cultuadas entre os amantes do Thrash Metal. Assim, chega agora ao mercado – inclusive brasileiro – o segundo álbum da banda, "Dreamweaver (Reflections Of Our Yesterdays)", liberado originalmente em 1989.

Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Slash: "Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia compor

Considerado por muitos como a obra-prima do Sabbat, "Dreamweaver" é realmente impecável em sua proposta, do começo ao fim. Agora contando com o segundo guitarrista Simon Jones, pensou-se em cada detalhezinho essencial e o devido lugar onde o mesmo deveria estar, e o resultado é algo que fugiu totalmente dos clichês do gênero no ano de seu lançamento – lembrando que na época a imensa maioria das bandas tinha como padrão sonoridades na linha dos mestres Slayer e Metallica.

Mas, além dessa acuidade com os arranjos, outro grande trunfo destes ingleses era ter em sua formação um letrista requintado como Martin Walkyier, que se mostrou um verdadeiro mestre por trás do conceito de "Dreamweaver". A história tem como base o conto "The Way Of The Wyrd", de Brian Bates, e critica duramente – e de forma inteligente – as práticas de conversão do cristianismo exercidas sobre os ‘pagãos’ do sul da Inglaterra. Walkyier não faz uso de superficialidades por aqui, pelo contrário, temas como o amor, tolerância e liberdade espiritual são de uma poesia freqüente, e muitas vezes apresentando uma curiosa veia humorística.

"Dreamweaver" se torna praticamente um épico, onde as letras de algumas canções ultrapassam as 200 linhas (desisti de contar depois disso!!!), como, por exemplo, em "How Have The Mighty Fallen?". E é óbvio que, mesmo o disco se apresentando bastante rápido, sombrio e agressivo, em uma história desta magnitude não poderiam faltar momentos amenos como a acústica e hipnótica "Advent Of Insanity", que inclusive apresenta um violino de fundo, instrumento até então nada comum em se tratando de Thrash Metal.

Rápido, lento, ou seja lá o que vier pela frente, tem-se a garantia de que todo o fluxo possui grande capacidade de expressão, ainda que depois de praticamente duas décadas de seu lançamento. E como nessa época "Dreamweaver" lamentavelmente teve sua grandeza reconhecida apenas por parte da velha geração do Thrash Metal, então somente resta agradecer à Dynamo Records por oferecer esta obra ao público brasileiro – valendo lembrar que esta versão apresenta três faixas-bônus ao vivo, além de um encarte repleto de informações e fotos sobre o Sabbat.

Formação:
Martin Walkyier - voz
Andy Sneap - guitarra
Simon Jones - guitarra
Fraser Craske - baixo
Simon Negus – bateria

Sabbat - Dreamweaver (Reflections Of Our Yesterdays)
(1989 / Noise Records - 2008 / Dynamo Records - nacional)

01. The Beginning Of The End
02. The Clerical Conspiracy
03. Advent Of Insanity
04. Do Dark Horses Dream Of Nightmares?
05. The Best Of Enemies
06. How Have The Mighty Fallen?
07. Wildfire
08. Mythistory
09. Happy Never After
Bonus:
10. The Clerical Conspiracy (Live)
11. Do Dark Horses Dream Of Nightmares? (Live)
12. The Best Of Enemies (Live)

Homepage:
http://www.sabbat-uk.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saídaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Slash: Sweet Child é a coisa mais gay que alguém poderia comporSlash
"Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia compor


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin