Matérias Mais Lidas

Sepultura: Max Cavalera admite que copiou Black Sabbath em Roots Bloody RootsSepultura
Max Cavalera admite que copiou Black Sabbath em "Roots Bloody Roots"

Michael Sweet: um post nas redes que pode ser sobre o também cristão David EllefsonMichael Sweet
Um post nas redes que pode ser sobre o também cristão David Ellefson

João Gordo: ele comenta treta com Digão do Raimundos, que o chamou de pela sacoJoão Gordo
Ele comenta treta com Digão do Raimundos, que o chamou de "pela saco"

Rodox: quando baterista estragou show da banda após João Gordo vê-lo rezandoRodox
Quando baterista estragou show da banda após João Gordo vê-lo rezando

Iron Maiden: banda não será incluída no Rock And Roll Hall Of Fame em 2021Iron Maiden
Banda não será incluída no Rock And Roll Hall Of Fame em 2021

Raimundos: Digão revela que recebeu proposta astronômica para reunião com RodolfoRaimundos
Digão revela que recebeu proposta "astronômica" para reunião com Rodolfo

Cavalera Conspiracy: Max confessa que mentiu a Iggor sobre primeiro álbum da parceriaCavalera Conspiracy
Max confessa que mentiu a Iggor sobre primeiro álbum da parceria

KK's Priest: banda divulga música, data, capa e tracklist do primeiro álbumKK's Priest
Banda divulga música, data, capa e tracklist do primeiro álbum

Max Cavalera: como ele desistiu de detonar o Sepultura em Eye for an Eye, do SoulflyMax Cavalera
Como ele desistiu de detonar o Sepultura em "Eye for an Eye", do Soulfly

Nirvana: por que, até hoje, Dave Grohl não canta músicas da bandaNirvana
Por que, até hoje, Dave Grohl não canta músicas da banda

Iron Maiden: a reação de Steve Harris ao ouvir clássico de Bruce DickinsonIron Maiden
A reação de Steve Harris ao ouvir clássico de Bruce Dickinson

Sepultura: ideia de Refuse/Resist surgiu de uma jaqueta, conta Max CavaleraSepultura
Ideia de "Refuse/Resist" surgiu de uma jaqueta, conta Max Cavalera

Mamonas Assassinas: a história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloideMamonas Assassinas
A história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloide

Kiss: Vinnie Vincent está vendendo suas letras manuscritas por 50 mil dólaresKiss
Vinnie Vincent está vendendo suas letras manuscritas por 50 mil dólares

Edu Falaschi: Anunciadas datas de lançamento do álbum Vera Cruz e linha de produtosEdu Falaschi
Anunciadas datas de lançamento do álbum "Vera Cruz" e linha de produtos


MOPD
Arte Musical
Stamp

Breakdown: tempos matadores no álbum de estréia

Resenha - Time to Kill - Breakdown

Por Fernão Silveira
Em 07/10/08

Após 10 anos de vida e muita rodagem no cenário do thrash metal de São Paulo, a banda BREAKDOWN lança seu primeiro álbum oficial, "Time to Kill", para fincar pé na lista de bons thrashers do nosso underground.

Ao conferir a biografia da banda no site oficial do BREAKDOWN, é impossível não se ater às muitas idas e vindas do trio. O guitarrista e vocalista Leo é o fundador e o coração do grupo, que não hesitou em buscar reforços constantemente para manter a chama acesa.

E foi esta garra thrasher que levou à realização de um sonho para o BREAKDOWN: a gravação de "Time to Kill". O álbum de estréia, que traz trabalhos já registrados em demos e exibidos em muitos shows, foi gravado por Leo, Danilo (baixo) e Edu Pinho (bateria). Pois a experiência dos caras garante um resultado final satisfatório.

As influências de nomes como DEATH e KREATOR são facilmente perceptíveis. O som do BREAKDOWN é agressivo e bem construído, seguindo o check list básico para agradar aos fãs do bom e velho thrash metal.

"And The Attack Doesn't Stop" abre o álbum e mostra bem ao ouvinte o que virá ao longo das oito faixas de "Time to Kill". Na seqüência, "From Other Side" marca presença evocando lembranças do SLAYER dos (grandes) tempos de "Season in the Abyss". Outro destaque do álbum é a violenta "Mutant Personality", dotada de um riff inspirado e agressividade na medida certa.

Acima de destaques pontuais, "Time to Kill" se notabiliza – como todo bom álbum de thrash metal – pela regularidade. O disco é turbinado do começo ao fim, embalado pelo entrosamento entre vocal, guitarra, baixo e bateria. Uma prova de que as dificuldades para manter a banda estável não impediram o BREAKDOWN debutar com um bom trabalho.

BREAKDOWN – "Time to Kill"

1 - And the Attack Doesn't Stop
2 - From Other Side
3 - Misantropic World
4 - War
5 - Mutant Personality
6 - Traitor
7 - Nuclewarchild Victms
8 - Time to Kill

Gravadora: Unsilent Records

Site da banda: http://www.breakdown.com.br/

BREAKDOWN no MySpace: http://myspace.com/breakdownsp

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Edu Falaschi - Vera Cruz
Pentral
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metallica, Guns, Slipknot, Kiss: tombos, erros e fatos engraçadosMetallica, Guns, Slipknot, Kiss
Tombos, erros e fatos engraçados

Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregosHeavy Metal
Os maiores álbuns da história para os gregos


Sobre Fernão Silveira

Paulistano, são-paulino, nascido nos "loucos anos 70" (1979 ainda é década de 70, certo?) e jornalista. Sua profissão já o levou a cobrir momentos antológicos da história da humanidade, como o título paulista do São Caetano, a conquista da Copa do Brasil pelo Santo André, a visita de Paris Hilton a São Paulo e shows de bandas como Judas Priest, Whitesnake, W.A.S.P., Megadeth, Slayer, Scorpions, Slipknot, Sepultura e por aí vai. Ainda tem muito gás para o nobre ofício jornalístico, mas acha que não vai muito mais longe depois de ter entrevistado Blackie Lawless, Glenn Tipton, Rogério Ceni e, claro, Paris Hilton.

Mais matérias de Fernão Silveira no Whiplash.Net.