Cage: extremamente melódico e ainda agressivo?

Resenha - Hell Destroyer - Cage

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Daniel Miola de Amorim
Enviar correções  |  Ver Acessos


Pode uma banda ser extremamente melódica, harmoniosa, versátil, criativa e ainda soar agressiva? O Cage pode! Oriunda dos Estados Unidos, e poucos conhecidos no Brasil, a banda nasceu no auge do grunge e seu primeiro álbum foi gravado em 1995, mas nunca foi lançado.

Slayer: "Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da BarbieBlack Sabbath: Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"

Em 98 eles lançam o álbum "Unveiled" (será o mesmo de 95?), já obtendo críticas favoráveis e sendo eleitos, pela revista alemã RockHard, a melhor banda iniciante sem gravadora. O segundo álbum, "Astrology", sai em 2000 e, apesar de estar inferior ao debut, traz algumas oportunidades, e o Cage toca com Judas Priest, Dokken, Dio e Iron Maiden, além de diversos festivais. Em seu terceiro trabalho, "Darker Than Black" (2003), a banda dá mais alguns passos à frente e realmente impressiona com seu heavy/power carregado de influências de grandes bandas como Judas Priest (fase "Painkiller"), Savatage ("Hall Of The Mountain King") e Jag Panzer, mas sem deixar de ter sua própria identidade.

Até que finalmente chegamos à "Hell Destroyer", cujo conceito gira em torno do fim do mundo e a eterna batalha do Bem contra o mal, mas numa versão mais high-tech, otimamente retratada no encarte. Uma cozinha pesada, guitarras que despejam ótimos riff's e solos, somados à performance vocal avassaladora - numa mistura mais agressiva de Hob Halford e Harry Conklin (Jag Panzer) -, fizeram com que o trabalho fosse chamado de "novo Painkiller" pelos fãs do mais puro Heavy Metal. Há algumas pequenas faixas adicionais, colocadas para que o conceito fosse tratado com mais detalhes, que, acredito, enriqueceram o trabalho. De quebra, uma canção dedicada ao King Diamond, sem dúvida uma influência. De longe, "Hell Destroyer" é um dos trabalhos mais marcantes lançados entre 2007 e 2008. Ótimo!!

Formação:
Sean Robert L. Peck - vocal
Dave Garcia - guitarra
Anthony Wayne Mcginnis - guitarra
Michael Giordano - baixo
Mikey Neil - bateria

Faixas:
1. Ascension
2. Hell Destroyer
3. I Am The King
4. The Circle Of Light
5. Christhammer
6. Born In Blood
7. Abomination
8. Inauguration
9. Rise Of The Beast
10. Cremation Of Care
11. Bohemian Grove
12. Final Proclamation
13. From Death To Legend
14. Legion Of Demons
15. Betrayal
16. Fall Of The Angels
17. Fire And Metal
18. Beyond The Apocalypse
19. The Lords Of Chaos
20. Metal Devil
21. King Diamond (bônus)


Outras resenhas de Hell Destroyer - Cage

Cage: nostalgia em trabalho mais que decente




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cage"


Slayer: Raining Blood é brutal, mesmo com a bateria da BarbieSlayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"

Traduções: Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismoTraduções
Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismo

Memoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandasMemoráveis como a música
Os 25 melhores logos de bandas

Presença de Palco: dicas para iniciantesPresença de Palco
Dicas para iniciantes

Slayer: filha de Tom Araya defende o pai da acusação de homofobiaSlayer
Filha de Tom Araya defende o pai da acusação de homofobia

Megadeth: Steve Harris abriu meus olhos, diz David EllefsonMegadeth
"Steve Harris abriu meus olhos", diz David Ellefson


Sobre Daniel Miola de Amorim

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336