Motorhead: sujo, muito sujo, pesado, muito pesado

Resenha - Ace of Spades - Motorhead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Dehò
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


1980 foi um ano e tanto. "Back in Black", "Heaven and Hell", "Iron Maiden", "British Steel", "Blizzard of Ozz" e "Wheels of Steel". Com certeza um período daqueles para quem curtia comprar um bom vinil, apesar das tristes mortes de Bon Scott e John Bonham. Mas espere um momento, ainda falta algo para completar esta sucessão de clássicos absolutos do Metal. Qual? Imagine um power trio. Um daqueles que não tem medo de nada ou ninguém. O som? Sujo, muito sujo. E pesado. E direto, muito direto, sem tempo para firulas. Está fácil, vai. Além dos seis citados acima, mais um álbum nascido em 1980 marcou época como poucos: é o "Ace of Spades", do Motörhead.
472 acessosSeparados no nascimento: Mikkey Dee e Dru (Meu Malvado Favorito 3)5000 acessosHeavy Metal: as 10 introduções mais matadoras do estilo

A banda inglesa vinha crescendo, subindo a montanha-russa do sucesso e, depois de dois grandes sucessos em menos de um ano – "Overkill" e "Bomber", ambos de 1979 –, eles não apertaram o freio. Com o pé no acelerador, saíram com esta obra-prima.

"Ace of Spades" demora apenas 40 segundos para mostrar sua relevância, por meio de sua faixa-título, o definitivo clássico do Motörhead. Tudo começa no baixão distorcido do líder Lemmy Kilmister (quem nunca se pegou com esta linha de baixo na cabeça?). Entra a bateria de Phil Taylor e então o riff mais genial ainda de "Fast" Eddie Clarke. A cereja do bolo é o vozeirão rouco e rasgado de Lemmy, que dispara linhas memoráveis até chegar ao refrão: "The ace of spades, the ace of spades!". Pronto. Claro que depois ainda há mais trechos que ficam para a história:

"You know I'm born to lose, and gambling's for fools,
But that's the way I like it baby,
I don't wanna live for ever,
And don't forget the joker!"

Estava feita a magia definitiva deste trio. A banda mais suja e pesada do planeta foi capturada em sua essência. A produção assinada por Vic Maile foi excepcional neste aspecto e trouxe o Motörhead dos palcos, seu habitat, para dentro do discão. Os destaques vão correndo nestes 45 minutos de CD – que, nesta versão relançada pela Dynamo Records, ainda tem três faixas bônus, somando mais cerca de dez minutos. São composições como a acelerada "Love Me Like a Reptile", com letras sempre despachadas e inteligentes de Lemmy, "Live To Win", mais uma comandada no baixo do inglês, e a pegada Country-mas-suja, de "Dance".

Outras boas são "The Chase Is Better Than the Catch", outra com letras sensacionais e a pesadona e meio Punk "The Hammer". Além, é claro, de "(We Are) The Road Crew", um dos grandes clássicos, que homenageia os roadies, profissão anterior de Lemmy – conhecido por ter trabalhado com Jimi Hendrix. Com o vocalista disparando as letras, a base rápida e as batidas simples, mas na medida, é mais uma canção "motörheadiana" inesquecível.

Neste relançamento, são três bônus. O primeiro é "Dirty Love" um B-side que se destaca pelos solos de Eddie Clarke. As outras duas foram retiradas do EP "St. Valentine's Day Massacre", lançamento conjunto do Motörhead com as garotas do Girlschool e que atingiu inclusive o Top 5 nas paradas de singles britânicos – o disco "Ace of Spades" foi quarto colocado na Inglaterra. Deste EP, o maior destaque é "Please Don't Touch", originalmente do grupo Johnny Kidd & The Pirates, que mistura os vocais de Lemmy com os femininos de Kelly Johnson, numa levada mais Rock/Punk. Já "Emergency" traz Eddie Clark dando uma palhinha nos microfones e mostrando algum talento.

Vale notar que o encarte é muito bem feito, com fotos, textos e letras e o CD em si dourado. Realmente um disco de ouro! Tanto que deu vez a um dos ao vivos mais aclamados da cena, o "No Sleep 'Til Hammersmith", de 1981.

Depois de tanto tempo e de tanto sucesso, falar de um álbum deste nível soa até repetitivo. Mas vale muito a dica para quem não conhece muito da banda. "Ace of Spades" é obrigatório, um disco que mostra o Motörhead em sua melhor forma. Mesmo que o estilo da banda seja baseado numa fórmula bem fixa, a mistura de estilos que Lemmy e sua trupe fazem é que torna tudo tão especial e único. Imperdível, fundamental. Um item para a cabeceira de qualquer headbanger.

Formação:
Lemmy Kilmister - baixo e vocal
Eddie Clarke – guitarra e vocal em "Emergency"
Phil Taylor - bateria

Track List:
1. "Ace of Spades" – 2:49
2. "Love Me Like a Reptile" – 3:23
3. "Shoot You in the Back" – 2:39
4. "Live to Win" – 3:37
5. "Fast and Loose" – 3:23
6. "(We Are) The Road Crew" – 3:12
7. "Fire, Fire" – 2:44
8. "Jailbait" – 3:33
9. "Dance" – 2:38
10. "Bite the Bullet" – 1:38
11. "The Chase Is Better Than the Catch" – 4:18
12. "The Hammer" – 2:48
13. "Dirty Love" (bônus)
14. "Please Don't Touch" (bônus)
15. "Emergency" (bônus)

Lançamento nacional – Dynamo Records*
* Também estão sendo relançados "Iron Fist", "Overkill" e "Another Perfect Day". Posteriormente estarão disponíveis ainda "No Remorse" e "Rock 'n' Roll".

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Ace of Spades - Motorhead

3553 acessosMotorhead: É hino atrás de hino, destacá-los é covardia

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Bill WardBill Ward
Os dez discos de metal favoritos do baterista

472 acessosSeparados no nascimento: Mikkey Dee e Dru (Meu Malvado Favorito 3)729 acessosMotorhead: Roger de Souza bate papo com Gastão Moreira, do KZG1717 acessosMotorhead: biografia mostra o quão Lemmy era único1492 acessosLoudwire: em vídeo, os 10 maiores riffs de metal dos 80's474 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

Lemmy KilmisterLemmy Kilmister
O personagem de Super Mario que foi inspirado na lenda

MotorheadMotorhead
Lemmy no comercial da cerveja Kronenbourg 1664

MotorheadMotorhead
Escolhido o nome de banda mais legal pela Spin

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Motorhead"

Heavy MetalHeavy Metal
As 10 introduções mais matadoras do estilo

Top 500Top 500
As melhores músicas da história segundo a Rolling Stone

HumorHumor
Os roqueiros mais chatos das redes sociais

5000 acessosMetal Brasileiro: 10 bandas recomendáveis fora o Sepultura5000 acessosAngra e Detonator: "Sem nenhuma dúvida, esse cara comprou a mídia!"5000 acessosPlanet Rock: 40 melhores discos ao vivo de todos os tempos5000 acessosMastodon: veja fotos do casamento de Brent Hinds com brasileira5000 acessosOs diários secretos de Roger Waters5000 acessosMotorhead: Os inusitados lanches pós-show de Lemmy

Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online