RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemThe Cure: 5 bandas que o vocalista Robert Smith já declarou odiar

imagemFãs do Guns N' Roses tretam com Regis Tadeu nas suas redes sociais

imagemBruce Dickinson é confirmado como uma das atrações do Summer Breeze 2023

imagemO clássico do Rainbow que Dio considera na "mesma pegada" que "Smoke on the Water"

imagemPrika explica critérios para entrar na Nervosa: "Fascista na minha banda não toca!"

imagemOs álbuns de outros estilos musicais que Dave Mustaine indica para quem é headbanger

imagemGuns N' Roses compartilha foto incrível de show realizado em São Paulo

imagemTodos os rockstars que já recusaram ser condecorados pela rainha Elizabeth II

imagemAxl e o pequeno gesto com Slash comprovando que as tretas do passado ficaram pra trás

imagemO hit de Cazuza feito durante internação e que seria indireta para affair Ney Matogrosso

imagemQuando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

imagemBarbosa ficou em 2º em concurso de guitarrista mais sexy e perdeu para astro internacional

imagemRafinha Bastos e João Gordo debatem piada sobre Wanessa e discutem papel do humor

imagemO setlist "gordo" e vídeos do último show da turnê de 2022 do Guns N' Roses pelo Brasil

imagemO dia em que Neil Young comprou 20 mil cópias de seu próprio álbum


Stamp

Kotipelto: um vocalista sem nada a provar

Resenha - Serenity - Kotipelto

Por Maurício Dehò
Em 07/04/08

Timo Kotipelto começou muito bem sua carreira solo, lançada em 2002. Com "Waiting for the Dawn" e tendo na retaguarda nomes como Jari Kainulainen (baixo/Stratovarius), Mike Romeo (guitarra/Symphony X), Roland Grapow (guitarra/ex-Helloween) e Janne Wirman (teclado/Children of Bodom), brindou os fãs do Stratovarius com composições muito boas e um estilo próprio, até um pouco exótico. Até porque sua banda principal não lhe dava o devido espaço nas composições, com a liderança do guitarrista Timo Tolkki. Dois anos depois, com o segundo álbum, "Coldness" – Mike Romeo assumiu a maioria das guitarras outra vez -, o resultado não foi o mesmo, com composições mais fracas. Talvez um reflexo da situação com a crise e debandada do Stratovarius, que se separou após as duas partes do disco "Elements" e voltou a se unir apenas em 2005.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas 2007 já apresentava tudo resolvido. O Stratovarius lançou um álbum auto-intitulado e saiu em tour. E, no período de folga, Kotipelto resolveu arriscar mais uma vez. Como título, aparentemente escolheu a palavra que definiria o momento de paz, pós-briga no Stratovarius, "Serenity". Bem, é importante uma pausa, já que enquanto esta resenha estava sendo escrita, chegou a bomba: fim do Stratovarius. Timo Tolkki fez o anúncio e, é claro, quebrou esta aura de serenidade que parecia ter voltado ao conjunto após a retomada.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas, retornando ao disco, "Serenity" volta a apresentar Kotipelto em boa forma e com a qualidade de composições que eram esperadas do finlandês após a boa estréia. O disco traz desde o início, com "Once Upon a Time", aquele Melodicão que com certeza está deixando muitos órfãos. Curta, a faixa é no maior estilo "Hunting High And Low", com agudos, bumbos duplos, baixão acelerado e aquela tradicional estrutura de fazer o refrão final ainda mais agudo do que no restante da canção. Outra que aparece com riffs e solos de qualidade é Sleep Well, enquanto a faixa-título apresenta linhas que fogem mais desta normalidade e se destacam no álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um dos motivos que podem ser atribuídos à subida de nível de "Coldness" para este mais recente trabalho são os parceiros com quem Timo escolheu trabalhar. Kotipelto renovou com sucesso o seu line-up e escolheu para a seção instrumental Laurri Porra, seu (ex-)parceiro no Stratovarius, além de Tuomas Wainölä na guitarra, Janne Wirman no teclado e Mirka Rantanen na bateria.

Apesar de não ser um álbum em que haja inovações, Kotipelto consegue resultados diferentes ainda em Angels Will Cry, com linhas bem variadas nas seis cordas de Wainölä. Também se destaca Last Defender, que fecha o play. A faixa é a melhor do disco, com um clima mais dramático, denso e pesado, alguns trechos de violão e uma letra marcante. Vale citar o belo projeto gráfico desenvolvido.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se fosse analisar este disco com Kotipelto em carreira solo e ainda no Stratovarius, acredito que "Serenity" não representaria nenhum primor dentro do Metal Melódico, mas por si só já seria suficiente para se voltar a acreditar no talento do vocalista, já que o disco é melhor que o anterior. No entanto, a banda Kotipelto será o ganha-pão definitivo de Timo, então o quarto álbum realmente terá a função de mostrar a que o vocalista veio em seu lado como compositor, já que como vocalista ele não tem nada a provar. É esperar para ver no que dará este novo desafio.

Formação:
Timo Kotipelto - vocals
Lauri Porra - bass
Tuomas Wainölä - guitars
Janne Wirman - keys
Mirka Rantanen - drums

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track list:
1. Once upon a Time
2. Sleep Well
3. Serenity
4. City of Mysteries
5. King Anti-Midas
6. Angels Will Cry
7. After the Rain
8. Mr. Know-It-All
9. Dreams and Reality
10. Last Defender

Lançamento nacional – Hellion Records


Outras resenhas de Serenity - Kotipelto

Resenha - Serenity - Kotipelto

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

NFL Steve Harris


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metallica: a letra que fez Hammett e Hetfield chorarem

Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?


Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò.