Kotipelto: um vocalista sem nada a provar

Resenha - Serenity - Kotipelto

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Dehò
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Timo Kotipelto começou muito bem sua carreira solo, lançada em 2002. Com "Waiting for the Dawn" e tendo na retaguarda nomes como Jari Kainulainen (baixo/Stratovarius), Mike Romeo (guitarra/Symphony X), Roland Grapow (guitarra/ex-Helloween) e Janne Wirman (teclado/Children of Bodom), brindou os fãs do Stratovarius com composições muito boas e um estilo próprio, até um pouco exótico. Até porque sua banda principal não lhe dava o devido espaço nas composições, com a liderança do guitarrista Timo Tolkki. Dois anos depois, com o segundo álbum, "Coldness" – Mike Romeo assumiu a maioria das guitarras outra vez -, o resultado não foi o mesmo, com composições mais fracas. Talvez um reflexo da situação com a crise e debandada do Stratovarius, que se separou após as duas partes do disco "Elements" e voltou a se unir apenas em 2005.
5000 acessosGuitarristas: os sete mais influentes de todos os tempos5000 acessosAs regras da NWOBHM

Mas 2007 já apresentava tudo resolvido. O Stratovarius lançou um álbum auto-intitulado e saiu em tour. E, no período de folga, Kotipelto resolveu arriscar mais uma vez. Como título, aparentemente escolheu a palavra que definiria o momento de paz, pós-briga no Stratovarius, "Serenity". Bem, é importante uma pausa, já que enquanto esta resenha estava sendo escrita, chegou a bomba: fim do Stratovarius. Timo Tolkki fez o anúncio e, é claro, quebrou esta aura de serenidade que parecia ter voltado ao conjunto após a retomada.

Mas, retornando ao disco, "Serenity" volta a apresentar Kotipelto em boa forma e com a qualidade de composições que eram esperadas do finlandês após a boa estréia. O disco traz desde o início, com "Once Upon a Time", aquele Melodicão que com certeza está deixando muitos órfãos. Curta, a faixa é no maior estilo "Hunting High And Low", com agudos, bumbos duplos, baixão acelerado e aquela tradicional estrutura de fazer o refrão final ainda mais agudo do que no restante da canção. Outra que aparece com riffs e solos de qualidade é Sleep Well, enquanto a faixa-título apresenta linhas que fogem mais desta normalidade e se destacam no álbum.

Um dos motivos que podem ser atribuídos à subida de nível de "Coldness" para este mais recente trabalho são os parceiros com quem Timo escolheu trabalhar. Kotipelto renovou com sucesso o seu line-up e escolheu para a seção instrumental Laurri Porra, seu (ex-)parceiro no Stratovarius, além de Tuomas Wainölä na guitarra, Janne Wirman no teclado e Mirka Rantanen na bateria.

Apesar de não ser um álbum em que haja inovações, Kotipelto consegue resultados diferentes ainda em Angels Will Cry, com linhas bem variadas nas seis cordas de Wainölä. Também se destaca Last Defender, que fecha o play. A faixa é a melhor do disco, com um clima mais dramático, denso e pesado, alguns trechos de violão e uma letra marcante. Vale citar o belo projeto gráfico desenvolvido.

Se fosse analisar este disco com Kotipelto em carreira solo e ainda no Stratovarius, acredito que "Serenity" não representaria nenhum primor dentro do Metal Melódico, mas por si só já seria suficiente para se voltar a acreditar no talento do vocalista, já que o disco é melhor que o anterior. No entanto, a banda Kotipelto será o ganha-pão definitivo de Timo, então o quarto álbum realmente terá a função de mostrar a que o vocalista veio em seu lado como compositor, já que como vocalista ele não tem nada a provar. É esperar para ver no que dará este novo desafio.

Formação:
Timo Kotipelto - vocals
Lauri Porra - bass
Tuomas Wainölä - guitars
Janne Wirman - keys
Mirka Rantanen - drums

Track list:
1. Once upon a Time
2. Sleep Well
3. Serenity
4. City of Mysteries
5. King Anti-Midas
6. Angels Will Cry
7. After the Rain
8. Mr. Know-It-All
9. Dreams and Reality
10. Last Defender

Lançamento nacional – Hellion Records

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Serenity - Kotipelto

3740 acessosKotipelto: incômodo sentimento de dejà-vú presente1467 acessosTradução - Serenity - Kotipelto

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kotipelto"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Kotipelto"

GuitarristasGuitarristas
Os sete mais influentes de todos os tempos

HumorHumor
As 101 regras para ser um fã da NWOBHM

MetalheadMetalhead
As mulheres mais sexys do Heavy Metal

5000 acessosSexo e rock n' roll: banda grava e vende pornô para bancar despesas5000 acessosShaman: baixista desabafa sobre cena brasileira5000 acessosNicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester5000 acessosGrunge: Restou apenas um herói5000 acessosBilly Corgan: Weiland, Staley e Cobain, as vozes de nossa geração5000 acessosCannibal Corpse: Saiba como é dentro de um circle pit

Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online