Serj Tankian: além do System Of A Down

Resenha - Elect The Dead - Serj Tankian

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago El Cid Cardim
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Quem acompanha meus textos há algum tempo sabe que considero o System of a Down uma banda inclassificável. Chamá-los de “new metal” (ou nu metal, whatever) é de uma injustiça sem tamanho, porque isso é muito pouco para caracterizar a insana mistura de guitarras thrash, batuques tribais, música folk, sonoridades étnicas, elementos eletrônicos e industriais, letras de forte cunho político-social - além, é claro, dos vocais únicos de Serj Tankian, cujo timbre e interpretação característicos funcionam como um apimentado tempero especial. Depois que o SOAD anunciou uma “pausa” (que soa mais como o fim definitivo da banda, mas tudo bem), o engajado Serj não parou. Continuou escrevendo suas poesias, continuou o trabalho na ONG Axis of Justice ao lado de Tom Morello (Rage Against The Machine)... e lançou seu primeiro disco-solo. “Elect The Dead” soa como System of a Down? Sim. Mas Serj vai um pouco mais além, carregando o legado com dignidade mas com a coragem de continuar ousando.
5000 acessosBlend Guitar: os dez solos de guitarra mais fáceis da história5000 acessosMetal Extremo: algumas bandas que você precisa ouvir

O primeiro single, “Empty Walls“, abre a bolacha dando a dica de parte do que o ouvinte vai encontrar pela frente – uma canção com ecos fortes do System of a Down, mas com uma diferença considerável: as guitarras. Como foi o próprio Tankian quem executou as seis cordas, é nitída a diferença entre o seu estilo roqueiro, porém mais melódico, e as porradarias sujas de seu antigo colega de banda, Daron Malakian. Nada disso, no entanto, tira o peso desta faixa ou mesmo de similares como “The Unthinking Majority“ (que deixa claro e sem rodeios que uma sociedade entorpecida por anti-depressivos não consegue enxergar a verdade), “Betthoveen’s Cunt“ ou o então do refrão de “Money“, que se transforma em pura violência.

No entanto, Serj acerta de verdade quando usa seu estilo quase messiânico de cantar de maneira mais sutil, o que acaba ampliando a contundência de sua performance e, por conseqüência, a força das letras do sujeito. Na pungente e quase épica “Saving Us“, o cantor deixa os gritos de lado para adotar um jeito introspectivo e quase sussurado de cantar. Junte a isso um riff de guitarra totalmente envolvente e você tem uma daquelas canções que tocam você lá no fundo, de maneira certeira. A mesma sensação arrepiante fica presente em “Sky is Over“, que soa como continuação direta de “Saving Us“ – ou mesmo no refrão de “Feed Us“, ao qual o vocalista se entrega sem reservas enquanto canta “you cheat us when you feed us with the lie / stars look out“.

Com um título absolutamente sintomático, “Praise The Lord And Pass The Amunition“ tem ares de canção religiosa, como que numa celebração às avessas que fala diretamente a respeito dos conflitos religiosos que explodem milhares de inocentes em nome de um “Deus“ batizado de diferentes formas. E os elementos típicos de sua herança armênia estão cada vez mais visíveis e extrapolados em “Lie Lie Lie“, que acaba sendo uma canção esquisita, é verdade, mas cheia de personalidade e desta mesma dose de intensidade e emoção que permeiam os melhores momentos deste trabalho.

Ao final, Serj Tankian encerra com a breve faixa-título, “Elect The Dead“, cantando solitário com um quê de tristeza e melancolia ao piano. Apresentando uma delicadeza penetrante, ele mostra que sua força vem do coração, não dos pulmões. E também que ainda tem muita lenha para queimar, ajudando a aplacar (ainda que temporariamente) as saudades dos fanáticos pelo SOAD.

Participações:
John Dolmayan (System of a Down) – Bateria
Brian “Brain” Mantia (Primus, Guns ‘n’ Roses) – Bateria
Dan Monti – Guitarra/Baixo
Andi Maldijian - Vocal

Tracklist:
1. Empty Walls
2. The Unthinking Majority
3. Money
4. Feed Us
5. Saving Us
6. Sky Is Over
7. Baby
8. Honking Antelope
9. Lie Lie Lie
10. Praise the Lord And Pass the Ammunition
11. Beethoven's Cunt
12. Elect the Dead

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Blend GuitarBlend Guitar
Os dez solos de guitarra mais fáceis da história

421 acessosSystem of a Down: a evolução de "Chop Suey!" entre 2001 e 2017989 acessosSystem of a Down: as mudanças de "Toxicity" entre 2001 a 20171037 acessosSystem of a Down: a evolução da banda ao vivo de 1997 a 2017785 acessosSystem of a Down: resumo da discografia no Disco Voador Rocks0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "System Of a Down"

System of a DownSystem of a Down
"A maior banda do planeta é o Iron Maiden"

System of a DownSystem of a Down
E se o Padre Marcelo cantasse Chop Suey?

System Of A DilmaSystem Of A Dilma
Mashup de Chop Suey e discurso da presidente

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Serj Tankian"0 acessosTodas as matérias sobre "System Of a Down"

Metal ExtremoMetal Extremo
Algumas bandas que você precisa ouvir!

Simone SimonsSimone Simons
"Rammstein me faz querer mexer a bunda"

A História Impopular dos Rolling StonesA História Impopular dos Rolling Stones
Livro 2 - Mick Taylor

5000 acessosOut: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista5000 acessosSlipknot: 12 histórias que retratam o quão insana a banda é5000 acessosElvis Presley: A filmografia do Rei do Rock5000 acessosSlayer: banda presenteia fã para que ele não venda seu carro5000 acessosDJ Ashba: "Eu não estou tentando imitar Slash de jeito nenhum"5000 acessosKirk Hammett fala sobre suas memórias de Paul Baloff

Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre Thiago El Cid Cardim

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online