Matérias Mais Lidas

Scorpions: a reação de Klaus Meine ao ouvir versões forró para músicas da bandaScorpions
A reação de Klaus Meine ao ouvir versões forró para músicas da banda

Jimmy Page: quando o guitarrista arregou para Pepeu Gomes em canja no BrasilJimmy Page
Quando o guitarrista arregou para Pepeu Gomes em canja no Brasil

Supertramp: A bizarra coincidência entre o 11 de setembro e o álbum de 1979 da bandaSupertramp
A bizarra coincidência entre o 11 de setembro e o álbum de 1979 da banda

Dream Theater: Ganhar dinheiro com música é muito difícil, aconselha Jordan RudessDream Theater
"Ganhar dinheiro com música é muito difícil", aconselha Jordan Rudess

Roger Waters: pedindo junto de vários artistas que EUA não faça acordos com BolsonaroRoger Waters
Pedindo junto de vários artistas que EUA não faça acordos com Bolsonaro

Dee Snider: vocalista ri de Ted Nugent, que testou positivo para a Covid-19Dee Snider
Vocalista ri de Ted Nugent, que testou positivo para a Covid-19

Cannibal Corpse: vocalista não entende interesse dos internautas por seu largo pescoçoCannibal Corpse
Vocalista não entende interesse dos internautas por seu largo pescoço

Amazon: seleção de CDs, vinis e livros de rock e metal com até 70% de descontoAmazon
Seleção de CDs, vinis e livros de rock e metal com até 70% de desconto

Rodrigo Flausino: O iron Maiden precisa mesmo de três guitarristas? (vídeo)Rodrigo Flausino
O iron Maiden precisa mesmo de três guitarristas? (vídeo)

Cannibal Corpse: George Corpsegrinder é eficiente em caçar ursos... de pelúciaCannibal Corpse
George "Corpsegrinder" é eficiente em caçar ursos... de pelúcia

Lista: 20 músicas de bandas de rock e metal que valem por um álbum inteiro - Parte 3Lista
20 músicas de bandas de rock e metal que valem por um álbum inteiro - Parte 3

Napalm Death: após dizer o sim no altar, casal dança ao som de You SufferNapalm Death
Após dizer o sim no altar, casal "dança" ao som de "You Suffer"

Iron Maiden: eles são iniciados nos conhecimentos ocultos, explica atorIron Maiden
Eles são iniciados nos conhecimentos ocultos, explica ator

Accept: livro Metal Heart: A História do Accept já disponível para pré-vendaAccept
Livro "Metal Heart: A História do Accept" já disponível para pré-venda

Pitty: cantora publica foto nua na internet e bate recorde de curtidasPitty
Cantora publica foto nua na internet e bate recorde de curtidas


Gorefest: novos bons ares à carreira do grupo

Resenha - Rise To Ruin - Gorefest

Por Ricardo Santos
Em 04/03/08

Nota: 9

Formado em 1989, na cidade de Goes, na Holanda, o Gorefest lançou cinco álbuns de estúdio, de 1991 a 1998, ano em que decidiram se separar, para seguirem seus projetos pessoais, após dois álbuns muito criticados, que apostavam mais no Death´n Roll (como o nome diz, uma mistura de Death Metal com o Rock And Roll dos anos setenta, algo parecido com o que o Entombed fez com seu "Wolverine Blues" e o Carcass com seu "Swansong"). Após sete anos separados, reatam laços musicais em 2005, e no mesmo ano soltam o bem sucedido "La Muerte". E, após dois anos de "La Muerte", lançam "Rise To Ruin", confirmando esses novos bons ares à carreira do grupo.

Mesmo não sendo tão conhecido no Brasil, o Gorefest lançou "Rise To Ruin" via Nuclear Blast / Laser Company / Rock Brigade nas terras tupiniquins. E os caras aparentam ter injetado sangue novo nas veias. Eles apostaram num som pesado e claramente influenciado pelo Death Metal escandinavo do fim dos anos 80 e início dos 90. Logo, fizeram um álbum sem frescuras, com uma sonoridade cortante, que só confirma a ótima fase criativa da banda.

A trupe liderada por Jan-Chris de Koijer (baixo e vocal) estava a fim de gravar um discão, bem produzido, com tudo aquilo que qualquer deathbanger espera, ou seja, feeling, riffs estupendos, bateria massacrante (sem tantos blasting-beats, mas ainda massacrante), etc. Os companheiros de Koijer no Gorefest são os guitarristas Boudewijn Bonebakker (nomezinho difícil este, hein?), Frank Harthoorn e o baterista Ed Warby. Deve-se citar o entrosamento deste time, que também produziu o álbum. É ótimo saber que cada vez mais as bandas estão tomando as rédeas da produção e não fazendo feio, e o Gorefest só é mais um exemplo. E a arte do encarte também merece meus elogios (a capa é demais).

Agora, vamos ao que realmente importa. Com tantos destaques, as canções não poderiam fazer feio, não é? Graças a Thor, não fazem feio mesmo. "Revolt" (com a participação do ex-Hatesphere Jacob Bredhal, presente também na "Speak When Spoken To") já faz o ouvinte entrar no clima do álbum, e avisa que o disco seguirá sem pedir licença, com riffs atrás de riffs da incrível dupla de guitarristas. E toda esta fórmula percorre as nove canções (onze na versão digipack). Vale citar que não é um disco de músicas curtas, sendo que a mais breve, "The War On Stupidity" dura quatro minutos e treze segundos, o que já não é pouca coisa. Tudo isto desemboca em alguns épicos, como "Babylons Whore´s" e seus nove estonteantes minutos de variações, riffs maravilhoso, peso, guturais (ótimos por sinal, parabéns ao Koijer)etc, etc, que fazem uma espécie de resumão do álbum. Portanto, temos aqui nove músicas muito bem distribuídas em cinqüenta minutos, que não me cansaram nem um pouco e não cansarão quem ouvir isto aqui também.

Enfim, o segundo disco da nova fase do Gorefest confirma que os caras ainda têm muita lenha pra queimar, e que ainda poderão gravar mais ótimos discos. "Rise to Ruin" é uma ótima pedida para que você conheça os outros álbuns do Gorefest gravados na década de noventa, como "Mindloss" e "False". Enfim, paulada no ouvido, simplesmente um discaço.

Gorefest - "Rise To Ruin"
(Nuclear Blast - nacional)

01. Revolt
02. Rise to Ruin
03. The War on Stupidity
04. A Question of Terror
05. Babylon's Whores
06. Speak When Spoken To
07. A Grim Charade
08. Murder Brigade
09. The End of It All


Outras resenhas de Rise To Ruin - Gorefest

Gorefest: tradição do Death Metal com aditivos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

💬 Ler e postar comentários