Bywar: para os saudosos do Thrash Metal anos 80

Resenha - Twelve Devil's Graveyards - Bywar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Dehò
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Vindo do ABC paulista, mais precisamente São Caetano do Sul, há uma década, o Bywar já conseguiu mostrar potencial no cenário Thrash paulistano e brasileiro, após os álbuns “Invincible War” (2002) e “Heretic Signs” (2005). Desta vez, eles voltam a mostrar as caras com o terceiro disco, intitulado “Twelve Devil’s Graveyards”, que diz respeito, segundo a banda, a doze pontos do planeta onde fenômenos extraordinários ocorrem sem explicações, por exemplo, o Triângulo das Bermudas.
5000 acessosManowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted Sister5000 acessosTotal Guitar: os melhores e piores covers da história

Enfim, o play é uma notícia mais do que boa para os saudosos do Thrash Metal dos anos 80, pois é isso o que a banda apresenta mais uma vez, e com muita qualidade. A sonoridade – e até o visual, nas vestimentas – é bem oldschool, com faixas regadas a excelentes riffs de Renan Roveran e Adriano Perfetto, este último esbanjando fúria em seus vocais, e as batidas velozes de Enrico Ozio, acompanhado sempre de perto pelo baixista Hélio Patrizzi.

As comparações com bandas como Kreator, mas principalmente o Destruction, por causa da agressiva e aguda voz de Perfetto, não podem ser ignoradas, mas isso não é, de forma alguma, um defeito no som do Bywar. A parte instrumental é muito bem executada e tem personalidade, como na pesada “Violence Greed”, com trechos realmente matadores. Outra faixa muito boa é “Stranded in the Dark Zone”, que abre bem o CD, à la Destruction e com linhas vocais bastante criativas, além do refrão bradado por um “coro”. Difícil manter a cabeça parada! Vale ouvir também “Hellbotic Sentence”, que parece sair de um vinilzão das antigas.

O disco todo mantém a mesma linha, com letras igualmente violentas, e fica difícil destacar mais faixas. Vale salientar o trabalho da dupla de guitarras, que manda muito não só nas bases, mas também nos solos, como é o caso de “Graveyard (Final Demise)”, que fecha o disco com chave de ouro.

Resta pouco a dizer. Fãs de Thrash, o Bywar é obrigatório em qualquer coleção, trazendo de volta um pouco daquele espírito do estilo antigamente. Que sigam assim por várias décadas!

Gravadora: Kill Again Records

Formação:
Adriano Perfetto – guitarra e vocal
Renan Roveran - guitarra
Hélio Patrizzi - baixo
Enrico Ozio - bateria

Track list:
01. The Passage (Intro)
02. Stranded in Dark Zone
03. Face the Impaler
04. Violent Greed
05. Hellbotic Sentence
06. Debt of War
07. The Unconscious
08. Way of Agony
09. Monotheistic Slander
10. Past... Present... Annihilation
11. Blackened Voyage
12. Graveyard (The Final demise)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Bywar"

Thrash MetalThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bywar"

ManowarManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister

Total GuitarTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história

Capas de álbunsCapas de álbuns
As mais obscuras e marcantes da história

5000 acessosA Vida Pós-bilau: vocalista do Life of Agony abre o jogo5000 acessosEm 03/02/1959: Buddy Holly, Ritchie Valens e Big Bopper morrem em acidente aéreo5000 acessosSimplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundo5000 acessosOzzy Osbourne: cruz feita com restos do World Trade Center5000 acessosTatuagens: Você vai se arrepender delas quando ficar velho?5000 acessosMusas: o calendário de beldades da Revolver Magazine

Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online