Radiohead: resgate de show anterior a "The Bends"

Resenha - Astoria London Live 27/05/94 - Radiohead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas, Fonte: Radiohead - Site Oficial
Enviar Correções  

8


Lançado em 2005, "The Astoria London Live" é uma viagem no tempo. Gravado, como o nome já diz, no famoso Astoria, em Londres, em 1994 (treze anos atrás), a banda ainda estava há alguns meses do lançamento do clássico "The Bends", que iria provar a qualidade de Thom Yorke & Cia e catapultá-los para o sucesso internacional.

Fear Factory: o dia que a banda mandou um belo "fuck you" para o Radiohead

Heavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capas

O show ainda era da turnê do debut "Pablo Honey" e a banda já mostrava que não era apenas mais uma dentro do cenário da música inglesa da época – mesmo que sua divulgação inicial tenha se dado ao sucesso do single "Creep".

Na ocasião, músicas do primeiro CD foram intercaladas com as "novas" (e introduzidas como "new songs" por Thom Yorke) "Bones", "Black Star", "The Bends", "My Iron Lung", "Fake Plastic Trees", "Just" e "Street Spirit (Fade Out)" – ainda não lançadas na época – e os b-sides "Maquiladora" e "Pop Is Dead". O som está excelente, com a guitarra de Greenwood bem destacada e todos os instrumentos bem equalizados, a edição é boa e a imagem é bastante satisfatória.

A energia dos cinco ao vivo é arrebatadora. Desde o ínicio com "You", enquanto a cozinha de Colin Greenwood (baixo) e Phil Selway (bateria) parece em transe, Jonny Greenwood (enlouquecido – sempre um dos maiores destaques - guitarra), Ed O’Brien (guitarra) e Thom Yorke (voz e guitarra) empolgam o público e mostram total controle das suas performances individuais, dominando o palco como poucos.

As músicas da fase "Pablo Honey" têm boas versões ao vivo e conseguem ser melhores que as originais – incluindo aí "Creep", no auge de seu sucesso, com a platéia cantando junto (vale ainda mais o registro se pensarmos que o Radiohead não toca mais a música ao vivo há anos). Mas são mesmo as faixas do vindouro (na época) "The Bends" que fazem a diferença. Impossível não se emocionar com as lindas interpretações de "Black Star", "Fake Plastic Trees" ou "My Iron Lung" ou se empolgar com "Just" e "The Bends". É interessante notar a resposta do público para as músicas que provavelmente eles ouviram pela primeira vez e que iriam em pouco tempo se tornar hinos da banda. Logicamente Thom Yorke tem papel fundamental no resultado final, com sua presença hipnotizante (e na época ainda mais "afetada" que o normal) e seus trejeitos no mínimo estranhos.

"The Astoria London Live" pode não ser o DVD dos sonhos pedido pelos fãs do Radiohead principalmente a partir da obra-prima "Ok Computer", mas até o momento é o único show oficial da banda lançado nesse formato - dos outros dois DVDs, "7 Television Commercials" e "Meeting People Is Easy", o primeiro era apenas de clipes e o segundo, um documentário – fazendo deste um registro obrigatório para todos que gostam do grupo.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Fear Factory: o dia que a banda mandou um belo fuck you para o RadioheadFear Factory
O dia que a banda mandou um belo "fuck you" para o Radiohead

Metallica: baterista comenta sobre outros artistas durante a quarentenaMetallica
Baterista comenta sobre outros artistas durante a quarentena


Anos 90: em vídeo, 10 músicas de Rock que marcaram a décadaAnos 90
Em vídeo, 10 músicas de Rock que marcaram a década

Radiohead: nome da banda veio de música do Chico Buarque?Radiohead
Nome da banda veio de música do Chico Buarque?


Heavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capasHeavy Metal
O Diabo e personagens bíblicas nas capas

Olavo de Carvalho: Segundo ele, o Heavy Metal emburreceOlavo de Carvalho
Segundo ele, o Heavy Metal emburrece


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin