Resenha - Almah - Edu Falaschi

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Assumir a voz de alguma banda que já possui certo reconhecimento não é tarefa das mais fáceis, então dá para imaginar a pressão que Edu Falaschi vem sofrendo desde que está no posto de vocalista daquele que é considerado o conjunto de Heavy Metal melódico mais bem sucedido do Brasil.

É natural que a posição do Edu no Angra divida as opiniões e gere o já conhecido sentimento de amor/ódio. Quer se admita ou não, esta situação provoca a necessidade de se provar algo a si mesmo e principalmente, aos seus detratores. Este fato, aliado ao desejo de fazer algo diferente, resultou no primeiro álbum-solo de Edu Falaschi, o projeto Almah, que traz músicos já bem conhecidos no cenário internacional, sendo Emppu Vuorinen (guitarra - Nightwish), Lauri Porra (baixo - Stratovarius) e Casey Grillo (bateria - Kamelot).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mesmo com a presença de arranjos de cordas (vários com a participação dos irmãos Busic, do Dr Sin), vozes femininas e outros elementos que tendem a fornecer certa pompa às canções, o fato é que o Almah acaba por soar de forma bastante simples. Mas este não é um fator negativo, pelo contrário, este é um registro que agrada pelo bom gosto adotado dentro de sua simplicidade. Se por um lado nada aqui soa realmente novo – e duvido que a idéia fosse esta – por outro, há suficientes doses de sentimentos e boas melodias.

Individualmente merece destaque o próprio Falaschi, que além de fazer um bom trabalho nas vozes – os refrãos estão excelentes – cuidou de toda a produção, e o resultado final ficou totalmente satisfatório; e também merece citação o desempenho de Casey Grillo, há várias passagens de bateria louváveis por todo o disco. Quanto às canções, há para os mais variados gostos: momentos metálicos em "King", que está sendo bem recebida por todos pelo fato de Falaschi cantar de forma mais agressiva em relação ao Angra, e outra que causa ótima impressão é "Scary Zone" com uma percussão muito bem encaixada e uma das melhores faixas do álbum.

publicidade

A vontade de fazer algo de fácil assimilação resultou em "Children Of Lies", com suas linhas vocais pegajosas que provavelmente terão ótima recepção quando executada ao vivo, e ainda boas baladas como "Forgotten Land", uma das faixas que traz solos de guitarras de Edu Ardanuy, do já citado Dr Sin. A patir da segunda metade do álbum, as canções seguem uma linha bem mais acessível e até mesmo quase pop, como "Box Of Illusion" e a própria "Almah".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em suma, um disco muito descontraído, com participação especial de vários músicos e que agradará a muita gente por aí. Mas a velha história com certeza se perpetuará: Falaschi não será unanimidade, será julgado levianamente pelo público e continuará sendo alvo de piadinhas. Mas no fundo isso não significa grande coisa, pois se estas canções resistirem ao teste do tempo, daqui a alguns anos muitos de seus críticos poderão até mesmo mudar de opinião. Sempre foi assim...

Edu Falachi – Almah
(2006 / Rock Brigade Records – nacional)

01. King
02. Take Back Your Spell
03. Forgotten Land
04. Scary Zone
05. Children Of Lies
06. Break All The Welds
07. Golden Empire
08. Primitive Chaos
09. Breathe
10. Box Of Illusion
11. Almah

Homepage: www.almah.com.br


Outras resenhas de Almah - Edu Falaschi

Resenha - Almah - Edu Falaschi

Resenha - Almah - Edu Falaschi




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Varg Vikernes: ele diz odiar o Brasil e cita brasileiros como inferioresVarg Vikernes
Ele diz odiar o Brasil e cita brasileiros como "inferiores"

Axl Rose: como ele pegava todas as garotas que Slash conquistavaAxl Rose
Como ele pegava todas as garotas que Slash conquistava


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Cli336 CliHo WhiFin Cli336 CliIL