Resenha - Nether Hell - Scars

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Scars fez um baita trabalho de divulgação nos meses que antecederam o lançamento deste EP. Abriram os shows da turnê brasileira do Anthrax e estiveram o tempo todo na mídia. Bom constatar que a música faz jus à publicidade.
5000 acessosMeet & Greet: Como os roqueiros de verdade se comportam5000 acessosPink Floyd: a história por trás de "Animals"

Posso dizer que eles são a banda mais 'old-school' de todas as agremiações que estão contribuindo para o renascimento do thrash metal mundial (na verdade já renascido, forte e influente). Ou seja, suas referências são todas pré-1990. O máximo de “moderno” que você vai encontrar aqui é a qualidade da produção. Natural e necessária. Mais alguns toques death e black aqui e acolá.

As influências são as melhores possíveis e a parte de criação / execução idem. Riffs verdadeiramente empolgantes como os da faixa título – seis minutos e meio numa variação impressionante de vocais, climas, velocidade e fraseados – até o thrash impiedoso de “Warfare”. Assim como “Creatures That Come Alive In The Dark”, um belo cartão de visitas, com a graça de um soco no estômago.

Afora as músicas, é impossível deixar de destacar a parte gráfica. Tendo como base “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri, o trabalho artístico é primoroso, de qualidade raríssima. Inteligentemente eles não se prendem a um único ritmo, mas sabem variar os tempos e as harmonias, vide “Legions (Forgotten By The Gods)”. Zeraib e Boccomino nos lembram as melhores atuações de Eric Peterson e Alex Skolnick, com as devidas proporções, claro. No entanto, quem surpreende mesmo é Fabrício Ravelli, baterista do Harppia, convidado neste álbum. Veja o que o cara faz em “Hidden Roots Of Evil”, coisa de quem sabe soar do jeito certo.

Banda veterana. Som calcado na velha escola. Letras baseadas num livro da Idade Média. O Scars saúda o novo milênio sem esquecer do que de melhor foi feito ao longo da história. Alguma objeção?

Formação:
Régis F. (Vocal)
Alex Zeraib (Guitarra)
Edu Boccomino (Guitarra)
André Sterzza (Baixo)
Fabrício Ravelli (Bateria – Convidado)

Site Oficial: www.scars.com.br

Hellion Records – 2005.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Nether Hell - Scars

2547 acessosResenha - Nether Hell - Scars

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Scars"

Edu FalaschiEdu Falaschi
Os dez vocalistas brasileiros preferidos dele

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Scars"

Meet & GreetMeet & Greet
Como os roqueiros de verdade se comportam

Pink FloydPink Floyd
A história por trás do clássico "Animals"

Punk RockPunk Rock
Site lista os discos mais representativos da história do estilo

5000 acessosProstitutas: As mais famosas e devassas do cenário Rock - Parte 15000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"5000 acessosChris Cornell: jornalista foi a último show e percebeu algo errado5000 acessosDave Mustaine: ele peitou Phil Anselmo pra proteger Nick Menza5000 acessosMax Cavalera: as drogas e desatinos do período com o Sepultura5000 acessosRegis Tadeu: ninguém é tão retardado para desprezar o "Master"

Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online