Matérias Mais Lidas

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemJoão Gordo diz que não torce pela seleção brasileira de futebol

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemNovo clipe do Megadeth foi filmado no litoral de São Paulo, veja fotos

imagemCinco nomes do heavy metal que já gravaram músicas do ABBA

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemAvenged Sevenfold e o álbum do Guns N' Roses que deveria ser mais valorizado

imagemMike Portnoy e a música do Rush que virou um grande sucesso do Guns N' Roses

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth

imagemCuecão de couro: Rob Halford posa com suas "great balls of fire" em camarim

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais


Stamp

Resenha - Indecente, Imoral e Sem Vergonha - Faichecleres

Por Fernando De Santis
Em 11/11/05

Nota: 8

Um dos álbuns que eu mais esperava no ano de 2005 era o disco "Indecente, Imoral & Sem Vergonha" da banda curitibana Faichecleres. Já os vi tocando várias vezes em Curitiba em minhas visitas por lá, e já os acompanhei algumas vezes também em São Paulo. E depois de vê-los tantas vezes, fiquei nessa expectativa de ver como soaria o primeiro trabalho desse trio, formado por Tuba (bateria), Giovanni (baixo e vocal) e Marcos (guitarra).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Contando com 14 faixas, o primeiro disco do Faichecleres apresenta um Rock 'n' Roll muito empolgante e de alta qualidade. As influências são nítidas e muito fáceis de serem apontadas: Rolling Stones, The Beatles, Kinks, Doors, porém com letras pra lá de cafajestes.

A faixa de abertura, "Aninha Sem Tesão", já mostra bem o repertório de canastrices da banda. Não existe pudor, meio termo e eles não pegam leve. As letras estão lá para serem lidas e cantadas, cheias de versos canastrões. E esse é um dos destaques positivos da banda... tudo bem feito e muito divertido. Os riffs são muito bem elaborados, as bases são empolgantes, rockão mesmo, que faz o ouvinte bater o pé involuntariamente e ter vontade de sair dançando por ai, com um copo de cerveja na mão.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

"A Melhor Amiga" tem o refrão mais pegajoso do disco, desses que ficam na cabeça horas e horas após ter escutado. Já em "Santa (Rock n' Roll)", "Indecente, Imoral & Sem Vergonha" e "O Meu Rock n' Roll", a banda esbanja criatividade em riffs inspirados na guitarra de Marcos. O curioso é que para quem está acostumado com as músicas em versão ao vivo, dá aquela impressão de "poxa, no CD as composições ficam mais ‘lentas’...". É natural e sempre acontece isso, mas o curioso é que geralmente o processo é inverso: as pessoas conhecem o som original e depois percebem que ao vivo fica mais "rápido".

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

A cafajestice segue solta, e o ápice acontece na faixa "Ela Só Quer Me Ter", que tem o refrão caprichado que diz: "Diz que precisa de mim / e eu nem sei por que / ela me quer só pra me ter" – show de cacofonia! O álbum ainda conta com o vídeo clipe da faixa "Bajulações, Modéstia à Parte". Vale lembrar que "Indecente, Imoral & Sem Vergonha" ainda foi lançado em uma versão limitadíssima em vinil.

Se você quer boas doses de rock n’ roll, diversão e imoralidade, este debute dos Faichecleres é altamente recomendado. Grande trabalho de estréia desse trio curitibano que ainda vai arregaçar pelo Brasil todo (ok, se eles podem, eu também posso!)!


Outras resenhas de Indecente, Imoral e Sem Vergonha - Faichecleres

Resenha - Indecente, Imoral e Sem Vergonha - Faichecleres

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Fernando De Santis

Paulistano, nascido em 1979, Fernando De Santis passa grande parte do seu tempo viajando entre São Paulo, Santos e Curitiba. Nas horas de viagens dentro de ônibus ou aviões, costuma ouvir Hard Rock, Heavy Metal e demos de qualquer estilo. Atualmente trabalha como webdesigner para o Estado de São Paulo. Mantém o site "We Burn", dedicado ao Helloween desde 1998, que nunca lhe trouxe nenhum dinheiro, mas rendeu muito amigos.

Mais informações sobre

Mais matérias de Fernando De Santis.