Resenha - Last Command - W.A.S.P.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos


W.A.S.P., desde seu surgimento, foi uma das "vítimas" preferidas escolhidas pelo PMRC, uma entidade de Washington cujos membros eram ligados ao meio político e religioso, que visava manter intacto os bons costumes do povo norte-americano. Imaginem quando este bando de engravatados viram quatro figuras que tocavam com as bundas de fora, bebiam sangue, degolavam e afogavam mulheres sobre o palco, entre outras amenidades, isso em plena efervescência do cenário rock 'n roll... De qualquer maneira, tudo o que o PMRC tentou fazer contra a banda apenas resultou em destaque na mídia para o W.A.S.P., que saiu ganhando pela promoção gratuita.

W.A.S.P. e Accept: bandas confirmam show único no Brasil em GuarulhosTom Araya: "Não sou ateu; acredito em Deus!"

"The Last Command" é o único álbum da carreira da banda que não tem a mão de Lawless na produção, que ficou ao encargo de Spencer Proffer, produtor bastante requisitado na época pelos conjuntos de hard rock. Lançado em 1985, aqui apareceriam algumas mudanças significativas: a primeira foi a saída do monstruoso baterista Tony Richards, sendo que em seu lugar entrou o apenas básico Steve Riley. Outra mudança considerável foi no visual, que não dava tanto enfoque à sanguinolência de seu registro anterior, agora os músicos vinham com uma produção visual bem mais cuidadosa.

Já no direcionamento musical, suas músicas já não possuíam aquela veia Heavy Metal tão brutal como seu antecessor; as faixas vinham com uma sonoridade mais madura e até mesmo melancólica em certos momentos. Porém a banda estava muito inspirada e, num esforço contínuo, compuseram um disco com músicas muito cativantes. E nesta fase de sua carreira as letras do W.A.S.P. nunca quiseram ser profundas, apenas falavam sobre sexo, morte e sacanagens, de maneira bastante ácida e tentando ser chocante.

Faixas memoráveis que são tocadas até os dias de hoje são a atmosférica "Wild Child" e a pegajosa "Blind In Texas", um de seus maiores clássicos, que teve um clip que rodou bastante na MTV, apresentando uma corrida de tatus, com o animal de Blackie Lawless só perdendo nas corridas - e ele comemorava como se o mesmo fosse o vencedor... Porém, mesmo sendo estas duas as canções que obtiveram maior sucesso comercial, este álbum apresenta muito, mas muito mais que isso.

Impossível não se empolgar com as barulhentas "Ballcrusher", "Jack Action", "Running Wild in the Streets", a obscura e forte "Widowmaker" e as melancólicas faixa-título ou "Cries In The Night". São alguns bons exemplos de bom gosto durante a elaboração das composições, sendo ainda que a dupla Chris Holmes e Randy Piper, como sempre, mostravam ótimos duetos nos solos de guitarras.

E, mesmo o W.A.S.P. não sendo tão popular nas rádios rockers dos anos 80, esta banda era muito superior a vários conjuntos que estavam no topo, tanto que não decepcionaram e, mesmo passando por naturais períodos difíceis, o persistente Blackie mantém a banda na ativa até hoje, 20 anos após o lançamento deste excelente álbum, "The Last Command".

W.A.S.P. - The Last Command
(1985 - Capitol Records)

01. Wild Child
02. Ballcrusher
03. Fistful Of Diamonds
04. Jack Action
05. Widowmaker
06. Blind In Texas
07. Cries In The Night
08. The Last Command
09. Running Wild In The Streets
10. Sex Drive

Homepage: www.waspnation.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "W.A.S.P."


W.A.S.P. e Accept: bandas confirmam show único no Brasil em GuarulhosW.A.S.P. e Accept
Bandas confirmam show único no Brasil em Guarulhos

Muito além da Tina Turner: os filmes Mad Max e o Heavy MetalMuito além da Tina Turner
Os filmes Mad Max e o Heavy Metal

Separados no nascimento: Blackie Lawless e ElviraSeparados no nascimento
Blackie Lawless e Elvira

W.A.S.P.: o casamenteiro de Lita Ford e Chris Holmes!W.A.S.P.
O casamenteiro de Lita Ford e Chris Holmes!


Tom Araya: Não sou ateu; acredito em Deus!Tom Araya
"Não sou ateu; acredito em Deus!"

Mulheres: 10 músicas que ajudarão a conquistá-lasMulheres
10 músicas que ajudarão a conquistá-las

Keith Richards: colocando Justin Bieber em seu devido lugarKeith Richards
Colocando Justin Bieber em seu devido lugar

Fotos de Infância: Arch EnemyFotos de Infância
Arch Enemy

Out: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revistaOut
Os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista

Tesla: o Guns N' Roses teria roubado Patience?Tesla
O Guns N' Roses teria roubado Patience?

Cannibal Corpse: o pescoço gigante de George FisherCannibal Corpse
O pescoço gigante de George Fisher


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336