Resenha - Accidentaly On Purpose - Gillan & Glover

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos


Primeiramente, para se escutar e escrever sobre este "Accidentaly On Purpose", temos que ignorar que Ian Gillan e Roger Glover são os 'caras' do Deep Purple, um dos monstros do rock pesado setentista que está na ativa até os dias de hoje. A partir daí, fica-se mais fácil aceitar e entender um registro como este.

Demonstrações de afeto: fotos de rockstars que já se beijaramFreedom of Expression: o tema do Globo Repórter

Aqui, todos os limites impostos pelo estilo do Purple deixam de existir. São apenas dois bons amigos cheios de idéias "esquisitas" para algumas músicas ainda mais "esquisitas"; que estavam a fins de fazer algo diferente do habitual.

Depois da excursão que o Deep Purple fez para divulgar o álbum "The House Of The Blue Light", de 87, Gillan e Glover se juntam para gravar algumas canções que resultaram neste "Accidentaly On Purpose". Aqui quase tudo cheira ao pop alto-astral oitentista e, em sua grande maioria, dançante. A descontração da dupla e demais músicos envolvidos nesta salada musical é grande, resultando em algo até agradável de se escutar. Isso para quem não se importa em escutar música pop esporadicamente, é óbvio.

A quantidade de estilos musicais abordados é grande. A primeira canção já é uma balada, a belíssima "Clouds And Rain", onde Gillan interpreta com muito sentimento e é sem dúvida o grande momento do CD. Ainda sobre canções lentas, temos "She Took My Breath Away", com uma percussão meio latina, que ficou bem interessante. Já "Lonely Avenue", cantada de maneira bem diferente por Gillan, com apoio de vozes femininas, é apenas razoável.

Na linha mais próxima do rock'n'roll, temos "Evil Eye", com influências de Deep Purple. "I Thought No" e "Via Miami" são bons rocks dançantes, onde Glover usa e abusa de um ritmo sacana com seu baixo. Temos "I Can't Dance To That", que é a mais pesada e bluesy, com bom trabalho de guitarras e que se destoa de todo este álbum. "Can't Believe You Wanna Leave" é uma semi-balada meio blues, toda swingada e conduzida pelo piano.

Há coisas muito estranhas, soando bem parecido com Talking Heads (é mole?!?!), como "Dislocated", cheia de metais e "Telephone Box", com sintetizadores, teclados, coros femininos, típica canção de rádio. Há até um reggae! "Cayman Island" é bem cômica e competente dentro de sua proposta, fazendo Bob Marley sorrir satisfeito em sua tumba. "Purple People Eater", minha nossa, o que é isso?!? Há uns 20 anos isso teria feito todo mundo dançar numa festa. Ou encher a cara de desgosto...

Bom, se alguém aí acha que acabou ou que exagerei em algum ponto, escute a última faixa, "Chet". Sintetizadores, assobios, mulheres, vozes estranhas, uma zona! Parece trilha sonora de "Pulp Fiction"....

GILLAN AND GLOVER - Accidentaly On Purpose
(1998 / Eagle Records - 2005 / ST2 Records)

01. Clouds And Rain
02. Evil Eye
03. She Took My Breath Away
04. Dislocated
05. Via Miami
06. I Can't Dance To That
07. Can't Believe You Wanna Leave
08. Lonely Avenue
09. Telephone Box
10. I Thought No
11. Cayman Island
12. The Purple People EaterChet
13. Chet

Nota: sei lá.....




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Gillan And Glover"


Demonstrações de afeto: fotos de rockstars que já se beijaramDemonstrações de afeto
Fotos de rockstars que já se beijaram

Freedom of Expression: o tema do Globo RepórterFreedom of Expression
O tema do Globo Repórter

Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentaisSaúde
Mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Music Radar: Os melhores álbuns de Heavy Metal de todos os temposMusic Radar
Os melhores álbuns de Heavy Metal de todos os tempos

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1980Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1980

David Bowie: O Camaleão inspirou um Pokemon?David Bowie
O Camaleão inspirou um Pokemon?

Nickelback: Chad Kroeger nunca se cansa de tocar How You Remind MeNickelback
Chad Kroeger nunca se cansa de tocar "How You Remind Me"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.