Resenha - Another Shot! - MoonshadoW

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Toral
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


O MoonshadoW é, talvez, uma das poucas bandas neste país que ainda se preocupam em destacar o lado setentista do rock and roll, com muita classe. Aqui em "Another Shot!" o MoonshadoW sofreu três alterações em sua formação: entraram Guga Camargo (bateria), Eliana Shirabayashi (teclados) e Diogo Baeder (baixo). Bem, certamente a primeira pergunta do fã é: "Mudou o som?". Bem, não sei se foi, basicamente, a entrada de novos músicos, mas que mudou a forma da apresentação, ah mudou!

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Quer dizer, a proposta progressiva aliada ao hard rock continua firme, mas agora o MoonshadoW está bem mais direto, soando mais abusado, até. E olha que "Another Shot!" é apenas um CD- demo; imagina o que vem para o próximo álbum! Tudo isso pode ser comprovado logo em "Gipsy Dreams", que traz um ótimo riff que compõe a base da música, mostrando um MoonshadoW mais hard rock; é bom contar com bandas que ainda conseguem, em tempos tão modernos, capturar a sonoridade dos anos 70. Destaque para a linha vocal, bem mais certeira do que em seu trabalho anterior, além da bateria. E mais uma vez temos "Dolphins", antes já presente em "Tales From Soul" (1999), que está com uma cara mais feroz, instrumental aperfeiçoado e guitarras bem ousadas. Outro golpe certeiro da banda! Como é primordial em bandas deste porte, temos "Ghost of Lost Love", que apesar do título forçado, não tem nada de meloso ao extremo, trazendo uma sonoridade que, em alguns momentos, lembra aquelas loucuras viajantes do Pink Floyd, embora também contenha passagens bem únicas e naturais da própria banda.

O fato é que se o MoonshadoW quis ir longe musicalmente, e conseguiu. Ah, e saibam que o teclado tem um papel importantíssimo! Fechando esta demo com chave de ouro, temos a melhor do álbum, ou seja, a "Evolution?!", aqui lembrando um pouco de Jethro Tull e outro pouco de Uriah Heep. É realmente uma proposta mais avançada do que sua sonoridade antiga, mas é bom ressaltar que a banda não por isso era, digamos, "menos melhor"- ela desde o começo se propôs a fazer um trampo de primeiríssima linha! Enquanto à produção, está tudo muito bem direcionado, e quem adquirir este material terá a garantia de um bom trabalho nas carrapetas. Enfim, legal que o MoonshadoW esteja trilhando da melhor forma o seu caminho; pelo menos ainda temos coisas diferentes para ouvir, que não somente as mesmices melódicas por aí. Que venha o álbum!

Para contactar a banda: moonshadow@dialdata.com.br
Para acessar o site oficial: www.moonshadow.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Moon Shadow"


Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"

Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardBlack Sabbath
O dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Viking Metal: Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!Viking Metal
Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"

Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardBlack Sabbath
O dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Pantera: Cowboys From Hell em versão para pianoPantera
"Cowboys From Hell" em versão para piano

Rush: o conceito de 2112, a obra-prima do grupoRush
O conceito de "2112", a obra-prima do grupo


Sobre André Toral

Formado em Administração de Empresas. Curte Hard clássico dos anos 70 e início dos 80; Heavy Metal é sua religião.

Mais matérias de André Toral no Whiplash.Net.