Matérias Mais Lidas

imagemThin Lizzy e o álbum picareta de covers do Deep Purple que garantiu sua sobrevivência

imagemConheça o guitarrista brasileiro de 16 anos que estará no próximo clipe do Megadeth

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemA inteligente estratégia de Prika para não perder gravadora na ruptura da Nervosa

imagemPor que o processo de composição da Legião Urbana e Engenheiros era tão diferente?

imagemSteve Grimmett: vocalista do Grim Reaper morre aos 62 anos

imagemSons of Apollo une carisma e técnica em show no Rio com direito a piada de Mike Portnoy

imagemAs 10 músicas mais estranhas do Guns N' Roses, em lista do Ultimate Classic Rock

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemAs obscuras músicas favoritas do Red Hot Chili Peppers de John Frusciante

imagemPrika Amaral esclarece por que contratou apenas mulheres europeias para a Nervosa

imagemAs 10 melhores músicas "lado b" da carreira solo de Dio, em lista do Metal Injection

imagemOzzy comenta a brutal honestidade de Lemmy quando estava próximo da morte


Dream Theater 2022

Resenha - Sagovindars Boning - Otyg

Por Ben Ami Scopinho
Em 13/01/05

Enquanto que em meados dos anos 90 algumas bandas estavam começando a incorporar música tradicional européia em seu Heavy Metal, o Otyg veio invertendo os papéis, fazendo a música folk escandinava com leves toques de rock em seu debut "Älvefärd". Seu líder Vintersorg começava então a despontar como um compositor de bom gosto com uma ótima banda o acompanhando.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

E agora, anos depois de lançado lá fora, a Hellion disponibiliza este segundo e último registro do Otyg, "Sagovindars Boning", que possui canções com melhores arranjos que seu antecessor, tendo ainda uma dose bem maior de rock pesado em suas composições, tornando-as mais fáceis de se ouvir. Obviamente estão presentes as flautas, violinos e passagens acústicas em grande profusão; Vintersorg ainda canta somente de maneira limpa, sendo que em algumas faixas recebe o complemento da voz de Cia Hedmark, que se expressa de maneira bastante simples, mas conseguindo tornar sua presença bem agradável.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Otyg conta ainda em sua formação com Mattias Marklund (parceiro novamente anos depois no projeto solo de Vintersorg) na guitarra, Daniel Fredriksson no baixo e flautas, Fredrik Nilsson na bateria, além dos já citados Vintersorg, que canta, toca guitarra e flautas e Cia Hedmark, voz e violino.

Pode ser um álbum relativamente difícil de digerir numa primeira audição, mas com certa insistência, começamos a apreciar esse trabalho bastante original. Algumas faixas que se sobressaem são as excelentes "Trollslottet", "Mossfrun Kölnar", "Mossfrun Kölnar" e "När Älvadrottningen Kröns", e a grande estrela "Holy Diver", cover do mestre Dio, que acabou se transformando numa canção acústica e folk com direito a solo de violino, de belíssimo resultado final, sendo a única música cantada em inglês no disco.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Creio que, em termos de produção, o único ponto que ficou muito a desejar são os timbres das flautas, que em vários momentos chegam a impressionar pela maneira como soaram ásperas e deslocadas, deslize que também ocorreu no álbum anterior.

OTYG – Sagovindars Boning
(1999 - distribuído por Hellion Records em 2004)

01. Trollslottet
02. Vilievandring
03. Galdersbesjungen
04. När Älvatrottningen Kröns
05. Bäckahästen
06. Årstider
07. Mossfrun Kölnar
08. Vättar Och Jättar
09. Holy Diver
10. Lövjerskan
11. Varulvsnatt
12. Gygralock

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.