Resenha - Sagovindars Boning - Otyg

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Enquanto que em meados dos anos 90 algumas bandas estavam começando a incorporar música tradicional européia em seu Heavy Metal, o Otyg veio invertendo os papéis, fazendo a música folk escandinava com leves toques de rock em seu debut "Älvefärd". Seu líder Vintersorg começava então a despontar como um compositor de bom gosto com uma ótima banda o acompanhando.
5000 acessosNo alto do castelo há uma linda princesa...5000 acessosRob Halford: Uma resposta educada a comentários de Dickinson

E agora, anos depois de lançado lá fora, a Hellion disponibiliza este segundo e último registro do Otyg, “Sagovindars Boning”, que possui canções com melhores arranjos que seu antecessor, tendo ainda uma dose bem maior de rock pesado em suas composições, tornando-as mais fáceis de se ouvir. Obviamente estão presentes as flautas, violinos e passagens acústicas em grande profusão; Vintersorg ainda canta somente de maneira limpa, sendo que em algumas faixas recebe o complemento da voz de Cia Hedmark, que se expressa de maneira bastante simples, mas conseguindo tornar sua presença bem agradável.

Otyg conta ainda em sua formação com Mattias Marklund (parceiro novamente anos depois no projeto solo de Vintersorg) na guitarra, Daniel Fredriksson no baixo e flautas, Fredrik Nilsson na bateria, além dos já citados Vintersorg, que canta, toca guitarra e flautas e Cia Hedmark, voz e violino.

Pode ser um álbum relativamente difícil de digerir numa primeira audição, mas com certa insistência, começamos a apreciar esse trabalho bastante original. Algumas faixas que se sobressaem são as excelentes “Trollslottet“, "Mossfrun Kölnar", “Mossfrun Kölnar” e "När Älvadrottningen Kröns", e a grande estrela “Holy Diver”, cover do mestre Dio, que acabou se transformando numa canção acústica e folk com direito a solo de violino, de belíssimo resultado final, sendo a única música cantada em inglês no disco.

Creio que, em termos de produção, o único ponto que ficou muito a desejar são os timbres das flautas, que em vários momentos chegam a impressionar pela maneira como soaram ásperas e deslocadas, deslize que também ocorreu no álbum anterior.

OTYG – Sagovindars Boning
(1999 - distribuído por Hellion Records em 2004)

01. Trollslottet
02. Vilievandring
03. Galdersbesjungen
04. När Älvatrottningen Kröns
05. Bäckahästen
06. Årstider
07. Mossfrun Kölnar
08. Vättar Och Jättar
09. Holy Diver
10. Lövjerskan
11. Varulvsnatt
12. Gygralock

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Otyg"

No alto do casteloNo alto do castelo
As diferenças entre os diferentes estilos de rock e metal

Rob HalfordRob Halford
Resposta educada a comentários de Dickinson

CinemaCinema
O melhor e o pior dos rockstars em filmes

5000 acessosRolling Stone: revista elege melhores faixas de álbuns ruins5000 acessosNirvana: Ronaldinho Gaúcho em homenagem a Nevermind5000 acessosAC/DC: "aquela coisa Glam foi idéia do Malcolm"5000 acessosBolsonaro: se dando mal ao tentar fazer stage dive5000 acessosCapas de CD estranhas: o que está por trás dessas imagens?5000 acessosZakk Wylde: "eu bebia porque curto tomar um porre"

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online