Resenha - Feedback - Rush

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Raphael Crespo
Enviar Correções  


O Rush é a banda mais paradoxal da história do rock. Ao mesmo tempo em que é simples, por dispor de apenas três membros, faz um som complexo, intrincado, magistral. E a comemoração dos 30 anos de carreira da banda canadense não poderia deixar de ser cercada de paradoxos.

publicidade

Numa data tão importante, para uma banda cujos últimos álbuns ao vivo são triplos, nenhum grande grande lançamento comemorativo. O Rush decidiu lembrar suas três décadas na estrada com o simples EP de covers Feedback, com apenas oito faixas.

Mas tudo que é simples o Rush pode complicar. E não há nada de pejorativo nessa afirmação. Para as covers, o trio escolheu músicas que fizeram parte de sua formação, com temas de rock n' roll básico, que, nas mãos dos canadenses, acabam ganhando em sofisticação e complexidade, graças ao virtuosismo de Alex Lifeson (guitarra), Neil Peart (bateria) e Geddy Lee (baixo/vocal).

publicidade

Feedback abre e fecha com covers de covers. Exatamente isso. Versões de músicas que já foram ''coverizadas''. Na primeira faixa do álbum, o Rush faz um novo arranjo para a regravação do Blue Cheer de Summertime Blues, de Eddie Cochran, com destaque para o incidental riff inicial, que lembra muito Foxy Lady, de Jimi Hendrix. O mesmo acontece na última, com a versão da versão do Cream para Crossroads, do mito Robert Johnson.

publicidade

Heart full of soul e Shapes of things, duas do Yardbirds, ganham uma roupagem fantástica, com destaque para o vocal de Lee na primeira e a monstruosa bateria de Peart na segunda.

Originalmente gravada pelo The Who, The Seeker aparece numa versão bem pesada, em meio a duas mais calmas: For what is worth e Mr. Soul, ambas do Buffalo Springfield. Seven and seven is, do Love, completa a lista de Feedback, com mais um show do melhor baterista do mundo.

publicidade


Outras resenhas de Feedback - Rush

Resenha - Feedback - Rush

Resenha - Feedback - Rush




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Rush: Ouça o baixo isolado de Geddy Lee no clássico Tom SawyerRush
Ouça o baixo isolado de Geddy Lee no clássico "Tom Sawyer"

Rush: Geddy Lee explica por que eles não tem músicas inéditasRush
Geddy Lee explica por que eles não tem músicas inéditas

Rush: o segredo para durarem tanto sem mudar de formação, segundo Geddy LeeRush
O segredo para durarem tanto sem mudar de formação, segundo Geddy Lee

Neil Peart: eleito melhor músico Prog de todos os tempos em votação recordeNeil Peart
Eleito melhor músico Prog de todos os tempos em votação recorde

Rush: Uma das melhores biografia finalmente será lançada no Brasil

Rush: Geddy Lee escolhe melhor e pior álbum da bandaRush
Geddy Lee escolhe melhor e pior álbum da banda

Lars Ulrich: quem foi melhor, John Bonham ou Neil Peart?Lars Ulrich
Quem foi melhor, John Bonham ou Neil Peart?

Rush: em raras entrevistas, os 3 falam sobre a quase rejeitada Tom SawyerRush
Em raras entrevistas, os 3 falam sobre a quase rejeitada "Tom Sawyer"

Rush: A banda em 20 músicas definitivas segundo o site uDiscover MusicRush
A banda em 20 músicas definitivas segundo o site uDiscover Music

Rush: perfis da banda e de Geddy Lee homenageiam sorriso magnético de Neil PeartRush
Perfis da banda e de Geddy Lee homenageiam sorriso magnético de Neil Peart


Sebastian Bach: felizão por achar raridades em vinil do RushSebastian Bach
Felizão por achar raridades em vinil do Rush

Crianças Prodígio: Molek de 7 anos detonando YYZ, do RushCrianças Prodígio
"Molek" de 7 anos detonando YYZ, do Rush


Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Iron Maiden
Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993


Sobre Raphael Crespo

Raphael Crespo é jornalista, carioca, tem 25 anos, e sempre trabalhou na área esportiva, com passagens pelo jornal LANCE! e pelo LANCENET!. Atualmente, é editor de esportes do JB Online, mas seu gosto por heavy metal o levou a colaborar com a seção de musicalidade do site do Jornal do Brasil, com críticas de CDs e algumas matérias especiais, que também estão reunidas em seu blog (http://www.reviews.blogger.com.br). Sua preferência é pelo thrash metal oitentista, mas qualquer coisa em termos de som pesado é só levantar na área que ele mata no peito e chuta. Gosta também de outros tipos de som, como MPB, jazz e blues, mas só se atreve a escrever sobre o que conhece melhor: o metal.

Mais matérias de Raphael Crespo no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin