Resenha - Subliminal Verses - Slipknot

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Raphael Crespo
Enviar Correções  


Gostar de Slipknot não é uma tarefa das mais fáceis. O que dizer de uma banda que, antes do lançamento de seu novo disco, tem como principal jogada de marketing o lançamento das novas máscaras? Pois é. Esse é o Slipknot. Mas e daí? O Kiss - e aqui não cabe nenhuma comparação - sobrevive até hoje com a cara pintada, tanto quanto de sua música de alta qualidade. Pois o Slipknot faz música interessante. Bastante estranha, é verdade, mas interessante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em seu terceiro lançamento de inéditas, Vol.3: (The subliminal verses), a banda dos tresloucados de Des Moines, Iowa (EUA), não mantêm a mesma brutalidade do álbum anterior Iowa, pois investe cada vez mais em experimentos, músicas mais lentas, até mesmo uma ou outra balada, com vocais limpos de Corey Taylor, que foge da gritaria habitual, mas nada que vá decepcionar os fãs da banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com seus integrantes também conhecidos por números, de 0 a 8, o Slipknot é formado por 0: Sid Wilson (DJ); 1: Joey Jordison (bateria); 2: Paul Grey (baixo); 3: Chris Fehn (percussão); 4: James Root (guitarra); 5: Craig Jones (sampler/programação); 6: Shawn ''Clown'' Crahan (percussão); 7: Mick Thompson (guitarra) e 8: Corey Taylor (vocal).

Produzido pelo mago Rick Rubin - que assinou álbuns clássicos de Slayer, Red Hot Chili Peppers, Beastie Boys, entre outros, o que já significa sinônimo de qualidade -, Vol.3 começa com Prelude 3.0, uma música bastante depressiva, que lembra até mesmo Alice in Chains e chega a ser um pouco chata, pois não alcança a qualidade extinta da banda de Seattle e se prolonga por muito tempo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas as duas seguintes - The Blister exists e Three nil - já botam o disco nos trilhos e trazem a conhecida insanidade do Slipknot de volta, com ótimos riffs e um show do excelente baterista Joey Jordison, que recentemente substituiu um hospitalizado Lars Ulrich num show do Metallica no Download Festival, em Donnington, em revezamento com o lendário Dave Lombardo, do Slayer, e não fez feio.

A quarta faixa, Duality, mescla momentos de peso com a recente face mais melódica adotada pelo Slipknot e, não por acaso, foi escolhida para ser o single de Vol3. Depois de Opium of the people, Circle aparece como a primeira e surpreendente balada acústica do disco, mas a pancadaria volta logo na sequência, com Welcome.

Vermillion é uma das faixas mais obscuras, ao lado da penúltima - The virus of life - e precede duas das melhores do álbum: Pulse of the Maggots e Before I forget, esta última com um forte refrão. Vermillion Pt.2 é a segunda balada. E muito boa, por sinal. Danger - Keep away fecha um disco com bons e maus momentos da mesma forma que abriu: depressivo e sem peso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Subliminal Verses - Slipknot

Resenha - Subliminal Verses - Slipknot




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Corey Taylor: para ele, tatuagens no rosto são como cadernos de adolescentesCorey Taylor
Para ele, tatuagens no rosto são como cadernos de adolescentes

Corey Taylor: ele perdeu muito dinheiro com loja de tatuagem e quase rodou com pet shopCorey Taylor
Ele perdeu muito dinheiro com loja de tatuagem e quase rodou com pet shop

Corey Taylor: vocalista divulga bastidores de vídeo de CMFT Must Be StoppedCorey Taylor
Vocalista divulga bastidores de vídeo de "CMFT Must Be Stopped"

Corey Taylor: assista vídeo oficial de Halfway Down ao vivo em Los AngelesCorey Taylor
Assista vídeo oficial de "Halfway Down" ao vivo em Los Angeles

Corey Taylor: vocalista relembra ameaça de morte recebida antes de showCorey Taylor
Vocalista relembra ameaça de morte recebida antes de show

Corey Taylor: Ace of Spades do Motorhead em releitura com sua bandaCorey Taylor
"Ace of Spades" do Motorhead em releitura com sua banda

Corey Taylor: a cultura do cancelamento não resolve porra nenhumaCorey Taylor
A cultura do cancelamento não resolve porra nenhuma

Corey Taylor: ouça CMFT, primeiro álbum solo do vocalistaCorey Taylor
Ouça CMFT, primeiro álbum solo do vocalista

Slipknot: quando Clown deu uma de GG Allin, defecou na mão em show e limpou em CoreySlipknot
Quando Clown deu uma de GG Allin, defecou na mão em show e limpou em Corey

Slipknot: Banda brasileira cover recria show mais famoso da banda de 2002


Slipknot: viúva de Paul Gray diz que amigos não o ajudaramSlipknot
Viúva de Paul Gray diz que amigos não o ajudaram

Slipknot: baterista fala sobre aquecimento global e problemas com meio ambienteSlipknot
Baterista fala sobre aquecimento global e problemas com meio ambiente


Raul Seixas: qual a origem da música Gita?Raul Seixas
Qual a origem da música "Gita"?

Vocalistas: Os 10 melhores da história do rockVocalistas
Os 10 melhores da história do rock


Sobre Raphael Crespo

Raphael Crespo é jornalista, carioca, tem 25 anos, e sempre trabalhou na área esportiva, com passagens pelo jornal LANCE! e pelo LANCENET!. Atualmente, é editor de esportes do JB Online, mas seu gosto por heavy metal o levou a colaborar com a seção de musicalidade do site do Jornal do Brasil, com críticas de CDs e algumas matérias especiais, que também estão reunidas em seu blog (http://www.reviews.blogger.com.br). Sua preferência é pelo thrash metal oitentista, mas qualquer coisa em termos de som pesado é só levantar na área que ele mata no peito e chuta. Gosta também de outros tipos de som, como MPB, jazz e blues, mas só se atreve a escrever sobre o que conhece melhor: o metal.

Mais matérias de Raphael Crespo no Whiplash.Net.

Cli336 Cli336 Cli336 CliHo Cli336