Resenha - Heretic - Morbid Angel

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Silva
Enviar correções  |  Ver Acessos


Muita expectativa rondou os domínios do Anjo Mórbido nos últimos tempos. Um dos motivos foi o suposto "chega pra lá" dado no baixista/vocalista Steve Tucker, que foi substituído por Jared Anderson do Hate Eternal, em alguns shows, em plena tour de divulgação de "Gateways to Annihilation". Outro motivo, e mais recente, foi a saída do guitarrista Erik Rutan (também do Hate Eternal) deixando a banda resumida ao seu núcleo, Trey Azagthoth (Guitarra, Vocais, Teclados) e Pete Sandoval (Bateria e Percussão).

Morbid Angel: Uma decisão corajosa em função da baixa tolerância dos fãs da música extrema à mudançaFotos de Infância: Amy Lee, do Evanescence, muito antes da fama

Após longo silêncio por parte da banda e de sua atual gravadora (Earache) à respeito do futuro, e entre fortes boatos de um improvável (pra não dizer impossível) retorno de David Vincent (vocalista/baixista em Altars of Madness, Blessed Are The Sick, Covenant, Domination e no ao vivo Entangled in Chaos - hoje na banda Genitorturers, com sua esposa Gen.), o Morbid Angel anuncia em seu site oficial que entrou em estúdio com Steve Tucker para a gravação de seu novo trabalho.

Passados alguns meses, tenho em mãos o promo-cd de "Heretic", uma obra-prima de Death Metal como só Trey Azagthoth saberia criar. A abertura ferocíssima com "Cleansed in Pestilence (Blood of Elohim)", a levada cheia de groove e peso absurdo de "Enshrined by Grace", os vocais possessos de "Stricken Arise", a forte influência do rock progressivo em "God of Our Own Divinity", comprovam a inesgotável fonte de inspiração do guitarrista-visionário que atende por Trey (seu nome real é Emmanuel), e a precisão e criatividade do inconfundível Pete (o porto-riquenho Pedro). Steve Tucker faz sua melhor performance desde que entrou na banda, coroando uma certeza que todos os fãs já possuem: ninguém substituirá o demônio David Vincent, mas Steve Tucker tem sua parcela de admiração, tamanho o poder de seus guturais.

Sem sombra de dúvidas, o lançamento do ano em se tratando de Death Metal, e um retorno esmagador deste fenômeno artístico que ajuda o Metal a continuar vivo e barulhento. Morbid Angel... "ageless, still they are"...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Morbid Angel"


Morbid Angel: Uma decisão corajosa em função da baixa tolerância dos fãs da música extrema à mudança

Morbid Angel: David Vincent comenta novamente sobre sua saída da bandaMorbid Angel
David Vincent comenta novamente sobre sua saída da banda

Halloween: dez clássicos do Heavy Metal para curtir a dataHalloween
Dez clássicos do Heavy Metal para curtir a data


Fotos de Infância: Amy Lee, do Evanescence, muito antes da famaFotos de Infância
Amy Lee, do Evanescence, muito antes da fama

Kurt Cobain: a teoria de assassinato do músicoKurt Cobain
A teoria de assassinato do músico


Sobre Fernando Silva

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGooILQ