Resenha - A New Day At Midnight - David Gray

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Após o grande sucesso do anterior "White Ladder", David Gray retorna com "A New Day At Midnight". O CD não é exatamente uma continuação, mas traz alguns elementos já existentes no seu predecessor. A utilização de efeitos eletrônicos é constante, e se você não gosta, nem adianta tentar ouvir "A new Day At Midnight" .

Fotos de Infância: Dave Mustaine, do MegadethSgt. Peppers: O mais importante disco da história?

As letras continuam brilhantes, e Gray é constantemente comparado a Bob Dylan nesse quesito, além do vocal, que em algumas partes se assemelha bastante ao cantor.
Os arranjos são lindos, as melodias idem, e todas composições têm seus grandes momentos, sempre marcados pela voz de Gray e pelos climas que preenchem todos espaços da música em si. Aliás, esse é outro ponto que deve ser destacado, visto que uma das principais características da música de David Gray é o clima imposto pelo compositor, algumas vezes melancólico, mas sempre inovador.

Em algumas faixas, talvez o excesso de efeitos seja prejudicial, e se fosse optado um som mais cru e simples, o resultado fosse ainda melhor. Destaques ficam com "Dead In The Water", "Be Mine" (o primeiro single), "Caroline", "Real Love" e "Knowhere".

Se você tem mente aberta e gosta de boa música, independente do estilo, vale ouvir este grande artista que, com certeza, ainda vai dar o que falar.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "David Gray"


Fotos de Infância: Dave Mustaine, do MegadethFotos de Infância
Dave Mustaine, do Megadeth

Sgt. Peppers: O mais importante disco da história?Sgt. Peppers
O mais importante disco da história?

Metal Extremo: chocando os jurados em reality-showsMetal Extremo
Chocando os jurados em reality-shows

Jared Leto: a reação ao se ver no papel do CoringaJared Leto
A reação ao se ver no papel do Coringa

Guitar Hero: veja como o jogo desgraçou uma geração inteiraGuitar Hero
Veja como o jogo desgraçou uma geração inteira

Black Sabbath: Os melhores e os piores discos da bandaBlack Sabbath
Os melhores e os piores discos da banda

Tracii Guns: Axl é um cara simples num mundo complicadoTracii Guns
"Axl é um cara simples num mundo complicado"


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.