Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais


Resenha - A Passion Play - Jethro Tull

Por Alexandre Magno
Em 02/05/03

Nota: 10

Voltamos ao ano de 1972. O Jethro Tull havia laçado uma obra fantástica (Thick as a Brick), um disco conceitual que continha uma única e maravilhosa música, que foi aclamado por crítica e público. No ano seguinte, resolveram lançar outro disco conceitual e com só uma música (A Passion Play). Assim, o que parecia possível se tornou realidade, já que a banda conseguiu fazer outra obra-prima tão boa quanto a anterior.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não liguem para o fato de que a maioria da crítica desceu a lenha, afinal, o Jethro, junto com o Uriah Heep, sempre foi um dos alvos preferidos da crítica, e o que importa é que os fãs, tanto na época como nos dias de hoje, aclamaram e aclamam A Passion Play, juntamente com Thick as a Brick, como um de seus melhores discos, principalmente para aqueles que curtem a fase mais progressiva da banda. Na verdade, A Passion Play é o disco mais progressivo do Jethro Tull e, comparando com Thick as a Brick, é mais trabalhado e menos pesado.

Outra novidade é a utilização de saxofones de forma muito bem colocada, dando um toque ainda mais progressivo e jazzístico à música. Outro aspecto a ser notado é que, quanto mais escutamos este disco, mais gostamos dele, pois trata-se de uma música com mais variações do que Thick as a Brick, por exemplo, e, desta forma, sempre descobrimos algo novo e maravilhoso. Até os críticos, que antes metiam o pau no disco, hoje o vêem com outros olhos, pois não se trata de um disco de fácil assimilação que gere paixões logo na primeira audição.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outro aspecto muito interessante que vale ressaltar é o que a música narra. Trata-se da história de uma pessoa que morre, conhece o céu, o inferno e o purgatório, e depois percebe que prefere mesmo é ficar aqui pela Terra. O fim da história depende da interpretação que cada um dá a ela. Enfim, uma música maravilhosa que ainda faz as pessoas pensarem, algo muito raro de ser encontrado nos dias de hoje.

Trata-se de um disco perfeito para os fãs de progressivo, de música complexa e trabalhada e que faz pensar. Se você se enquadra neste perfil, vá em frente e compre o cd, pois trata-se de um clássico a ser incluído em qualquer discografia básica dos fãs deste estilo musical.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Iron Maiden: Steve Harris fala da influência do Jethro Tull

Mike Portnoy: os dez melhores discos de rock progressivo