Matérias Mais Lidas

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth

imagemMarcos Mion conta história de encontro (e manjada) com Bon Jovi no banheiro

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemO que mais impede Kiko Loureiro de voltar ao Angra? (Não tem nada a ver com o Megadeth)

imagemBeatles: Paul McCartney conta a história por trás de "Ob-La-Di, Ob-La-Da"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa

imagemRage Against The Machine vem ao Brasil em dezembro, diz José Noberto Flesch

imagemApós viralizar com anúncio, Harppia revela identidade do novo baixista

imagemAutor de "God Save The Queen", Johnny Rotten diz que sente orgulho da Rainha Elizabeth

imagemA curiosa opinião de Ozzy sobre cover do Metallica para "Sabbra Cadabra"

imagemJimmy Page dá opinião sobre streaming e enaltece desconhecido herói dos músicos

imagemBruce Dickinson diz o que o surpreendeu quando retornou ao Iron Maiden

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemChad Smith chama matéria sobre Taylor Hawkins de "sensacionalista e enganosa"


PRB

Resenha - Way of Temptation - Frozen Tears

Por Haggen Kennedy
Em 10/05/03

Nota: 8

Os italianos do Frozen Tears mostram amadurecimento nesse segundo trabalho. "Way of Temptation" é um disco agressivo, mas ao mesmo tempo melódico. É pesado, mostra linhas harmônicas complexas, ressumando um eqüilíbrio raro em conjuntos que não possuem muito tempo de estrada. "Ressumando" porque é interessante o fato de cada música nesse disco parecer sair melhor que a anterior, como se a cada faixa o grupo mostrasse um ponto a favor diferente dos outros. Logo em "Walking Through My Dreams", a faixa de abertura, é possível atestar a veracidade da música desses caras – que, vou até frisar, é boa pra cacete.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Além de Torrini lapo (guitarra), Mirko Serra (baixo) e Emanuele Vignozzi (bateria), estão os irmãos Taiti Leonardo (guitarra) e Taiti Alessio (vocais), sendo que faz-se necessário comentar um pouquinho acerca desse último aí. Alessio, oriundo – bem como o resto da banda – de Florença, Itália, levou o prêmio de "Best Screamer Vocalist" em 2002 pelo Nero Opaco (http://www.neroopaco.it/), um conhecido webzine de metal italiano. Com influências do calibre de Ralf Scheepers, Morby, Dickinson e Rob Halford, o cara desfila linhas harmônicas com timbres tão diferentes quanto agressivos, e afinadíssimos com o resto do conjunto. Aliás, é impressionante a semelhança, em diversos momentos, com o Halford. Aqui e ali tem-se a impressão de que o ex-Priest está fazendo participação especial no disco.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Mas não é só o vocal o dono da bola. O resto da banda é bastante entrosado. As guitarras são bastante fluentes, e os timbres de Leonardo conseguem ser bem acertados (vide "Jail of Pain" ou "The Mad and the Sad", por exemplo – esta última, inclusive, provavelmente a melhor do CD). A cozinha também se mostra coesa, grudando como chiclete nos riffs contagiantes e nas cavalgadas das guitarras de Leonardo (este já mencionado) e Iapo.

A questão é que, seja nos riffs maidenianos de "The Flame Of Hate" ou na violenta "A Great Day", o Frozen Tears oferece o que sabe fazer: metal de qualidade.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

É, os italianos acertaram de novo...

Site Oficial – http://digilander.libero.it/frozentears

Line-Up:
Taiti Alessio (Vocais)
Taiti Leonardo (Guitarra base)
Torrini lapo (Guitarra solo)
Mirko Serra (Baixo)
Emanuele Vignozzi (Bateria)

Material cedido por:
Megahard – http://www.megahard.com.br
Cx. P. 41.698, São Paulo / 05422-970
Fax: 0055.11.3224.8297
Tel.: [11] 3224-0709
Email: [email protected]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Haggen Kennedy

Nascido ao fim dos anos 70 e adolescido em meio ao universo metálico, Haggen Heydrich Kennedy já trabalhou e atuou numa vultosa gama de atividades, como o jornalismo, o desenho, a informática, o design e o ensino, além de outros quefazeres. Atualmente vive em Atenas, Grécia, onde estuda História, Arqueologia e Grego Antigo na Universidade de Atenas. A constante nesse turbilhão de ofícios, todavia, sempre constituiu-se de dois fatores: as línguas (ainda hoje trabalha com tradução e interpretação) e a música - esse último elemento, definitivo alimento espiritual.

Mais matérias de Haggen Kennedy.