Resenha - Bridge - Everon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


A carreira do Everon é marcada por um momento de inacreditável criatividade, musicalidade e sensibilidade com o álbum "Fantasma", e no demais discos bons, regulares, os quais nem chegam perto da majestade do lançamento citado. Desta maneira, poderíamos até acreditar em um disco agradável como "Venus", mas criar a expectativa para outro grande trabalho que comprovasse que seu antecessor não foi um facho de luz em meio a talentos relativamente apagados, seria além de qualquer otimismo. Quem apostou nisto se deu bem, pois a superação do 'esperado' ocorreu novamente.

Manowar: A vida real e nada épica dos Reis do Metal?Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conhecia

A proposta de um CD duplo foi logo renegada pela gravadora, assim que esta analisou o montante de material e obviamente as possibilidades econômicas. Os compactos foram separados e "Bridge" é o primeiro e exatamente o responsável por ouvidos ainda mais atentos para seu sucessor, "Fle$h".

Há algumas diferenças entre este novo álbum e "Fantasma". Produção excelente (superior a do antecessor), mais percussão, e surpresas como os vocais agressivos e impressionantemente bem ajustados ao final de "Juliet". Todavia, no restante, não é 'A' inovação.

Os alemães começam a marcar suas carreiras com uma capacidade indescritível de desenvolvimento de temas. A introdução em "Bridge-Theme" vai num crescente contínuo até a décima segunda faixa, a qual nomeia o disco.

"Fantasma" mantém-se no topo dos lançamentos do Everon, contudo esta ponte que dá acesso a "Fle$h" chega realmente muito perto. "Driven", "Puppet Show", "Carousel" e a composição principal fazem eco ao que digo. Outra excelente obra. E agora, definitivamente, estes mestres do rock / hard progressivo estão expostos a cobranças.

Site Oficial - http://www.everon.de

Formação:
Oliver Philipps (Vocais - Guitarras - Piano - Teclados)
Ulli Hoever (Guitarras)
Schymy (Baixo)
Christian Moos (Bateria - Percussão)

Material cedido por:
Hellion Records - http://www.hellionrecords.com
Rua 24 de Maio, 62 - Lojas 280 / 282 / 308 - Centro.
São Paulo - SP - BRASIL
CEP: 01041-900
Tel: (11) 5083-2727 / 5083-9797 / 5539-7415
Fax: (11) 5549-0083
Email: hellion@uol.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Everon"


Manowar: A vida real e nada épica dos Reis do Metal?Manowar
A vida real e nada épica dos Reis do Metal?

Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

Motorhead: a dieta que mantinha Lemmy jovem e viçosoMotorhead
A dieta que mantinha Lemmy jovem e viçoso

Luís Mariutti para Nando Moura: Estádio não se lota com views ou likesLuís Mariutti para Nando Moura
"Estádio não se lota com views ou likes"

Contra Costa Times: Os 25 melhores guitarristas da Bay AreaContra Costa Times
Os 25 melhores guitarristas da Bay Area

Nirvana: Grohl fala como se sentiu ao reencontrar Frances CobainNirvana
Grohl fala como se sentiu ao reencontrar Frances Cobain

Avenged Sevenfold: criticado por vocalista do NOFXAvenged Sevenfold
Criticado por vocalista do NOFX


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.