Resenha - 2065 Flying Fingers - Powell Young

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6


Primeiramente é bom destacar o valor desse lançamento. Powell Young é um guitarrista chinês contratado por uma gravadora ocidental, a Lion Music, e com o apoio das guitarras Musicman. Como tal, já vira um referencial de seu país que por tanto tempo ficou afastado do rock. "2065 Flying Fingers" é um passo histórico e uma raridade em qualquer coleção de discos.

Beatles: Perguntas e respostas e curiosidades diversasClassic Rock: os 50 maiores álbuns de rock progressivo

O material contido nesse prezado trabalho é totalmente ligado ao que se costuma chamar 'rock guitar', e subseqüentemente à linha dos virtuoses do instrumento. Nesse caso, a principal influência vem do também 'carequinha' Joe Satriani.

Tendo em vista o que dissemos, é tranqüilo afirmar que boas audições o rapaz teve antes de gravar o álbum. Porém, de uma certa forma, ele parece gostar e se inspirar de tal maneira em seu guru 'Satch' que acabou se esquecendo de não copiá-lo.

O CD começa com "Run To Space", uma citação evidente a "Crushing Days". Na mesma relação está "Flying Fingers" para "Midnight". E por aí vai. No decorrer das faixas você percebe como ele literalmente incorporou Satriani.

É uma pena que os timbres de Powell não sejam tão bons quanto os de seu mestre, e que a produção se encontre apenas no nível do 'razoavelzinha'. Falar nisso, espera um pouquinho aí na cadeira... (minutos depois) voltei, creio que passou um besouro aqui. Ele continua me atazanando, contudo não consigo vê-lo. Estranho, mas bola pra frente.

Os bons momentos do asiático, às vezes ótimos realmente, acontecem quando a guitarra vem mais limpa. Aí ele consegue desenvolvimentos interessantes e nos dá sinais de características próprias. A percussão que geralmente acompanha essas partes é bem bacana e diferente. Aliás, Ma Yon, Chang Fu e Mao Zi, a saber, os percussionistas, dão show.

Apesar de tudo, indico o disco. A decisão é sua. Não é fraco a ponto de encontrar borrachas suficientes para apagar as boas passagens e idéias, e tampouco a imensa importância que tem.

Site Oficial - http://www.lionmusic.com/PowellYoung.htm

Material cedido por:
Lion Music - http://www.lionmusic.com
Box 19 Godby 22 411
Aland FINLAND
Email: info@lionmusic.com
Fax - 35818 41551




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Powell Young"


Beatles: Perguntas e respostas e curiosidades diversasBeatles
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Classic Rock: os 50 maiores álbuns de rock progressivoClassic Rock
Os 50 maiores álbuns de rock progressivo

Cornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesCornos do Rock
A dor e o peso do chifre em três belas canções

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Twisted Sister: segundo Dee, ser pobre e famoso é uma merdaTwisted Sister
Segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"

Metallica: os melhores anos ainda estão à nossa frente, afirma LarsMetallica
"os melhores anos ainda estão à nossa frente", afirma Lars

Iron Maiden: todas as músicas da banda, da pior para a melhorIron Maiden
Todas as músicas da banda, da pior para a melhor


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.