Resenha - Olelê - Ultramen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar Correções  

8


Com o "boom" de bandas gaúchas que está acontecendo nos últimos anos ( o Sul está se tornando um dos maiores pólos de bandas boas no Brasil ) o Ultramen se destaca como , senão a melhor, com certeza uma das melhores da safra que vem do Rio Grande do Sul.

publicidade

Esse "Olelê" , segundo álbum do Ultramen, mostra qualidade acima da média em vários aspectos: boas letras, ótimos riffs/arranjos, excelentes linhas vocais e uma variação de ritmos com muita personalidade e originalidade.

Os gaúchos já esbanjam experiência e acima de tudo mostram que vieram pra ficar... aliás vá para o Sul e pergunte quem não conhece o Ultramen... tocando inclusive em grandes festivais como o Planeta Atlântida.

publicidade

O estilo é uma mistureba que no final das contas fica excelente, pois eles conseguem reunir em um só CD músicas totalmente rock, algumas mais puxadas para o reagge, outras pro pop/rock, alguns riffs totalmente heavy metal e até rap. Tudo com muito bom gosto e muita competência.

Destaques? Não falar de músicas como "Ultramanos", "Bem Mal", a própria "Olelê" e a maravilhosa "Peleia" (que mais parece um hino para o Rio Grande do Sul para o ano 2020) é até hipocrisia, pois o Ultramen merece todo reconhecimento que está tendo. Muito legal também são as inclusões do DJ Anderson com tiradas excelentes e muito inteligentes.

publicidade

Tonho Crocco (voz), Zé Darcy (bateria), Pedro Porto (baixo), Júlio Porto (guitarra, que não está mais na banda), Marcito (percussão), Malásia (percussão) estão de parabéns e merecem os votos mais sinceros que continuem com esse trabalho que ainda vai render muitos frutos em futuro próximo com certeza.
Realmente "não podemos se entregar pros ômi de jeito nenhum" . Longa vida ao Ultramen.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: A tour de Powerslave quase acabou com a bandaIron Maiden
A tour de Powerslave quase acabou com a banda

The Voice: candidato faz power metal cantado em portuguêsThe Voice
Candidato faz power metal cantado em português


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin