Resenha - Voodoo Hill - Voodoo Hill

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr
Enviar Correções  

9


Hellion Records - 10 músicas

Certamente, para quem nunca ouviu falar em Voodoo Hill deve imaginar que trata-se de uma nova banda. Estão certas essas pessoas, mas deve-se deixar bem claro que o line-up do Voodoo Hill não é algo tão novo, especialmente por contar com um "enorme" nome do hard rock/ rock progressivo. Para quem está com curiosidade, vou logo dizer: Glenn Hughes. Sim, Glenn Hughes está presente no Voodoo Hill, mas não como baixista, apenas como vocalista. A banda ainda conta com Dario Mollo (guitarra, para quem não se lembra dele, foi quem trabalhou com o Tony Martin assim que ele saiu do Black Sabbath), Roberto Gualdi (bateria), Dario Patti (teclados) e Max Matis (baixo). Assim como Dario Mollo, o resto da banda são italianos, e tirando Glenn Hughes, todos foram, digamos, "criados" por Dario Mollo.
Como pode-se imaginar, o primeiro álbum deste projeto, foi gravado na Itália, no Damage Inc. Studio (de propriedade do próprio Dario), sendo que a produção do cd ficou a cargo do guitarrista. Mantendo essa mesma idéia, todas as músicas foram compostas novamente por Mollo, mas Hughes também merece créditos, já que escreveu todas as letras. Voodoo Hill foi lançado na Europa pelo selo Frontiers, e chegou no Brasil através da Hellion Records.
O som da banda não é muito Deep Purple, o trabalho todo segue para o lado mais hard rock, com grande influências do metal progressivo. Deep Purple é apenas uma influência, que mereceu até uma versão cover: The Gipsy foi regravada pelo Voodoo Hill, ficando ainda melhor. Fora esta emocionante versão, o disco ainda apresenta ótimas músicas, como Sensitive (um clássico já, ótimo refrão e para completar um destaque separado a Glenn Hughes); Disconnected (a mais pesada de todas, ótimos solos e riffs muitos pesados); Gold One (mostrando muito bem porque Hughes é um perfeito vocalista, tendo uma voz perfeita para esta balada); Spun in Lost Wages (a mais rápida e certeira música. Uma forte candidata para a melhor do cd); Keep it to Yourself (temos aqui um hard rock com grandes influências do rock progressivo) e por fim Just Another Monday (pesadona, mas com um estilo mais cadenciado). Dario Mollo destaca-se pela não só pela grande facilidade em solos rápidos (a lá Malmsteen), mas também na criação de climas mais cadenciados. No Voodoo Hill, Glenn Hughes só reforça o título de "uma das melhores vozes do rock".


Outras resenhas de Voodoo Hill - Voodoo Hill

Resenha - Voodoo Hill - Voodoo Hill




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Glenn Hughes: Análise vocal do cantorGlenn Hughes
Análise vocal do cantor

Glenn Hughes: Aretha Franklin foi a 1ª mulher a me arrepiar ao cantarGlenn Hughes
"Aretha Franklin foi a 1ª mulher a me arrepiar ao cantar"


Iron Maiden: curiosidades sobre o The Number Of The BeastIron Maiden
Curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Bruce Dickinson: A esposa o traiu com Nikki Sixx, do Motley Crue?Bruce Dickinson
A esposa o traiu com Nikki Sixx, do Motley Crue?


Sobre Paulo Finatto Jr

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr no Whiplash.Net.

adWhipDin