Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemDavid Gilmour surpreende ao responder se o Pink Floyd pode voltar a fazer shows

imagemGene Simmons faz passagem de som antes de show do Kiss com roupa inusitada

imagemRegis Tadeu explica porque o vinil e o Spotify vão despencar e o CD vai bombar

imagemMax Cavalera e o conselho dado por Ozzy Osbourne: "ambos nos sentimos traídos"

imagemBill Hudson comenta sobre falta de público de Angra e outras bandas nos EUA

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemJames Hetfield se emociona profundamente no show de BH e é amparado pelos amigos e fãs

imagemConheça a "melhor banda com as melhores músicas" para Robert Smith, do The Cure

imagemDez grandes músicas do Iron Maiden escritas pelo vocalista Bruce Dickinson

imagemMax Cavalera é criticado por ucranianos pelo apoio a Rússia em 2014

imagemDave Mustaine mostra a forma curiosa como se aquece antes de um show do Megadeth

imagemAbba e a imensa importância do Deep Purple na sonoridade de suas músicas clássicas

Marcello Pompeu: ele conta por que não se posiciona politicamente, apesar de cobranças

imagemBlind Guardian divulga capa, nomes e duração das faixas de seu novo álbum


Resenha - Voodoo Hill - Voodoo Hill

Por Paulo Finatto Jr
Em 20/11/01

Nota: 9

Hellion Records - 10 músicas

Certamente, para quem nunca ouviu falar em Voodoo Hill deve imaginar que trata-se de uma nova banda. Estão certas essas pessoas, mas deve-se deixar bem claro que o line-up do Voodoo Hill não é algo tão novo, especialmente por contar com um "enorme" nome do hard rock/ rock progressivo. Para quem está com curiosidade, vou logo dizer: Glenn Hughes. Sim, Glenn Hughes está presente no Voodoo Hill, mas não como baixista, apenas como vocalista. A banda ainda conta com Dario Mollo (guitarra, para quem não se lembra dele, foi quem trabalhou com o Tony Martin assim que ele saiu do Black Sabbath), Roberto Gualdi (bateria), Dario Patti (teclados) e Max Matis (baixo). Assim como Dario Mollo, o resto da banda são italianos, e tirando Glenn Hughes, todos foram, digamos, "criados" por Dario Mollo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como pode-se imaginar, o primeiro álbum deste projeto, foi gravado na Itália, no Damage Inc. Studio (de propriedade do próprio Dario), sendo que a produção do cd ficou a cargo do guitarrista. Mantendo essa mesma idéia, todas as músicas foram compostas novamente por Mollo, mas Hughes também merece créditos, já que escreveu todas as letras. Voodoo Hill foi lançado na Europa pelo selo Frontiers, e chegou no Brasil através da Hellion Records.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O som da banda não é muito Deep Purple, o trabalho todo segue para o lado mais hard rock, com grande influências do metal progressivo. Deep Purple é apenas uma influência, que mereceu até uma versão cover: The Gipsy foi regravada pelo Voodoo Hill, ficando ainda melhor. Fora esta emocionante versão, o disco ainda apresenta ótimas músicas, como Sensitive (um clássico já, ótimo refrão e para completar um destaque separado a Glenn Hughes); Disconnected (a mais pesada de todas, ótimos solos e riffs muitos pesados); Gold One (mostrando muito bem porque Hughes é um perfeito vocalista, tendo uma voz perfeita para esta balada); Spun in Lost Wages (a mais rápida e certeira música. Uma forte candidata para a melhor do cd); Keep it to Yourself (temos aqui um hard rock com grandes influências do rock progressivo) e por fim Just Another Monday (pesadona, mas com um estilo mais cadenciado). Dario Mollo destaca-se pela não só pela grande facilidade em solos rápidos (a lá Malmsteen), mas também na criação de climas mais cadenciados. No Voodoo Hill, Glenn Hughes só reforça o título de "uma das melhores vozes do rock".


Outras resenhas de Voodoo Hill - Voodoo Hill

Resenha - Voodoo Hill - Voodoo Hill

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Glenn Hughes: músico revela qual a sua "fórmula" da juventude

Glenn Hughes: "Aretha Franklin foi a 1ª mulher a me arrepiar ao cantar"

Glenn Hughes: "Cheguei à beira da insanidade real!"



Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre

Mais matérias de Paulo Finatto Jr..