Matérias Mais Lidas

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemMorre Alan White, baterista do Yes e que gravou a clássica "Imagine", de John Lennon

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemZakk Wylde relembra ídolo: "tão relevante quanto Bach, Beethoven e Mozart"

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemÁlbum histórico do Iron Maiden estampa capa da revista Metal Hammer

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemMichael Anthony diz que "Van Halen III" foi "a coisa mais louca que a banda já fez"

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemComo foi 1º encontro de Nando Reis e Cássia Eller, ocorrido na casa de Marisa Monte

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemRitchie Blackmore comenta o instrumental que lançou como homenagem a Jon Lord


Stamp

Resenha - Days Of Our Nights - Luna

Por Ana Therezo
Em 17/12/00

Nota: 6

O quarteto nova-iorquino, ex-Galaxie 500, traz Dean Wareham com "The Days Of Our Nights" - quinto álbum da banda, produzido pelo ex-baixista do Grant Lee Buffalo, Paul Kimble.

Apesar dos elogios da crítica, os últimos 18 meses foram difíceis para o Luna. Em uma reorganização da Elektra, a banda foi descartada justamente antes de lançar esse álbum. Mas nem tudo estava perdido... a Jericho Records bancou o trabalho e agora a Trama está distribuido os CDs aqui no Brasil.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Instrumentalmente, o álbum é bom, cheio de solos de guitarra (para você que não conhece, não vá pensando que são solos a la Satriani – a banda é da vertente dos "pra lá" de alternativos) além da diversidade de instrumentos como violino, cello, piano e mellotron.

São 12 músicas que oferecem bons momentos de uma forma geral, variando entre pop, rock e alternativo. Influências fortíssimas do pessoal do "The Velvet Underground" são sentidas logo na primeira faixa, Dear Diary. Já em Hello, Little One há um interessante solo de guitarra no estilo "havaiano" - inovador, mas sem grande impacto; diferente da esquisitíssima The Slow Song - cantada em alemão, o tipo de música que a gente gosta ou detesta, sem meio termo.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Talvez o ponto forte do CD seja mesmo o cover de Sweet Child O' Mine, do Guns ‘n’ Roses, bem mais lenta e, felizmente, sem os estridentes gritos de Axl Rose. Destaque também para The Old Fashioned Way, onde Dean se supera, acompanhado à altura pelos riffs de Sean Eden.

Seven Steps To Satan chama muito mais a atenção pelo nome do que pela música – enfadonha e depressiva. É em Superfreaky Memories que a bateria mais aparece, já que na maioria das músicas é necessário muito mais do que uma aguçada audição para formar qualquer opinião sobre o desempenho de Lee Wall.

E sobre Math Wiz? Estou tentando entender até agora sua letra – uma aula sobre números, que mesmo para os adoradores de Pitágoras é complexa demais; o oposto de U.S. Out Of My Pants, que é simples, clara e se parece com música-tema de filme de ação.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Não diria que Words Without Wrinkles é a balada desse álbum, por que o estilo musical da banda tende às baladas em geral, mas a canção é muito bonita… mais um ponto positivo.

E para finalizar, se você gosta de "música ambiente", vai adorar The Rustler e Four Thousand Ways.

Track List
1. Dear Diary
2. Hello, Little One
3. The Old Fashioned Way
4. Four Thousand Ways
5. Seven Steps To Satan
6. Superfreaky Memories
7. Math Wiz
8. Words Without Wrinkles
9. The Rustler
10. U.S. Out Of My Pants!
11. The Slow Song
12. Sweet Child O' Mine

Trama: http://www.trama.com.br

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Ana Therezo

Engenheira, Escritora de Araque e, atualmente, moradora das planícies gélidas Canadenses. Fã de Rock em todas as suas vertentes, mas com tendências xiitas ao Heavy Metal, ganhou seu primeiro bolachão - No Rest for the Wicked, em 1988. Vinte e poucos anos depois e, contrariando aqueles que acreditam que o gosto musical muda com o passar do tempo, continua escutando Ozzy, AC/DC, Deep Purple e afins. Colaboradora e leitora do Whiplash! desde que o site tinha caveirinhas na página principal, e que a lista dos melhores guitarristas de todos os tempos era o assunto da vez.

Mais matérias de Ana Therezo.