Resenha - Days Of Our Nights - Luna

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ana Therezo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6


O quarteto nova-iorquino, ex-Galaxie 500, traz Dean Wareham com "The Days Of Our Nights" - quinto álbum da banda, produzido pelo ex-baixista do Grant Lee Buffalo, Paul Kimble.

Mascotes de bandas: GigWise elege os 14 mais famososZakk Wylde e Dave Grohl: A treta por causa de canções para Ozzy

Apesar dos elogios da crítica, os últimos 18 meses foram difíceis para o Luna. Em uma reorganização da Elektra, a banda foi descartada justamente antes de lançar esse álbum. Mas nem tudo estava perdido... a Jericho Records bancou o trabalho e agora a Trama está distribuido os CDs aqui no Brasil.

Instrumentalmente, o álbum é bom, cheio de solos de guitarra (para você que não conhece, não vá pensando que são solos a la Satriani - a banda é da vertente dos "pra lá" de alternativos) além da diversidade de instrumentos como violino, cello, piano e mellotron.

São 12 músicas que oferecem bons momentos de uma forma geral, variando entre pop, rock e alternativo. Influências fortíssimas do pessoal do "The Velvet Underground" são sentidas logo na primeira faixa, Dear Diary. Já em Hello, Little One há um interessante solo de guitarra no estilo "havaiano" - inovador, mas sem grande impacto; diferente da esquisitíssima The Slow Song - cantada em alemão, o tipo de música que a gente gosta ou detesta, sem meio termo.

Talvez o ponto forte do CD seja mesmo o cover de Sweet Child O' Mine, do Guns 'n' Roses, bem mais lenta e, felizmente, sem os estridentes gritos de Axl Rose. Destaque também para The Old Fashioned Way, onde Dean se supera, acompanhado à altura pelos riffs de Sean Eden.

Seven Steps To Satan chama muito mais a atenção pelo nome do que pela música - enfadonha e depressiva. É em Superfreaky Memories que a bateria mais aparece, já que na maioria das músicas é necessário muito mais do que uma aguçada audição para formar qualquer opinião sobre o desempenho de Lee Wall.

E sobre Math Wiz? Estou tentando entender até agora sua letra - uma aula sobre números, que mesmo para os adoradores de Pitágoras é complexa demais; o oposto de U.S. Out Of My Pants, que é simples, clara e se parece com música-tema de filme de ação.

Não diria que Words Without Wrinkles é a balada desse álbum, por que o estilo musical da banda tende às baladas em geral, mas a canção é muito bonita... mais um ponto positivo.

E para finalizar, se você gosta de "música ambiente", vai adorar The Rustler e Four Thousand Ways.

Track List
1. Dear Diary
2. Hello, Little One
3. The Old Fashioned Way
4. Four Thousand Ways
5. Seven Steps To Satan
6. Superfreaky Memories
7. Math Wiz
8. Words Without Wrinkles
9. The Rustler
10. U.S. Out Of My Pants!
11. The Slow Song
12. Sweet Child O' Mine

Trama: http://www.trama.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Luna"


Mascotes de bandas: GigWise elege os 14 mais famososMascotes de bandas
GigWise elege os 14 mais famosos

Zakk Wylde e Dave Grohl: A treta por causa de canções para OzzyZakk Wylde e Dave Grohl
A treta por causa de canções para Ozzy

Iron Maiden: em 1985, show secreto com Adrian no vocalIron Maiden
Em 1985, show "secreto" com Adrian no vocal

Rob Halford: Ninguém escolhe ser GayRob Halford
"Ninguém escolhe ser Gay"

Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em NurembergMotorhead
A gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

Megadeth: a diferença entre os investimentos das gravadorasMegadeth
A diferença entre os investimentos das gravadoras

Megadeth: As histórias por trás de algumas músicas de DystopiaMegadeth
As histórias por trás de algumas músicas de Dystopia


Sobre Ana Therezo

Engenheira, Escritora de Araque e, atualmente, moradora das planícies gélidas Canadenses. Fã de Rock em todas as suas vertentes, mas com tendências xiitas ao Heavy Metal, ganhou seu primeiro bolachão - No Rest for the Wicked, em 1988. Vinte e poucos anos depois e, contrariando aqueles que acreditam que o gosto musical muda com o passar do tempo, continua escutando Ozzy, AC/DC, Deep Purple e afins. Colaboradora e leitora do Whiplash! desde que o site tinha caveirinhas na página principal, e que a lista dos melhores guitarristas de todos os tempos era o assunto da vez.

Mais matérias de Ana Therezo no Whiplash.Net.