Resenha - Beyond the Great Vast Forest - Immortal Choir

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Formada em 2000 na cidade de Manaus (AM), a banda de power metal Immortal Choir graças a um projeto da prefeitura de sua cidade, o projeto Valores da Terra, pode viabilizar o lançamento deste primeiro CD do grupo, gravado em 2002 e lançado em setembro de 2003. Praticante de um heavy metal com muita melodia, um pouco de agressividade e boas doses de coros e orquestrações, obviamente que o Immortal Choir acaba sendo mais um grande nome da cena metálica amazonense, que revelou nos últimos anos o Glory Opera.

Presença de Palco: dicas para iniciantesEsquisitices: algumas exigências bizarras para shows

A banda que conta com Sandro Barros (vocal), André Mendonça (guitarra), Rodrigo Sampaio (guitarra), Eurico Santoro (baixo), Alisson Oliveira (teclado) e Andreth Ives (bateria) conseguiram fazer deste seu primeiro disco, "Beyond the Great Vast Forest", um lançamento interessante, mesmo eu percebendo que a banda faltou encontrar um produtor que entendesse do assunto "heavy metal". Isto porque mesmo com uma gravação boa, se nota que as guitarras ficaram com pouco peso (peso que é essencial para o estilo) e os coros também acabaram não ficando muito "majestosos" (o que é característica do estilo). Mas mesmo assim, o vocalista Sandro consegue fazer um bom trabalho, a dupla de guitarristas (André e Rodrigo) fazem um trabalho repleto de criatividade e bons solos, e o que parece na maioria das vezes nos trabalhos independentes, o baixo e bateria acabam aparecendo (e bem) nas músicas do Immortal Choir.

Abrindo com a interessante introdução orquestrada e em português "River of Darkness", o material segue com longas e épicas composições, como as bandas "The Great Vast Forest" (com uma boa interpretação do vocalista Sandro) e "Beyond the Mist", com bastante "peso" e boas orquestrações ao estilo Rhapsody. A longa e emotiva "Eyes in Flames" serve como um contra-ponto entre as faixas agressivas do disco, como a próxima, "Dance of Sacrifice", outra na linha épica, trazendo bons momentos cadenciados e outros bem encorpados. Depois da curta introdução "Spells of Mysteria", mais uma música emotiva e cadenciada no material, "The Curse of Celith", com os melhores coros de todo o CD. Em um estilo à lá Grave Digger tem a faixa seguinte, "Fall of the Empire", onde parece que a produção conseguiu acertar na hora de imprimir os riffs pesados. O disco fecha com o 'outro' "Requiem".

Uma ótima surpresa de 2003 foi "Beyond the Great Vast Forest", trazendo mais um interessante nome do metal amazonense. Agora é esperar que alguma gravadora se interesse pela banda a ponto de termos em breve um próximo lançamento. Fechando este material, fica o meu destaque também para a ótima parte gráfica do CD, especialmente para o interior muito bem elaborado do encarte.

Site oficial: www.immortalchoir.cjb.net

Line-up:
Sandro Barros (vocal);
André Mendonça (guitarra);
Rodrigo Sampaio (guitarra);
Eurico Santoro (baixo);
Alisson Oliveira (teclado);
Andreth Ives (bateria).

Track-list:
01. River of Darkness
02. The Battle of Moonstone
03. The Great Vast Forest
04. Beyond the Mist
05. Eyes in Flames
06. Dance of Sacrifice
07. Spells of Mysteria
08. The Curse of Celith
09. Fall of the Empire
10. Requiem




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Immortal Choir"


Presença de Palco: dicas para iniciantesPresença de Palco
Dicas para iniciantes

Esquisitices: algumas exigências bizarras para showsEsquisitices
Algumas exigências bizarras para shows


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

adClioIL