Resenha - Lasting Power - Thy Majestie

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

8

Cada vez mais as bandas de heavy vêm investindo em elementos de música clássica em seus álbuns. Isto vem gerando grandes bandas, como Rhapsody, que estourou em vários pontos do mundo, e o Thy Majestie, que lançou em 2000 seu primeiro cd, "The Lasting Power". A banda é oriunda da Itália, e vem obtendo boa repercussão com seu primeiro cd, onde nitidamente vemos a influência do power metal oitentista de Helloween e Blind Guardian e os elementos medievais característicos da música clássica.

publicidade

O cd abre com a power "Wings of Wind", que impressiona por sua boa mistura entre peso e melodia, com destaque para o excelente trabalho de guitarras. O vocal de Dario Grillo é competente, mas um tanto fraco para tons altos. Em certos momentos fica difícil entender o que ele canta. A próxima faixa, "Under Siege" (antes vem um instrumental bem medieval claramente influenciado por Blind Guardian, "March of the Dammed") é um exemplo de maestria. Em seus 8 minutos, vemos desde speed, power até symphonic metal, tudo bem colocado e fazendo sentido. A banda também investe bem em temas instrumentais, como na medieval "Name of Tragedy" e "Durnovaria", que abrem caminho para a excelente "Mystery of Forest", cujo começo deixaria Richie Blackmore e Candice Night orgulhosos, numa levada bem cadenciada, que ao vivo será excelente, se caracterizando como uma bela balada com climas medievais. Outros grandes destaques são as faixas "Sword of Justice", pesadíssima, de longe a melhor do disco, lembrando muito o Blind Guardian de "NightFall on Middle Earth" e a épica "Time to Battle", que encerra o cd, com um show à parte da banda, alternando climas totalmente sinfônicos com pancadaria power metal pura. O cd conta a história do cavaleiro Arter, e do reino de Hataria, um reino mágico assolado por uma maldição quando uma árvore sagrada é roubada. Os teclados estão muito bem colocados e dão o toque sinfônico ao cd, sem exagero, como deve ser. A banda é bem coesa e capaz, embora o vocalista ainda precise aprimorar seu estilo,mas sem comprometer o resultado final.

publicidade

O segundo cd da banda deve estar saindo ainda esse ano, e vale uma conferida, pois o primeiro já mostrou a que veio.

Line Up:

Maurizio Malta – Guitarras
Dario Grillo – Vocais
Giovanni Santinni – Guitarras
Giuseppe Bondi – Teclados
Dario D’ Alessandro – Baixo
Claudio Diprima – Bateria

Material Cedido pela:

Scarlet Records
Vila Mattei 48, 20097 – S. Donato Mil.se – Milão – Itália
[email protected]

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Fotos de Infância: Yngwie MalmsteenFotos de Infância
Yngwie Malmsteen

Megadeth: Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu GomesMegadeth
Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu Gomes


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin