Resenha - Reneways - Freehand

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


O Brasil tem bastante a agradecer. Não é só de futebol que nós vivemos, e na música, há muito além de axé, pagode, pop rock, sertanejo e mpb. Sem entrar em comentários sobre os outros estilos e evitando qualquer olhar pejorativo, o Angra vem mostrando tudo isso que dissemos. Porém, creio que, mesmo desta forma, boa parte de nós não faz sequer idéia da riqueza do cenário metálico brasileiro. O Freehand é outro competente conjunto de nosso país, praticando um metal melódico belíssimo, e provando a vastidão do horizonte que temos de músicos talentosos e altamente técnicos.

Metallica: se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma fotoMegadeth: Dave explica por que não tocar "The Conjuring"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Exaltar o nacionalismo pode ser uma bobagem em termos musicais, mas o sentimento surge em todos nós às vezes, e este grupo acabou trazendo exatamente esse tipo de sensação e reflexão.

Também, é difícil não ter orgulho depois de ouvir tanta banda brasileira boa e pegar este ótimo "Reneways", cheio de surpresas, com uma produção límpida e músicas maravilhosas, tanto no instrumental como nas letras. Exemplos claros são "Reaching Skies" e "Death Of My Soul", e as agressivas "The Punisher", "Kind Of Living" e "Living In A Hole".

Há uma série de influências progressivas espalhadas nas faixas. Provavelmente vieram dos maiores expoentes do estilo, como Dream Theater. Apesar disso, trazem ares semelhantes a Elegy, Poverty's No Crime, e algo de Centaur ou Threshold.

Os convidados especiais, entre eles, Evandro Zambon, Orlan Charles, Ricky Furlani e Julia Simões, dão o contorno de uma obra sentida e profissional, e cujo acabamento já surge no início, num encanto que vai desde a capa à última faixa bônus.

Formação:
Malaguetta (Vocais)
Rony Lemos (Guitarras)
Matheus Armelin (Guitarras - Violões)
Renato Napty (Baixo)
Fabricio Felix (Bateria)

Material cedido por:
Megahard Records / Progressive Rock Worldwide - http://www.progressive.com.br
Caixa Postal: 41.698 / São Paulo / 05422-970 / Brasil
Tel: (0xx11) 3224-0709
Fax: (0xx11) 3224-8297
Email: progressive@progressive.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Freehand"


Metallica: se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma fotoMetallica
Se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma foto

Megadeth: Dave explica por que não tocar The ConjuringMegadeth
Dave explica por que não tocar "The Conjuring"


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336