Resenha - Rebel You Love to Hate - Methods of Destruction

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

5


"Se você se ofendeu com o material deste álbum, legal! Agora vai plantar a porra de uma árvore!". Assim Billy Milano finaliza o encarte de seu mais recente cd com sua banda MOD ("Methods of Destruction" ou "Milano’s On Drugs", como quiserem). Após um período com o SOD (lendária banda de Hardcore formada com Scott Ian e Charlie Bernante do Anthrax e Danny Linker do Nuclear Assault), no qual a banda lançou seu segundo cd, "Bigger than the Devil", uma briga entre Milano e Scott decretou o fim do SOD. Com isto Mr. Billy ficou livre para planejar seu novo petardo e resolveu tirar uma onda com as bandas e tendências do momento, se auto-proclamando um rebelde e escrevendo músicas com tendências irônicas e críticas diretas a vários segmentos do rock e metal. Com isso surge "The Rebel You Love to Hate". A capa já tira um sarro de Michael Schenker, usando o logo do MSG descaradamente... vem podreira por aí...

publicidade

A zoação já começa com "Wigga", aonde embalado por um hardcore furioso, Milano destila sua fúria contra os rappers brancos, numa crítica de péssimo gosto. A seguinte é sua auto-afirmação, "The Rebel You Love to Hate", aonde ele avisa "vou chutar seu traseiro, você vai dançar". O lado politicamente correto de Billy emerge na correta "Making Friends is Fun" aonde ele pede "gritem contra a Humanidade – América Insana" num hardcore novamente muito agressivo.

publicidade

A coisa começa a complicar quando ele resolve zoar bandas como faz com o Rammstein em "De Men of Stein" (um misto de metal e hardcore meio sem sentido) e "Rage Against the Mac Machine" (uma indireta para vocês sabem quem ). Literalmente copiando o estilo das bandas ironizadas, Billy parte para um cd sem sentido e sem lógica. A coisa fica legal quando ao invés de criticar Billy se diverte com o Kiss, na fantástica "Get Ready" (olha que Gene Simmons iria processa-lo, tamanha a influência de Kiss na faixa – até os solos se assimilam ao estilo de Ace Frehley) com trechos inteligentes misturando músicas do Kiss, como em "You Love It Loud! We Love It Loud too, Let me Hear You! DO IT".

publicidade

O resto do cd contém críticas a guerra (na inteligente "Ass-Ghanistan", a melhor do cd) e uma zoação (novamente sem graça) aos fãs de Jornada Nas Estrelas com "He’s Dead Jim" e repetições das outras faixas, editadas ou como está no cd, "Almost Kinda Live" com "Get Ready" (aonde a banda sacaneia a versão ao vivo de "Rock and Roll All Nite" presente no "Alive", usando o mesmo grito que Paul imortalizou no álbum, com um trecho de "Detroit Rock City" no fim).

publicidade

Um álbum inconstante,que fleta entre o hardcore e o metal misturado com rap, que se salva por uma ou outra passagem mais inteligente, mas que se perde numa tentativa de soar engraçado. O MOD, que era conhecido pelo hardcore furioso que praticava, solta agora um cd metido a engraçado... mas aonde falta o bom humor... que coisa...

Lançado pela Nuclear Blast em 2003.

publicidade

Site oficial: www.billymilano.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guitar World: revista elege os 50 guitarristas mais rápidosGuitar World
Revista elege os 50 guitarristas mais rápidos

Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do JourneySteve Perry
5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin