Resenha - Juggling 9 Or Dropping 10 - Enchant

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

9


O Enchant repete, em seu novo trabalho, sua rotina de originalidade e classe, com um instrumental sensacional e letras, como sempre, bem introspectivas e reflexivas, passando por momentos obscuros e depressivos.

publicidade

Quem afirmar que a banda mudou de 1995 (ano do lançamento do primeiro disco) para cá, estará dizendo a verdade, nua e crua. Falso seria dizer que o Enchant continua o mesmo ou que, como tem se falado muito por aí, deixou de ter atenção em seu instrumental e caprichado em suas composições.

De fato o estilo vem mudando desde o debute. No começo, o peso era maior e o metal ainda era perceptível. Atualmente o som é direcionado para um rock progressivo com influências de alternativo e pop.

publicidade

"Juggling 9 Or Dropping 10" prima por uma regularidade incrível e é um passo à frente em relação ao disco "Break", de 1998. Chega a ser um concorrente ao excelente "Wounded", de 1996. Porém, não chega nem perto da obra-prima mor, o sensacional "A Blueprint Of The World", lançado em 1995. Essa é uma boa base de comparação para que os leitores tenham uma noção do nível do novo disco. No entanto, não serve de maneira alguma como rebaixamento do novo trabalho, que é incrível. Estar abaixo do debute não é demérito algum. De cem álbuns lançados nessa vertente um pouco mais pesada do progressivo, quatro/cinco têm potencial para se igualar ou, com bastante esforço, superar "A Blueprint Of The World".

publicidade

"Paint The Picture", "Rough Draft" e "Bite My Tongue" são exemplos de músicas espetaculares presentes neste novo álbum, com atuações indiscutíveis de Ted Leonard e Douglas A. Ott, que se apresentam melhores e mais precisos do que nunca.

"Colors Fade" e "Black Eyes & Broken Glass" são boas composições, mas que me deixaram atento à atuação de Paul Craddick, que seria o mais grave e, talvez, único problema dessa mudança de estilo do Enchant. Com essa nova tendência, esses toques alternativos, Craddick me parece meio preso - e um músico como ele, um baterista com a criatividade que possui, não pode ficar dessa forma nem por um segundo.

publicidade

Destaque principal para a seqüência das faixas três e doze, "What To Say" e "Know That", respectivamente, que provam que ainda há muita inspiração e sentimento a ser explorado por esse grupo. Músicas como essas têm alcance emocional raro de se ver. Harmonias e melodias perfeitas, para letras belíssimas, típicas da genialidade de Ted Leonard como escritor.

publicidade

Na produção, na capa, no encarte, nas músicas, seja onde for, você vai ver o mesmo Enchant, encantador, emotivo e humano de sempre, porém com uma sonoridade um pouco diferente. Vale a pena conferir.

Site Oficial – http://www.theoasis.cc

Ted Leonard (Vocais)
Douglas A. Ott (Guitarras)
Ed Platt (Baixo)
Paul Craddick (Bateria)
Mike Geimer (Teclados)

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Music Radar: Os maiores frontmen de todos os temposMusic Radar
Os maiores frontmen de todos os tempos

Mascotes de bandas: GigWise elege os 14 mais famososMascotes de bandas
GigWise elege os 14 mais famosos


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin