Lista: vocalistas que mudaram a história de suas bandas para sempre

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar Correções  

Desde os tempos mais primórdios do heavy metal, as bandas mudam de formação. Seja pelas famigeradas divergências musicais, seja por brigas entre os integrantes, não é nenhuma surpresa ver um grupo substituindo seus membros.

Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Metal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Algumas mudanças, contudo, mudaram para sempre a história das bandas, principalmente quando se fala em vocalistas. Confira a seguir alguns vocalistas que mudaram a história de suas bandas para sempre.

Brian Johnson (AC/DC)

O vocalista teve a árdua missão de substituir Bom Scott, morto em circunstâncias trágicas. Brian Johnson matou a responsabilidade no peito logo de cara, e meses após sua entrada, cantou no álbum "Back In Black", que é simplesmente o disco de rock and roll mais vendido da história.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Dali em diante, ele foi peça fundamental para o sucesso do AC/DC, banda que mesmo inativa, continua sendo um dos nomes mais emblemáticos do estilo.

Bruce Dickinson (IRON MAIDEN)

Apesar de ter feito um bom trabalhos nos dois primeiros discos do IRON MAIDEN, o vocalista Paul Di'Anno gostava de "curtir a vida adoidado", o que não deu muito certo. Para seu lugar, foi chamado Bruce Dickinson, que caiu como uma luva na banda e se consolidou como um dos maiores frontman da história do metal.

A história de Bruce no MAIDEN teve dois longos capítulos: o primeiro, de 1982 até 1993, quando gravou alguns dos maiores trabalhos do heavy metal, como "The Number of the Beast", "Powerslave" e "Somewhere in Time". Em 1999, ele voltou para a banda, onde continua até hoje, fazendo shows inesquecíveis.

Joey Belladonna (ANTHRAX)

Joey começou sua trajetória no ANTHRAX em 1985, com o excelente "Spreading the Disease". A sua presença de palco e excelente voz ajudaram a banda a se transformar em uma das maiores da história do thrash metal.

No início da década de 1990, Joey sairia do ANTHRAX, sendo substituído por outro excelente vocalista. Quinze anos depois, voltou para uma reunião que durou pouco tempo, porém, em 2010, assumiu novamente o posto de vocalista, que ocupa até hoje.

Michael Kiske (HELLOWEEN)

O HELLOWEEN estava começando a se tornar uma banda enorme quando recrutou o jovem vocalista Michael Kiske, que tinha apenas 18 anos quando se tornou integrante do grupo. Algum tempo depois, gravou os dois maiores álbuns da história do power metal, "The Keeper of The Seven Keys" (partes 1 e 2).

Mesmo que tenha saído da banda alguns anos depois, Kiske havia deixado sua marca e sua voz era referência para cantores espalhados pelo planeta. Para a sorte dos fãs, Kiske voltou a fazer parte da banda, cantando ao lado de outro grande cantor, que outrora, havia sido o seu substituto.

Mike Patton (FAITH NO MORE)

O FAITH NO MORE começou bem sua carreira, lançando dois bons álbuns nos anos 1980, "We Care a Lot" (1985) e "Introduce Yourself" (1987). Porém, o status da banda mudou assim que o vocalista Mike Patton substituiu Chuck Mosley, em 1988.

A criatividade e o talento de Patton ajudaram o FAITH NO MORE a se tornar um dos maiores ícones dos anos 1990, muito por conta do trabalho realizado nos excelentes "The Real Thing" (1989) e "Angel Dust" (1992). O vocalista conseguiu se encaixar perfeitamente na insana mistura de rock and roll, punk, funk, hip-hop e música pop feita pela banda.

Já no final dos anos 1990, o FAITH NO MORE encerrou atividades, porém, em 2009, os músicos se reuniram novamente. Apesar de mais um pequeno hiato, o grupo realizaria shows em festivais europeus e na Oceania este ano, porém, por conta da pandemia, os shows foram remarcados para 2021.

James LaBrie (DREAM THEATER)

O DREAM THEATER é a maior banda de prog metal que já pisou na Terra. O vocalista James LaBrie, que entrou no grupo em 1991, colaborou muito para o DT atingir esse patamar.

Seu primeiro trabalho foi "Images And Words", simplesmente o maior clássico do metal progressivo. De lá pra cá, foi a voz de outros trabalhos magníficos, como "Awake", "Falling Into Infinity", "Metropolis Pt. 2: Scenes from a Memory", "Octavarium" e "A Dramatic Turn of Events".

Apesar de criticado por alguns fãs, não há como negar que LaBrie mudou para sempre a historia do DREAM THEATER.

John Bush (ANTHRAX)

O vocalista John Bush, da banda ARMORED SAINT, tinha a dura tarefa de substituir Joey Belladonna no ANTHRAX. John não apenas substituiu muito bem, como ajudou a mudar o estilo de som da banda.

O thrash metal rápido, com forte influência de heavy, perdeu velocidade, ganhou peso e flertou com o groove metal em vários momentos. Por mais que o ANTHRAX não estivesse passando pelos seus dias mais felizes na década de 1990, lançou ótimos álbuns, com destaque para "Sound of White Noise".

Em 2003, foi lançado o excelente "We´ve Come For You All", um dos álbuns mais consistentes e pesados da carreira da banda. A performance de Bush neste álbum é formidável e digna de aplausos.

O último trabalho do vocalista com a banda foi "The Greater of Two Evils", que traz regravações de clássicos gravados por Neil Turbin e Joey Belladonna.

John Bush não faz mais parte do ANTHRAX, porém, sua passagem durou tempo suficiente para o vocalista conquistar um espaço enorme no coração de muitos fãs (inclusive no deste humilde redator).

Andi Deris (HELLOWEEN)

O HELLOWEEN já era uma banda consolidada em 1993, quando o vocalista Andi Deris foi anunciado. O desafio era grande, afinal de contas, substituir Michael Kiske não era nada fácil, ainda mais sabendo que Deris cantava em uma banda de hard rock, o PINK CREAM 69.

De lá pra cá, se passaram 27 anos, e Deris se mostrou a escolha certa. A sua voz combinou muito com a mudança na sonoridade da banda (que ficou mais pesada), ótimos discos foram lançados e de quebra, atualmente os vocais são divididos entre Deris e Kiske.

Anders Fridén (IN FLAMES)

O IN FLAMES é uma das bandas mais importantes do cenário sueco. A entrada do vocalista Anders Fridén, em 1995, possibilitou que disco após disco, o som apresentado pelo grupo fosse mudando de forma gradual.

Desde a sua entrada, o IN FLAMES foi passando por mudanças tanto no som quanto na formação, ao mesmo tempo em que o sucesso aumentava. Desde o melodic death metal apresentado nos maravilhosos "The Jester Race", "Whoracle" e "Colony", até o metal alternativo dos trabalhos mais recentes, Anders Fridén fez e faz seu melhor para manter o nome da banda em evidência.

Angela Gossow (ARCH ENEMY)

Até o final da década de 1990, o ARCH ENEMY era "apenas" um bom nome do metal europeu. Porém, a partir da entrada da vocalista alemã Angela Gossow, em 2000, as coisas mudaram muito para a banda capitaneada por Michael Amott.

Angela Gossow chocou o mundo com sua voz, que se encaixou perfeitamente no melodic death metal feito pela banda. Além de fazer com que o mundo conhecesse o ARCH ENEMY, o trabalho de Angela abriu muitas portas para mulheres no mundo do metal extremo.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentaisSaúde
Mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Metal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempoMetal
101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline WhipDin