Iron Maiden: vale a pena jogar o novo Legacy Of The Beast?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada
Enviar correções  |  Ver Acessos

Foi disponibilizado hoje, 5 de julho, o muito aguardado Iron Maiden: Legacy of The Beast, que está disponível de graça para iOS e Android. Mas será que vale a pena jogar? Acompanhe abaixo nossas primeiras impressões!

Bandas: Audiófilos elegem as maiores da história do rockBlack Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Depois de alguns minutos de loading, até longos demais, diga-se de passagem, somos levados a uma animação da destruição de uma espécie de esfera mágica e sua divisão em diversos pedaços.

Logo após um curto round tutorial, quando aprendemos a usar ataques básicos, habilidades e ultimates, o Clairvoyant explica que agora a alma de Eddie está dividida em cristais e que Eddie é um dos seres eternos, como a própria Clairvoyant.

Nosso objetivo? Recuperar os pedaços perdidos da alma de Eddie.

O sistema de progressão do jogo é similar a outros games de plataforma no mundo dos smartphones: você tem um mapa geral e dentro deles vários estágios com inimigos e que correspondem também à história, ou seja a jornada de Eddie para recuperar sua alma. Normalmente um round de história está intercalado com um round de batalhas. Estão disponíveis, no momento, quatro mapas, com o quinto, Night City, "chegando em breve".

Existe também um elemento de microgerenciamento entre cada round. É possível configurar seu time de aliados, adicionar vários power ups que adicionam status ao seu Eddie, subir de nível e gerenciar suas habilidades e talismãs. Essencial adicionar tal nível de progressão para manter os players com um sentimento de "estou fazendo alguma coisa".

Os gráficos são bonitos para um jogo mobile. Nada que seja muito polido ou pesado, como certos jogos de tiro ou carro atuais, mas nada que faça feio. É necessário dizer, porém, que o jogo travou na primeira utilização, falhando em carregar alguns renders e efeitos.

A trilha sonora, por sua vez, é obviamente o ponto alto do game. Temos uma das melhores bandas do mundo e um jogo licenciado por eles mesmos. É incrível poder jogar em um mundo temático do MAIDEN ouvindo músicas do MAIDEN.

A jogabilidade segue um divertido padrão de turnos/interatividade. Você escolhe seus ataques e depois os inimigos vão ter seu próprio turno. A efetividade de cada acerto, porém depende do timing que você aperta o botão pela segunda vez. Um toque para ativar a skill e um segundo quando os dois círculos de alvo se encontrarem, para atingir os vilões com ainda mais força.

E depois de tudo isso fica a pergunta: Vale a pena jogar? Claro que sim! É o MAIDEN, é de graça, é divertido. Não existe um lado ruim. Os fãs vão curtir muito e mesmo quem não é fanático pelo IRON MAIDEN vai ter um game bem competente em mãos.

Vá baixar agora mesmo.

Baixe o jogo para Android e iOS.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Iron Maiden"


Humor involuntário: as resenhas de discos da Rock Brigade na década de 80Humor involuntário
As resenhas de discos da Rock Brigade na década de 80

Iron Maiden: Nicko McBrain bravo com Mike PortnoyIron Maiden
Nicko McBrain "bravo" com Mike Portnoy


Bandas: Audiófilos elegem as maiores da história do rockBandas
Audiófilos elegem as maiores da história do rock

Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardBlack Sabbath
O dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

adGooILQ