Stillwater: botando fogo em Quase Famosos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Severo da Costa
Enviar Correções  

Em 2000, o cineasta e jornalista CAMERON CROWE dirigiu e roteirizou um dos melhores filmes tendo o rock ´n roll como o fio condutor da estória. "Quase Famosos" é baseado em sua experiência pessoal ao acompanhar, na qualidade de jornalista, LED ZEPPELIN, EAGLES e outros em turnê, durante os fervilhantes anos setenta. Para isso, o autor criou uma banda fictícia – STILLWATER - e, por meio de uma narrativa estradeira, teceu um resumo dos anos 70, ou seja, groupies, drogas e música nas horas vagas.

Mr Catra: Uma lista das suas maiores influências no rock (vídeo)

Cinema: As 10 melhores aparições de bandas em filmes

Além de ser um registro cinematográfico de primeiríssima linha, a cereja do bolo é a banda fictícia. STILLWATER é, na verdade, o nome de uma banda de southern rock da Georgia, que esteve na ativa nos anos 70 e 80 - e cujo uso do nome foi legalmente concedido apara a película. Isso fez com que muita gente acreditasse que o filme estivesse retratando um combo verdadeiro - na verdade CAMERON declarou que teceu uma colcha de retalhos ficcional, com características do LED, LYNYRD e ALLMAN BROTHERS.

A trilha sonora é uma verdadeira mina de ouro para os doentes como eu: THE WHO, ROD STEWART, BEACH BOYS etc, dão o tom da produção. Mas o grande destaque fica por conta da "banda que não existe" - com composições originais escritas por NANCY WILSON (do HEART e mulher de CROWE na época), PETER FRAMPTON e o próprio diretor (que preferiu não ser creditado). Contando com nomes como o próprio FRAMPTON, MIKE McCREADY (do PEARL JAM), MARTI FREDERIKSEN e a produção de GORDON KENNEDY, a banda "de mentira" dá pau em muitas que se levam a sério por aí.

Com cinco faixas, a STILLWATER fake faz um apanhado daquele hard blues setentão, carregado de drive valvulado e vocais em estado de abandono. "Fever Dog" é a simbiose ideal entre o som o blues manhoso do LED e a crueza do som sulista da década retratada: guitarras sensuais bem dosadas e uma cozinha arrastada como um trator.

Na sequência, "Love Thing" chega com um riff do melhor estilo dos primórdios da banda de MCCREADY, quente como brasa."Love Come And Goes" é a faixa perdida de algum disco do WHITESNAKE, com aquele pegada dos tempos blueseiros de MEL GALLEY - ou seja - boa até o osso!!!

O clima muda com a "Chance Upon You" uma declaração de respeito ao enquadramento melódico do LYNYRD dos tempos de "Street Survivors", mais envolto em outras influências além do country-blues. Para fechar com chave de Bourbon, "You Had To Be There" tem aquele climão de "Texxas ( com dois x) Jam 1978" - com todo mundo cantando o refrão junto.

Alguém tem uma máquina do tempo para me emprestar?

Track list:
"Fever Dog"
"Love Thing"
"Love Come And Goes"
"Chance Upon You"
"You Had To Be There"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Mr Catra: Uma lista das suas maiores influências no rock (vídeo)Mr Catra
Uma lista das suas maiores influências no rock (vídeo)

Cinema: As 10 melhores aparições de bandas em filmesCinema
As 10 melhores aparições de bandas em filmes


Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n'roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: [email protected]

Mais matérias de Paulo Severo da Costa no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin