Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemDave Mustaine cutuca Kiss e bandas "preguiçosas" que usam playbacks

imagemAC/DC: Angus Young conta como é para ele o antes, o durante e o depois de um show

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemA categórica opinião de Dave Mustaine sobre religião "abusiva e falsa" de sua mãe

imagemJoão Gordo diz que não torce pela seleção brasileira de futebol

imagemCinco bandas de rock que gravaram músicas de Michael Jackson, o Rei do Pop


Airbourne 2022

Sarcofago

Por Allan Jones
Em 06/04/06

O Sárcofago surgiu no meio da década de 80. A banda era o projeto de Wagner Lamounier, que já tocara com o pessoal do Sepultura.

A primeira gravação da banda foi feita para a coletânea "Warfare Noise", que foi lançada pela Cogumelo em 85.

Um ano depois eles debutaram com álbum "I.N.R.I". A produção deixava muito a desejar para quem não era admirador do Black metal cru e sem virtuose. Já para os que curtiam tosqueira e som ensurdecedor, era uma boa pedida. Algumas músicas do disco já eram muito comentadas no meio underground, caso de "Satanic Lust" e "Black Vomit".

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Os integrantes usavam pseudônimos como Antichrist, Incubus,Butcher.

A banda começou a fazer apresentações em Minas e mais tarde pelo resto do Sudeste. O fato que chamava atenção na banda, era o visual Black, no melhor estilo Kiss, com Maquiagens pesadas e roupas exóticas.

Eles demoram um tempo para soltar um novo álbum. Em 89 lançam "Rotting" e surpreendem a todos, a começar pela capa, que trazia um imagem que foi censurada em várias partes do mundo. A banda havia se tornado um trio, e tinha um novo baterista (que também não iria durar muito). "Rotting" traz a banda mais amadurecida, o visual foi deixado um pouco de lado e se concentraram mais na qualidade do som. Músicas como "Rotting" e "Sex , drinks & Metal" mostravam a força da banda que progredia a olhos vistos. Com este disco a banda que já era comentada nos EUA conquista fãs na Europa.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Como o passo seguinte tem sempre de ser maior, em 91 a banda lança o álbum que se tornaria um dos maiores clássicos do Death Metal. Em "The Laws of Scourge" voltam a ser um quarteto. Wagner acompanhado de seu fiel escudeiro, Gerald, se junta a Fábio Jhasko e Lúcio Olliver. O disco traz as canções "Midnight Queen", "Screeches from the Silence" e uma regravação de "Black Vomit" como destaques. A temática Black metal é deixada um pouco de lado durante esta fase. Com este disco o Sarcófago ganha status de grande banda, e aumenta a rivalidade com o Sepultura.

Após uma turnê na Europa, a banda começa a passar por problemas, mas ainda solta um EP chamado "Crush, Kill, Destroy". Esta canção se torna um clássico da banda. Mesmo com o vento soprando a favor, a crise na banda chega ao ápice com a saída de Fábio e Lúcio. Wagner e Gerald ao invés de arrumar novos integrantes, resolvem gravar sozinhos com a ajuda de uma bateria eletrônica e teclados arranjados por Eugênio "Dead Zone".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Em 94, eles soltam "Hate", que a crítica qualifica como um regresso, já que eles voltam a usar maquiagens monstruosas e blasfemar nas letras. A idéia dos integrantes era fazer músicas velozes, por isso a bateria eletrônica. Para não dizer que tudo estava perdido, "Orgy of Flies" e "God’s Faces" são boas músicas (que por curiosidade não foram feitas em alta velocidade).

Nesta época, o Sarcófago viveu um grande dilema, pois se eles reconquistavam o público da época de " I.N.R.I", perderiam o que eles havia conquistado em sua fase mais "light" (se assim podemos dizer).

Para tentar agradar á todos e se possível uní-los, um ano depois a Cogumelo solta uma coletânea dividida em meio a meio... metade com o Black sujo e agressivo do início de carreira, e a outra metade com o death pesado e técnico que lhes dera destaque.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Em 96, Wagner e Gerald resolvem dosar e lançam "The Worst", em que apesar de utilizar a bateria eletrônica, a idéia de alta velocidade fora abortada. Boas faixas são encontradas, como "God Bless The Whores" e "Army Of The Damned (The Prozac’s Generation)", além de mais uma regravação, desta vez da música "Satanic Lust".

Neste período, a mídia já dava apelidos à banda, coisas como "estranhos" ou "irrotuláveis".

Com a entrada do ano 2000, a banda joga mais um trabalho na praça, "Crust" (seria uma piada com o Bon Jovi?). O álbum lembra o famigerado "Hate", pois é violento e extremamente rápido. Permanecem como uma dupla, e não há indícios de que um dia possam voltar a ser uma banda.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Sarcófago: "Worst" relançado em versão de luxo, incluindo o EP "Crust" e pôster

Ex-integrantes do Mutilator, Sarcófago e MX formam nova banda, Into The Strange

Death Metal: 30 músicas para começar a se interessar pelo estilo


Darkthrone: Fenriz fala sobre Sepultura, Sarcófago, Gal Costa e Caetano Veloso

Metal: as 10 melhores bandas brasileiras segundo a Metal Hammer



Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones.