Em 14/11/2011 | Resenha - Alice In Chains (SWU, Paulínia, 14/11/11)

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Resenha - Alice In Chains (SWU, Paulínia, 14/11/11)

Postado por Suellen Carvalho

  | Comentários:

Assim que encerrou o SWU de 2010, Eduardo Fischer, idealizador do festival, em um vídeo no canal do SWU no YouTube, declarou que para 2011 traria o System Of A Down e o Alice In Chains. Bom, o SOAD acabou indo para o Rock In Rio e o Alice, lembro claramente quando recebi uma ligação com a notícia de que a banda havia sido confirmada como uma das atrações do festival. Era de manhã, eu havia acabado de chegar ao trabalho, não consegui segurar a emoção… Alice é a minha banda preferida não-Metal/não-Beatles e desde que voltou à ativa com a chegada do vocalista William DuVall eu aguardava, ansiosa, a passagem deles aqui pelo Brasil. E enfim o dia 14 de Novembro chegou e finalmente eu teria a chance de conferir ao vivo todas aquelas músicas que foram muito importantes na minha vida e me emocionaram por muito tempo.

O texto representa a opinião do autor, não do Whiplash.Net ou de seus editores.

Claro que a ausência de Layne Staley sempre será sentida fortemente pelos fãs. A sua voz inigualável, a força e emoção que transmitia quando cantava eram únicas. Sempre me emociono ao ver vídeos de Staley, principalmente o MTV Unplugged que devo conhecer de cor de tanto que já assisti. Mas infelizmente ele não está mais entre nós e a vida tem que seguir. A decisão da banda de prosseguir com o ótimo William DuVall foi mais do que acertada. Prova disso é o excelente disco lançado em 2009 por esta nova formação – Black Gives Way To Blue. E apesar do timbre semelhante ao de Staley, DuVall tem personalidade e estilo próprio. Por isso fico muito brava quando leio coisas por aí tentando comparar a performance dos dois vocalistas, chamando o Alice de banda “recauchutada”, “cover de si mesma”, como se o retorno com um novo vocal fosse somente uma atitude oportunista, uma forma de “caça-níquel” ignorando completamente o fato de que o principal compositor da banda, o talentoso guitarrista Jerry Cantrell, continua vivo e ainda tem muita coisa a mostrar. E que bom que William DuVall consegue dar conta da responsabilidade de substituir um talento único como Layne Staley. Não haveria melhor forma de homenagear Staley do que seguir em frente. Após este desabafo, vamos ao show.

Depois de uma apresentação rápida, porém arrasadora do Megadeth, foi difícil segurar a ansiedade durante o Stone Temple Pilots. Não conseguia me concentrar em curtir o show uma vez que não parava de olhar para o outro palco que já estava sendo preparado para receber o AiC.

E um dos pontos positivos do SWU sempre foi a pontualidade então assim que acabou o STP, a movimentação em frente ao palco Consciência ficou intensa.

inalmente por volta de meia-noite, o Alice In Chains entrou no palco, já com o berro que marca a introdução de “Them Bones”. E o início do show não poderia ter sido melhor do que com a trinca que abre o disco de maior sucesso da banda, o “Dirt”: as pesadas “Them Bones” e “Dam That River” seguida pela intensa “Rain When I Die”. Por alguns segundos até cheguei a acreditar que a banda tocaria o “Dirt” na íntegra – o que acabou não acontecendo mas pelo menos mais da metade deste álbum marcou presença visto que mais 4 músicas dele ainda seriam executadas naquela noite. E que legal ver o público participando e cantando empolgadamente. Sem dúvidas o Alice In Chains era a banda mais aguardada da noite, afinal foram 18 anos de espera!!! E essa animação dos fãs levou a William DuVall dizer, em um português esforçado, “Estamos muito felizes em estar aqui… finalmente!”

A sequência “Dirt” foi quebrada pela empolgante “Again”, com a plateia pulando muito debaixo de uma chuva bem pesada. Mas quem disse que o temporal atrapalhava algo? Diria até que combinava perfeitamente com o clima das músicas do Alice e as constantes chuvas de Seattle. E parece que Jerry Cantrell também achava o mesmo pois brincou dizendo que, apesar de estarmos alí em pé, debaixo do temporal, há muito mais tempo que eles, tudo parecia muito bem.

Hora de música “nova”, “Check My Brain”, que teve uma ótima recepção, com a plateia cantando bastante o refrão grudento, mostrando a força desta atual formação da banda, seguida por mais uma da fase Layne, “It Ain’t Like That”.

Quebrando um pouco o clima mais agitado que ditava o show até então, Jerry Cantrell assume o microfone e canta a belíssima “Your Decision”. E conforme eu já havia previsto, impossível segurar as lágrimas nesta canção. Em seguida “Got Me Wrong”, ainda com Cantrell no vocal principal, brincando com os fãs antes do refrão, perguntando “How do you feel?” (“I haven’t felt like this in so long…”). Mais perfeito, impossível!

O show seguiu com “We Die Youg”, colocando a galera para pular novamente, e “Last Of My Kind” do “Black Gives Way to Blue”.

E então viria o momento mais emocionante para mim em todo o show e talvez um dos mais emocionantes da minha vida. Logo no primeiro dedilhado eu reconheci imediatamente “Down In A Hole”. Se até então eu ainda não havia sentido tanto a ausência de Layne Stanley, aquele foi o momento. Down In A Hole é minha música preferida do Alice e muito por conta da emocionante perfomance de Layne no MTV Unplugged, além de a letra ser uma das coisas mais lindas e tristes que existem neste mundo! E a banda executou esta canção de forma perfeita naquela noite levando as lágrimas muitos dos que estavam alí presentes.

E quando eu achava que nada poderia mais emocionar tanto, Jerry Cantrell fala que aquele é um novo dia e eles nunca se esqueceram de onde vieram, “This one is for Layne and Mike…” a belíssima balada “Nutshell”. E só mesmo o Alice In Chains pra fazer 70 mil pessoas berrarem “I’d feel better dead…” como se a fosse a coisa mais natural do mundo. No final da canção, um Jerry Cantrell bastante emocionado diz que uma coisa certa é que eles voltarão bem em breve ao nosso país.

O clima arrastado continuou com ”Acid Bubbles”, a música mais estilo Black Sabbath do útimo disco do AiC e “Angry Chair” (mais uma do “Dirt”, a quinta até então). E sem nenhuma pausa, emendando com a distorção do fim de “Angry Chair”, o maior hit da banda, “Man In The Box”, presente em qualquer festinha rock até hoje, aqui no Rio. Hora de se esgoelar com o refrão. O maior coral do noite!

William DuVall, já com o jogo ganho naquela noite, em um momento fofura, diz em português, “Alice In Chains ama o Brasil” e Jerry Cantrell pergunta se queremos cantar mais. A música que veio depois disso foi “Rooster”, mais uma forte letra com a assinatura de Cantrell sobre as experiências vividas por seu pai na Guerra do Vietnam. Outro belo e emocionante momento que termina com muitos aplausos e a palavra PEACE no fundo do palco.

E o show vai encaminhando para o seu fim com “No Excuses” que tem um dos versos mais fofinhos de todas as músicas já feitas pelo Alice. “You, my friend, I will defend/And if we change, well, I love you anyway”. Verso que gritei com quase toda a força que ainda tinha dentro de mim.

Quase toda porque o melhor eu tinha que guardar para o final.

Duvall, novamente em português, nos agradece por ficarmos na chuva e pede ajuda para cantar só mais uma, a última. E claro que todos já sabiam qual era. Baixo e batera – aliás, Mike Inez (vestido com uma camisa do Manifesto, o bar) e Sean Kinney foram perfeitos durante todo o show – compondo uma introdução inconfundível e tão forte que dá pra sentir a vibração no peito, “Would?”, a sétima música do marcante ‘Dirt” a ser tocada naquela noite e para mim, uma das mais marcantes dos anos 90. Não haveria melhor maneira de encerrar esse memorável show, que termina com a banda sendo ovacionada e músicos emocionados com William DuVall afirmando que somos a plateia mais bonita para qual já tocou.

É claro que é bastante suspeito eu falar que este foi o melhor show do SWU mas sem dúvidas foi o mais emocionante e o que mais gerou expectativa. Afinal, era uma espera desde 1993 e uma perda irreparável de um vocalista com um talento único e muito querido pelos fãs. No fim foi tudo lindo! Clássicos e músicas novas combinaram perfeitamente. Não teria como ser melhor!

Obrigada Eduardo Fischer por cumprir sua promessa e trazer o Alice para mim, apesar de todos os percalços e desorganização que tanto discutimos por aqui. No fim das contas, mesmo com toda a lama, chuva, frio, estacionamento caríssimo e carro atolado, aquelas algumas horas em que nos emocionamos com músicas tão queridas compensam todos esses obstáculos.

E que Jerry Cantrell cumpra sua promessa também e volte muito em breve. Com disco novo, de preferência.

Vida longa ao Alice In Chains!

Acesse a matéria original no Minuto HM para ver fotos, vídeos e o setlist do show da banda!

http://minutohm.com/2011/11/23/cobertura-minuto-hm-alice-in-...

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Outras resenhas de Alice In Chains (SWU, Paulínia, 14/11/11)

Alice In Chains: banda estava em grande forma no SWU


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Resenhas de Shows
Todas as matérias sobre "Alice In Chains"
Todas as matérias sobre "SWU Festival"

Parcerias Brilhantes: duplas que marcaram história
Homenagens: Canções inspiradas em músicos falecidos
Alice In Chains: doze anos sem Layne Staley
Cobain: músicos do Korn, Judas, Pantera e AIC falam sobre legado
Alice in Chains: músicas do "Black Gives Away" com Layne no vocal
Alice In Chains: banda comove Phil Anselmo com serenata
Alice In Chains: preparando turnê acústica?
Vocalistas: belíssimos timbres de alguns cantores de rock
Les Claypool: versão inusitada de "Man in The Box" do AiC
Alice In Chains: guitarrista ensina como usar seu prêmio MTV
Alice in Chains: Banda ainda tem muito a contribuir com o Rock
Tarja: fã de Jogos Mortais, A7x, Alice in Chains e Disturbed
NoiseCreep: os 10 melhores riffs de hard rock dos anos 1990
Alice in Chains: vídeos em HD de show na Inglaterra
Tim 'Ripper' Owens: cover de "Man In The Box" do AIC ao vivo

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Suellen Carvalho

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados.

Caso seja o autor, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas