Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemMetallica: a explicação da banda para o volume do baixo no And Justice For All

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemLars Ulrich: "Não sou um baterista particularmente talentoso"

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemDave Mustaine diz que perdoa Ellefson, mas nunca mais fará música com o baixista

imagemRevista Veja diz que Rock in Rio virou "túmulo do rock" e explica motivo

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione


Stamp

Emperor: finalmente Satã está entre nós!

Resenha - Emperor (Audio, São Paulo, 20/05/2022)

Por Diego Camara
Em 30/05/22

Demorou, mas os fãs do black metal podem gritar "finalmente!". Depois de tantos anos, o EMPEROR finalmente realizou seu show no Brasil, com Ihsahn, uma das melhores coisas que já saiu da Noruega musicalmente. Um artista genial, com um conhecimento amplo da música e grande criatividade. Para um show de estreia, o Emperor não merecia menos do que uma Áudio lotada, como raramente se vê em shows do gênero. O show teve tudo o que os fãs esperavam. Confira abaixo os principais detalhes da primeira e única apresentação no Brasil.

LOCKDOWN

O show contou com a abertura da banda LOCKDOWN, projeto criado durante a pandemia que conta com João Gordo (Ratos de Porão), Antônio Araujo (Korzus), Rafael Yamada (Claustrofobia) e Bruno Santin (Endrah). A banda mostrou um excelente repertório, com uma pegada de death metal agressiva e potente. O som da Audio ajudou muito também, pois vimos um som limpo e bastante cru, voltado para as guitarras, com as baterias potentes e os vocais de João Gordo cobrindo bem todo o repertório da banda.

A banda trouxe músicas de seu primeiro EP, "Unholy Ceremony Heretic", além de tocar "Máquina Militar", um dos sucessos do Ratos de Porão, e um excelente cover de "Raining Blood", que levantou o público e preparou o show para o Emperor. O público que chegou cedo conseguiu aproveitar a banda, e valeu bastante a pena curtir um projeto novo no Brasil, com alguns dos grandes expoentes do gênero tentando algo novo. Quem puder tente ouvir o EP e ver por si.

Setlist Lockdown:

Archangel
Hymn of Hate
Unholy Ceremony Heretic
Black Demons Reign
Desprezo
Máquina Militar (música dos Ratos de Porão)
Raining Blood (cover do Slayer)

EMPEROR

Após o fim do show, o público aumentou expressivamente na casa. Muitas pessoas se amontoaram em torno da pista, nas áreas laterais, os camarotes estavam cheios. Um grande público foi a Audio para ver o show da banda, um dos maiores públicos para um show de Black Metal que vi em muito tempo. Não é por pouco que o Emperor é um verdadeiro ícone do gênero, que ajudou a definir todo um estilo de se fazer música na Noruega.

A banda começou o show com tudo, e a qualidade da casa fez a diferença no som da banda, dando a ela o toque de crueza necessário para fazer explodir a casa. O público se empolgou desde o início, gritando muito pela banda e fazendo uma roda no centro da pista, em um bate cabeça insano já no primeiro minuto.

O Emperor é uma banda clássica, preocupada bastante com a técnica e a qualidade do som. Sem nenhuma performance arrojada no palco, entregam apenas a boa música em um show minimalista, onde até as luzes assumem um papel secundário. E disso o público não podia reclamar por nem um instante: em todas as músicas, tudo estava lá, o ritmo, as baterias insanas de Torson, as belas guitarras e os vocais crus e rústicos de Ihsahn.

Dos destaques do show, chamo a atenção para "With Strenght I Burn", música do "Anthems" que deixou o público alucinado e cantando junto nos belos vocais limpos da música. É muito bonito como a banda transita entre o estilo sinfônico e o black metal cru, como também faz transições extremamente belas nos vocais, mudando às vezes completamente o ritmo ou a presença da banda no palco.

Mas foi com "I Am The Black Wizards" que a coisa ficou realmente séria. Um dos grandes sucessos da banda quase fez a casa tremer de tanta empolgação do público, que gritou, cantou junto e fez grande alvoroço na pista, com um moshpit frenético que foi de uma ponta a outra. "Inno a Satana" veio logo em seguida, com grande apoio dos fãs, que gritaram junto com Ihsahn para apresentar a música, além de acompanhar o refrão a plenos pulmões.

A banda fez uma pequena pausa, para voltar logo em seguida para fechar o show com outras duas músicas finais. A pegada firme continuou até o final, com grandes agradecimentos de Ihsahn pela presença do público e uma promessa de voltarem em breve. Quem sabe podemos ver, em alguns anos, um show solo dele por aqui também.

Setlist:

In the Wordless Chamber
Thus Spake the Nightspirit
Ensorcelled by Khaos
The Loss and Curse of Reverence
The Acclamation of Bonds
With Strength I Burn
Curse You All Men!
Towards the Pantheon
The Majesty of the Nightsky
I Am The Black Wizards
Inno A Satana
Alsvartr (The Oath)
Ye Entrancemperium
Cosmic Keys to My Creations & Times

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Faust foi primeira pessoa a fazer contato quando ficou público que Gaahl era gay

Perdeu o Emperor no Brasil? Assista show completo do grupo no Alcatraz Festival

Ibaraki une integrantes do Trivium, Emperor e My Chemical Romance em faixa

Metal Extremo: os 25 melhores álbuns de todos os tempos

Metal: em vídeo, 10 bandas satanistas de fato


Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre

Mais matérias de Diego Camara.