RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemRolê aleatório: Geoff Tate e Rhapsody se divertem em aeroporto no aeroporto

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemA medida extrema que Dio pensou em tomar por não curtir "Rainbow in the Dark"

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemMike Portnoy comprou "Piece Of Mind", do Maiden, em excursão escolar

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco


Aristocrats: música instrumental para humanos

Resenha - Aristocrats (Carioca Club, São Paulo, 15/11/2016)

Por Fernando Yokota
Postado em 20 de novembro de 2016

O velho Aristóteles nos lembra que a aristocracia é, como indica sua etimologia, é o "governo dos melhores". Se o sábio estagirita estivesse escrevendo o livro terceiro da sua Política em pleno fim do úmido feriado da proclamação da república em São Paulo, não hesitaria em trazer, a título de alegoria, a lembrança de três rapazes engraçados que, certamente, eram os melhores naquilo que faziam.

Guthrie Govan, Bryan Beller e Marco Minnemann passaram por São Paulo e a última preocupação deles era a de escrever um tratado sobre as formas de governo. O intuito da inédita vinda dessa joia da música instrumental em solo brasileiro era a de promover seu último trabalho, Tres Caballeros, e demonstrar o uso de toda a caixa de ferramentas musical à disposição do impressionante trio (vale lembrar que os dois últimos são também a cozinha da banda de JOE SATRIANI e voltam ao país no mês que vem acompanhando o icônico guitarrista).

Diferentemente da grande maioria dos shows de música instrumental, a apresentação desses três cavalheiros acaba por não produzir o efeito modorrento que acomete boa parte da concorrência. A grande virtude do trio é a de entregar ao público o gordo saco de virtuosismo numa embalagem de bom humor e das histórias que circundam a composição dos temas.

Mas que o leitor não se engane aqui: os ARISTOCRATS não são apenas um trio "engraçadinho" com boas histórias. Além do domínio sui generis de seus instrumentos, as composições são excelentes. Mesmo quando Beller, o baixista, apresenta Louisville Stomp como um "jazzinho de merda", ou Texas Crazypants como um nome que ele tirou depois de um episódio maluco quando se mudava de Nashville para a Califórnia, o que a banda oferece vai além de meras camas harmônicas que servem de desculpa para que eles possam fritar seus instrumentos.

Além da boa música e da execução melhor ainda, a apresentação dos ARISTOCRATS da ainda espaço para uma dose de conhecimentos gerais com a chuva de carniça vomitada por abutres no Kentucky do século XIX que inspirou Govan, o guitarrista, a escrever The Kentucky Meat Shower; a referência a fenômenos culturais atuais como Breaking Bad; a "desculpa" para Beller escrever a grudenta e espaguética Smuggler's Coorridor (que poderia ser a trilha sonora de qualquer filme de Tarantino, Jarmusch ou Aki Kaurismäki); a tragicomédia de Minnemann ao contar sobre quando quase foi levado por um tornado (ao apresentar Desert Tornado); ou, mais importante, a reflexão acerca do choque cultural que um trio formado por um americano, um inglês e um alemão não poderia exemplificar de forma melhor como podemos ser tão diferentes e tão iguais ao mesmo tempo (Culture Clash).

De um encontro com a aristocracia musical, em que nenhuma nota fora deixada para trás, chega a ser irônico pensar que a mais forte recordação que se possa levar dessa noite é a empatia entre a pista e o palco, a estranha e prazerosa sensação de que em meio àquela música tão complexa e precisamente executada o elemento humano ainda prevalece. De maneira até simbólica, isso fica latente nos momentos em que eles largam seus instrumentos e empunham seus porcos e galinha de borracha. Ao invés do espanto com a técnica, eles passam a produzir o riso da plateia.

[an error occurred while processing this directive]

Os ARISTOCRATS têm a sagacidade de perceber que se o que atrai o público é o aspecto quase mítico da técnica de seus integrantes, o que cativa as pessoas ainda é o lado humano e nada perfeito: no fim, para estabelecer contato com as pessoas, a música deixa de ser fim para ser apenas meio. A magia, enfim, acontece justamente nesse instante em que a aristocracia desce à ágora (ou, no caso, ao Largo da Batata) e mostra que é gente como eu ou você: os seres humanos, lembra Aristóteles, ainda são animais políticos.

[an error occurred while processing this directive]

(com o agradecimento à 4 Fun Fest pelo credenciamento)

Setlist:

Stupid 7
Jack's Back
Texas Crazypants
Pressure relief
Louisville Stomp
Culture Clash
Pig's day off
Desert Tornado
Smuggler's Corridor
The Kentucky Meat Shower
Get it Like That

Os ARISTOCRATS são:

Guthrie Govan: guitarra
Bryan Beller: baixo
Marco Minnemann: bateria

[an error occurred while processing this directive]

[an error occurred while processing this directive]

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal