Cavalera Conspiracy: resenha e fotos do show em Porto Alegre

Resenha - Cavalera Conspiracy (Bar Opinião, Porto Alegre, 23/05/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Dias
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

A cidade de Porto Alegre recebeu, na noite do sábado dia 23 de Maio, o retorno do Cavalera Conspiracy, dos irmãos Max e Igor. Vieram para apresentar o seu novo trabalho, o disco chamado "Pandemonium". O local escolhido foi o mesmo da apresentação que ocorreu em menos de um ano atrás. O bar Opinião não estava lotado como no ano passado, porém o público que esteve presente não deixou a desejar em momento algum.

Sepultura: Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in RioSlipknot: "para cada Mustaine falando merda há um Hetfield"

Fotos por: Liny Oliveira

A abertura ficou por conta da banda gaúcha "It's All Red", que irá lançar o álbum "Lead By The Blind" no segundo semestre desse ano. A banda é formada por Tom Zynski (vocal), Juliano Angelo (guitarra) e os irmãos Siqueira, Rafael (guitarra), Renato (bateria) e Gabriel (baixo), a banda foi muito coesa durante todo o seu show. A primeira da noite foi a que dá nome ao novo trabalho, "Lead By The Blind". Um grande atrativo foi "Only", cover do Anthrax que foi muito bem recebido pelo público que ocupava a casa.

Um grande atrativo foi "Only", cover do Anthrax que foi muito bem recebido pelo público que ocupava a casa. Em "Victoria Needs To Lose", Tom apresentou a banda e também o filho de Rafael, Arthur, que ficou no palco a música inteira, com a sua guitarra de brinquedo, descontraindo bastante o clima do show. Com uma bandeira do Rio Grande do Sul nas mãos, Tom Zynski dedicou "Steps Of Ancient Elephants" para o Cavalera Conspiracy e seus fãs.

Próximo das 20 horas o público começou a ocupar mais os espaços do bar. Max subiu no palco e antes de qualquer coisa pediu para o público balançar tudo. Além de Max (vocal/ guitarra) e Igor (bateria), estavam presentes no palco Marc Rizzo (guitarra) e Johny Chow (baixo, STONE SOUR). "Babylonian Pandemonium", faixa que abre o novo trabalho da banda, foi a escolhida para abrir o show.

"Santuary" e "Terrorize" do disco "Inflikter" (2008) foram tocadas na sequência. A resposta do público com relação ao início do show foi muito boa, porém com os covers de "Refuse/ Resist" e "Territory" do Sepultura, o público foi insano, assim como Max, que inclusive deitou no palco nesse momento. O projeto Nailbomb não ficou de fora, a pesada e cadenciada "Sum of Your Achievements" foi a escolhida.

Antes dos fãs pedirem por mais Sepultura, a banda apresentou um medley com "Beneath the Remains", "Desperate Cry" e "Troops of Doom". Em "Killing Inside" (Brunt Force Trauma, 2011) Max para todo o público cantar com ele, que foi devidamente atendido. "We Who Are Not as Others" (Sepultura) foi finalizada apenas com Igor na bateria e Max no surdo que foi colocado em frente ao palco.

Para o início do bis "Attitude" (Sepultura) e Inflikted abriram uma grande roda na pista. "Orgasmatrom" (Motörhead) teve na sua introdução um trecho de "Iron Man" (Black Sabbath) e o seu encerramento com um trecho de "Walk" (Pantera). A derradeira foi sem duvidas, "Roots Bloody Roots" do Sepultura que tremeu a pista, tamanha a reação do público presente.

Os fãs de verdade estiveram presentes, e foi especial para cada um deles, como na última vez. Um novo retorno pode não estar perto, mas ocorrerá e com certeza será matador novamente.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Cavalera Conspiracy"Todas as matérias sobre "Sepultura"


Sepultura: Andreas Kisser usará guitarra com cores do movimento LGBT no Rock in RioEm 02/09/1993: Sepultura lançava o clássico "Chaos A.D."

Sepultura: novo álbum já tem nome, diz Andreas KisserSepultura
Novo álbum já tem nome, diz Andreas Kisser

Petbrick: ouça novo single de projeto experimental de Iggor Cavalera

Max Cavalera: ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentarMax Cavalera
Ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentar

Sepultura: veja entrevista de Andreas Kisser no programa CMCHRodz Online: Sepultura vs Max Cavalera (vídeo)

Sepultura: banda já está gravando sucessor de Machine MessiahSepultura
Banda já está gravando sucessor de "Machine Messiah"

Collectors Room: os 50 anos de Max Cavalera (vídeo)

Phil Anselmo: Max Cavalera sobe ao palco para uma canjaPhil Anselmo
Max Cavalera sobe ao palco para uma canja

Petbrick: projeto experimental de Iggor Cavalera anuncia novo álbum

Greta Van Fleet: Jake Kiszka ouve guitarristas brasileiros e fica fã de ChimbinhaGreta Van Fleet
Jake Kiszka ouve guitarristas brasileiros e fica fã de Chimbinha

Sepultura: Gloria libera demo inédita da Roots Bloody RootsSepultura
Gloria libera demo inédita da "Roots Bloody Roots"

Top 5: discos de metal nacional com nomes de outros estilosTop 5
Discos de metal nacional com nomes de outros estilos


Slipknot: para cada Mustaine falando merda há um HetfieldSlipknot
"para cada Mustaine falando merda há um Hetfield"

Chester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellChester Bennington
A tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Regis Tadeu: a tsunami de lixo musical da atual música brasileiraRegis Tadeu
A tsunami de lixo musical da atual música brasileira

Guitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a TimeRolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 90Scorpions: James Kottak fala sobre da vida fora da banda e planos para 2018Metal: As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos

Sobre Guilherme Dias

Fanático por heavy metal e hard rock desde os 12 anos de idade. Coleciona CDs e LPs, principalmente do Helloween e seus derivados. Colabora com o site desde 2013. Nasceu em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

Mais matérias de Guilherme Dias no Whiplash.Net.

adGooILQ