Cavalera Conspiracy: resenha e fotos do show em Porto Alegre

Resenha - Cavalera Conspiracy (Bar Opinião, Porto Alegre, 23/05/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Guilherme Dias
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

A cidade de Porto Alegre recebeu, na noite do sábado dia 23 de Maio, o retorno do Cavalera Conspiracy, dos irmãos Max e Igor. Vieram para apresentar o seu novo trabalho, o disco chamado “Pandemonium”. O local escolhido foi o mesmo da apresentação que ocorreu em menos de um ano atrás. O bar Opinião não estava lotado como no ano passado, porém o público que esteve presente não deixou a desejar em momento algum.

35 acessosSepultura: Mais fácil obter êxito com uma banda do zero?5000 acessosRodolfo Abrantes: "Raimundos como banda não me interessa"

Fotos por: Liny Oliveira

A abertura ficou por conta da banda gaúcha "It’s All Red", que irá lançar o álbum "Lead By The Blind" no segundo semestre desse ano. A banda é formada por Tom Zynski (vocal), Juliano Ângelo (guitarra) e os irmãos Siqueira, Rafael (guitarra), Renato (bateria) e Gabriel (baixo), a banda foi muito coesa durante todo o seu show. A primeira da noite foi a que dá nome ao novo trabalho, "Lead By The Blind". Um grande atrativo foi "Only", cover do Anthrax que foi muito bem recebido pelo público que ocupava a casa.

Um grande atrativo foi "Only", cover do Anthrax que foi muito bem recebido pelo público que ocupava a casa. Em "Victoria Needs To Lose", Tom apresentou a banda e também o filho de Rafael, Arthur, que ficou no palco a música inteira, com a sua guitarra de brinquedo, descontraindo bastante o clima do show. Com uma bandeira do Rio Grande do Sul nas mãos, Tom Zynski dedicou "Steps Of Ancient Elephants" para o Cavalera Conspiracy e seus fãs.

Próximo das 20 horas o público começou a ocupar mais os espaços do bar. Max subiu no palco e antes de qualquer coisa pediu para o público balançar tudo. Além de Max (vocal/ guitarra) e Igor (bateria), estavam presentes no palco Marc Rizzo (guitarra) e Johny Chow (baixo, STONE SOUR). "Babylonian Pandemonium", faixa que abre o novo trabalho da banda, foi a escolhida para abrir o show.

"Santuary" e "Terrorize" do disco "Inflikter" (2008) foram tocadas na sequência. A resposta do público com relação ao início do show foi muito boa, porém com os covers de "Refuse/ Resist" e "Territory" do Sepultura, o público foi insano, assim como Max, que inclusive deitou no palco nesse momento. O projeto Nailbomb não ficou de fora, a pesada e cadenciada "Sum of Your Achievements" foi a escolhida.

Antes dos fãs pedirem por mais Sepultura, a banda apresentou um medley com "Beneath the Remains", "Desperate Cry" e "Troops of Doom". Em "Killing Inside" (Brunt Force Trauma, 2011) Max para todo o público cantar com ele, que foi devidamente atendido. "We Who Are Not as Others" (Sepultura) foi finalizada apenas com Igor na bateria e Max no surdo que foi colocado em frente ao palco.

Para o início do bis "Attitude" (Sepultura) e Inflikted abriram uma grande roda na pista. "Orgasmatrom" (Motörhead) teve na sua introdução um trecho de "Iron Man" (Black Sabbath) e o seu encerramento com um trecho de "Walk" (Pantera). A derradeira foi sem duvidas, "Roots Bloody Roots" do Sepultura que tremeu a pista, tamanha a reação do público presente.

Os fãs de verdade estiveram presentes, e foi especial para cada um deles, como na última vez. Um novo retorno pode não estar perto, mas ocorrerá e com certeza será matador novamente.


















GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Thrash MetalThrash Metal
Os melhores álbuns de 1983 a 2016

35 acessosSepultura: Mais fácil obter êxito com uma banda do zero?630 acessosFilhos: músicos de peso falam sobre como influenciam suas vidas2438 acessosSepultura: documentário terá exibição única nos cinemas do Brasil862 acessosSepultura: mais datas e trailer da turnê europeia0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

SepulturaSepultura
Andreas Kisser explica dificuldades para uma reunião

RockersRockers
Dez músicos que os fãs gostariam de ver de volta

Max CavaleraMax Cavalera
Morte de Dimebag influenciou reconciliação com Igor

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 28 de maio de 2015

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Cavalera Conspiracy"0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"

Rodolfo AbrantesRodolfo Abrantes
"Raimundos como banda não me interessa"

AC/DC a ZZ TopAC/DC a ZZ Top
As origens dos nomes de bandas e artistas de rock e heavy metal

Rixa?Rixa?
Lynyrd Skynyrd x Neil Young - Amigos ou inimigos?

5000 acessosSeparados no nascimento: Kirk Hammet e Sky Blu (LMFAO)5000 acessosU2: Miley Cyrus dá vexame tentando cantar "One"5000 acessosTrilhas sonoras rock: Top 10 do LA Vynil Records Examiner5000 acessosVinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?5000 acessosYngwie Malmsteen: Blackmore foi o último que o impressionou5000 acessosKEGL: Synyster Gates entre os 10 melhores guitarristas da história

Sobre Guilherme Dias

Sou Guilherme Figueiró Dias, de Porto Alegre, estudante de educação física, tenho 23 anos e sou fanático por música e futebol, especialmente hard rock e heavy metal. Preferências entre Helloween, Gamma Ray, Pink Cream 69, Bon Jovi, Hellacopters, Michael Kiske, entre outros. O que gosto realmente de fazer (além de torcer, cantar e pular pelo Grêmio na Geral) é curtir um bom show das bandas que eu adoro e tomar umas cervejas pra celebrar a vida.¨

Mais matérias de Guilherme Dias no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online