Unmasked Metal Fest: Quem disse que underground está morto?

Resenha - Unmasked Metal Fest (Planet Music, RJ, 21/02/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Sigried Neutzling Buchweitz
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Underground morto? Rock morto?!? Não creio. Nunca acreditei. E o evento que aconteceu no último fim de semana, que reuniu mais de 600 pessoas, comprova isso.

Hatefulmurder: entrevista para Jenny on the RocksSeparados no nascimento: Ian Hill e Stênio Garcia

Os anfitriões, que estão divulgando seu novo álbum, Machina
Os anfitriões, que estão divulgando seu novo álbum, Machina
A enorme fila que se formou na porta da Planet Music, digna dos tempos do Garage, na Rua Ceará
A enorme fila que se formou na porta da Planet Music, digna dos tempos do Garage, na Rua Ceará

A banda Unmasked Brains fez um festival com mais outras sete da cidade do Rio, com tudo financiado por eles: som e luzes de primeira qualidade, dignos das melhores casas de shows, na simplicidade da Planet Music. Os motivos? Divulgar o seu novo CD Machina e fazer reviver momentos memoráveis como os aniversários do Garage. Pelo jeito que estava aquele lugar, eles conseguiram: eles lotaram não apenas a casa de shows, mas toda a Avenida Ernani Cardoso, onde ela está situada...

A galera agitando muito no primeiro show, da banda Killrape
A galera agitando muito no primeiro show, da banda Killrape

Todas as bandas tiveram excelente público (mesmo os anfitriões, que acabaram tocando depois das três da manhã, para os heróis que ainda estavam em pé àquela hora), todos da plateia divertiram-se como se não houvesse amanhã.

As meninas da Melyra detonando tudo, merecidamente ovacionadas pela galera que estava lá
As meninas da Melyra detonando tudo, merecidamente ovacionadas pela galera que estava lá

Todas as bandas apresentaram shows primorosos, como era de se esperar. Vários da platéia estavam ali pela primeira vez e viram um monte de novidades. Foi lindo. Apesar do calor, apesar das dificuldades de levar um evento como aquele, com estrutura jamais vista no underground, foi mais que bem sucedido.

Tamuya Thrash Tribe agitando a galera
Tamuya Thrash Tribe agitando a galera

Na minha humilde opinião, acho que o evento só não foi ainda mais prestigiado por duas razões: atualmente, rock não é o gênero musical em que pousam os olhos dos grandes investidores (patrocínios cairiam muito bem, ajudariam por exemplo a alugar um local com mais capacidade) e, um público maior, nesse processo de "boca a boca" vem mesmo é com o tempo. Tomara que aqueles que frequentaram o underground pela primeira vez ali tomem gosto pela coisa e passem a ir mais a eventos autorais, serão muito bem vindos.

A galera cantando junto com a banda Syren
A galera cantando junto com a banda Syren

Foram meses planejando e executando tarefas para o evento, que muitos gostaram mas também foi alvo de críticas, especialmente pelo fato de ser gratuito. Houve quem dissesse que a banda estava sendo predatória por ofertar ao público um evento grátis desse porte. Por outro lado, muitos foram os depoimentos mencionando que coisas desse tipo salvam a cena.

A banda Dark Tower apresentando seu excelente show
A banda Dark Tower apresentando seu excelente show

Dumping para uns, redenção para outros. Não importa como cada um qualificou o evento, o fato é que foi histórico. NUNCA a cena underground recebeu tamanho presente de um grupo de amigos: um show de alto nível e de graça. Quem esteve lá pra testemunhar mal podia crer em seus olhos. Apenas o calor infernal e a empolgação sem fim mostravam que aquilo tudo era real. Parabéns à banda Unmasked Brains pela iniciativa é que esse seja o primeiro de muitos Unmasked Metal Fests!

A banda Hatefulmurder mostrando a que veio: detonar tudo
A banda Hatefulmurder mostrando a que veio: detonar tudo
Unmasked Brains apresentando seu som criativo e cheio de energia para a heroica plateia que ficou até o fim
Unmasked Brains apresentando seu som criativo e cheio de energia para a heroica plateia que ficou até o fim


GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Dark Tower"Todas as matérias sobre "Forkill"Todas as matérias sobre "Hatefulmurder"Todas as matérias sobre "Killrape"Todas as matérias sobre "Melyra"Todas as matérias sobre "Syren"Todas as matérias sobre "Tamuya Thrash Tribe"Todas as matérias sobre "Unmasked Brains"


Hatefulmurder: entrevista para Jenny on the Rocks

Thrash MetalThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável


Judas PriestJudas Priest
A bizarra semelhança de Ian Hill e Stênio Garcia

Morreu DormindoMorreu Dormindo
As últimas horas de vida de Lemmy Kilmister

SaúdeSaúde
Mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Rock, Revolução e SatanismoCapas de álbuns com ilusões de óticaMastodon: Dailor sofreu após Hinds dizer que Judas Priest não é metalSlipknot: próximo disco será "violento" e "desconfortável"

Sobre Sigried Neutzling Buchweitz

Sou arquiteta e urbanista, blogueira nas horas vagas, apaixonada por novidades sonoras. Por isso edito o blog Rio de Metal, pra ajudar a divulgar eventos e bandas (autorais) independentes de rock pesado que acontecem no estado do Rio de Janeiro. De vez em quando, falo de outros assuntos ligados a esse som poderoso que é o Metal, tipo arquitetura, decoração, humor... Gosto muito quando os leitores participam com comentários!

Mais matérias de Sigried Neutzling Buchweitz no Whiplash.Net.