Apocalyptica: resenha e fotos do show de São Paulo

Resenha - Apocalyptica (Espaço Santa Clara, São Paulo, 03/06/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quando a banda APOCALYPTICA lançou em 1996 o álbum "Plays Metallica By Four Cellos" e ganhou notoriedade mundo afora, eu era apenas mais um fã do METALLICA que ficou surpreendido com a sonoridade tirada pela banda, então composta por quatro músicos de formação clássica que tocavam violoncelos.

Slash: Saul Hudson explica qual a origem de seu apelidoHelter Skelter: a música que Charles Manson "roubou" dos Beatles

Fotos por Leandro Anhelli

Afinal, como era possível manter a brutalidade e o peso de músicas de uma das maiores bandas de Thrash Metal sem guitarras, baixo e bateria? Aquilo certamente despertou interesse em muita gente e o APOCALYPTICA tornou-se famoso a partir desse álbum de versões de alguns dos maiores sucessos do METALLICA.

O grupo já tinha passado por aqui em 2005, para abrir o show do MEGADETH, mas a segunda passagem do APOCALYPTICA pelo Brasil, que estava originalmente agendada para janeiro, teve de ser cancelada, o que deixou muitos fãs decepcionados.

Com a remarcação da visita dos músicos ao Brasil, foram programadas duas apresentações e o Whiplash.net pôde conferir o segundo show da banda em São Paulo.

Em mais de 1 hora e meia de apresentação, o APOCALYPTICA fez o Espaço Santa Clara ferver e a banda mostrou, já nas primeiras canções da noite, "On the Rooftop With Quasimodo" e "2010", que é possível fazer um autêntico show de Metal com "apenas" três violoncelos e uma bateria.

Aliás, falando em "ferver", o termo é bastante apropriado. Embora a casa de shows tenha se mostrado um espaço ideal, proporcionando um clima intimista para o público presente, a verdade é que somente depois de os ventiladores serem ligados é que a sensação de calor diminuiu. Antes disso, estava abafado e bastante quente.

Do primeiro disco de sucesso da banda, vieram seis canções do METALLICA, as mais esperadas pelos fãs. Em versões matadoras, as músicas tocadas apenas com instrumental tiveram o complemento dos muitos "vocalistas" presentes, pois o público não deixou por menos e acompanhou o APOCALYPTICA ao cantar versos e refrãos de canções como "Master Of Puppets" e "Nothing Else Matters".

Promovendo ainda o último álbum de estúdio lançado, "7th Symphony" (2010), o show não teve apenas canções do METALLICA, mas também composições próprias, como "Grace" e "I'm Not Jesus", esta última com participação do vocalista de turnê, Tipe Johnson.

"Refuse/Resist", do SEPULTURA, foi a homenagem dos finlandeses ao Brasil e, ao lado de "Seek & Destroy", do METALLICA, fez o público vibrar e "bater cabeça" ao som de violoncelos: algo inimaginável para um fã de Metal, até o APOCALYPTICA aparecer para o mundo e tornar isso possível.

A primeira parte do set list se encerrou às 21hs, com uma versão insana de "Inquisition Symphony", outra da banda brasileira SEPULTURA.

Após alguns minutos, os músicos ainda voltaram para arrancar mais suspiros das inúmeras garotas presentes e aplausos dos marmanjos. Com "One", "I Don't Care", outra cantada por Tipe, "Enter Sandman" e "Hall Of The Mountain King", o APOCALYPTICA terminou o serviço. Nada mal para um domingo à noite.

Conclusão pós-show: o APOCALYPTICA é a prova de que, com muito estudo e talento, o Metal pode ser tocado por qualquer músico que seja, independentemente de formação musical.

Isso ficou evidente ao se assistir Eicca, Paavo e Perttu tocarem violoncelos de forma insana e matadora, como se estivessem com uma guitarra elétrica na mão.

A banda fecha sua turnê pela América do Sul em Manizales (Colômbia), para gravação de um DVD ao vivo.

Agradecimentos a Costábile Salzano Jr. (The Ultimate Music - Press) e Dark Dimensions pela atenção e credenciamento.

Banda:
Eicca Toppinen (violoncelo)
Paavo Lötjönen (violoncelo)
Perttu Kivilaakso (violoncelo)
Mikko Sirén (bateria)
Tipe Johnson (vocalista)

Set List:

1. On the Rooftop With Quasimodo
2. 2010
3. Grace
4. Master of Puppets (METALLICA)
5. Not Strong Enough
6. I'm Not Jesus
7. Refuse/Resist (SEPULTURA)
8. Quutamo (Perttu Solo)
9. Sacra
10. Nothing Else Matters (METALLICA)
11. Last Hope
12. From Whom The Bell Tolls (METALLICA)
13. Life Burns!
14. Seek & Destroy (METALLICA)
15. Inquisition Symphony (SEPULTURA)

Bis

16. One (METALLICA)
17. I Don't Care
18. Enter Sandman (METALLICA)
19. Hall of the Mountain King




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Apocalyptica"


Metallica: Oito grandes covers feitas por outras bandas de Rock e MetalMetallica
Oito grandes covers feitas por outras bandas de Rock e Metal

Originalidade: 10 Bandas ou Projetos InusitadosOriginalidade
10 Bandas ou Projetos Inusitados

Apocalyptica: Natal na Finlândia é um período negroApocalyptica
"Natal na Finlândia é um período negro"


Slash: Saul Hudson explica qual a origem de seu apelidoSlash
Saul Hudson explica qual a origem de seu apelido

Helter Skelter: a música que Charles Manson roubou dos BeatlesHelter Skelter
A música que Charles Manson "roubou" dos Beatles

Black Sabbath: As 10 melhores músicas da banda segundo a Ultimate Classic RockBlack Sabbath
As 10 melhores músicas da banda segundo a Ultimate Classic Rock

Blender: as letras mais repulsivas do Heavy MetalPorta dos Fundos: Andreas Kisser e a cobrança dos metaleirosLita Ford: rebatendo críticas à revelação sobre Tony IommiIron Maidens: Veja releitura de Nikki Stringfield para "Heart Shaped Box" do Nirvana

Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.