Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemMorre Andy Fletcher, tecladista e membro fundador da banda Depeche Mode

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemMorre Alan White, baterista do Yes e que gravou a clássica "Imagine", de John Lennon

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemA apaixonada opinião de Elton John sobre "Nothing Else Matters", clássico do Metallica

imagemZakk Wylde relembra ídolo: "tão relevante quanto Bach, Beethoven e Mozart"

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemMichael Anthony diz que "Van Halen III" foi "a coisa mais louca que a banda já fez"


Focus: Uma noite histórica no Bolshoi Pub de Goiânia

Resenha - Focus (Bolshoi Pub, Goiânia, 15/03/2012)

Por Nathália Plá
Em 16/03/12

Lugar mais agradável para degustar um bom show de rock na cidade é impossível de se encontrar. O ambiente intimista e aconchegante remete ao autêntico pub irlandês com um toque de um tradicional rock café. O mais incrível é o palco: tenha certeza, você jamais estará tão próximo de seu ídolo em plena ação quanto no Bolshoi. A casa já está acostumada a receber grandes nomes do rock. Portanto não poderia ser abrigo melhor para uma noite histórica.

A banda Focus celebra com uma turnê mundial os 40 anos de sua obra prima, o álbum ‘Moving Waves’, e o que se esperava dos artistas era certamente uma verdadeira viagem. Uma viagem à psicodelia dos anos 70, tão bem colorida pelas matizes do rock progressivo. Nesse afã, entre o público, devotos do singular gênero ostentavam camisas de bandas representantes da vertente, como Rush, Dream Theater e Jethro Tull. E no meio disso um casal aproveitou a ocasião para celebrar suas bodas de 60 anos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O esquenta não pode ser melhor: as várias telas espalhadas pelo local passavam vídeos de gênios do rock como Warren Haynes, Gary Moore, Jack Bruce, Robin Trower e outros. Quem se distraiu nem viu os membros da atração da noite passando pelo recinto em direção aos camarins para finalmente subir ao palco, exatamente à meia notie.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bem, os anseios foram atendidos à risca e o que a banda ofertou aos presentes foi uma mágica jornada por todas as peculiaridades do rock progressivo. A banda pode até não ter um nome com um peso tão grande como outras gigantes, mas independente disso ela merece todos os créditos porque é a que mais genuinamente destila em seu som o melhor que cada banda prog mais notória tem. Cada nota te remete a algum grupo conhecido. Em um momento se tem um amálgama perfeito entre Jethro Tull e Pink Floyd, passando desde Emerson Lake e Palmer até Mastodon. Foi nesse tom, em suma, que se deu o espetáculo, que trouxe até mesmo um gostinho do rock clássico cinquentista do precursor rei Elvis avançando para um som dançante, que lembra a ‘Owner of a lonely heart’ do Yes, animando o público. É como se estivessem no palco monstros prog como David Gilmour, Neil Peart, Geddy Lee, Rick Wakeman e Ian Anderson. É a pura mágica do rock progressivo, que sempre esteve na vanguarda, à frente de seu tempo, vislumbrando o futuro, mas sem esquecer o passado que lhe moldou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Pois bem, quem foi, testemunhou encanto, e se pode entregar-se à música, certamente sentiu tantas emoções em sua mente que elas entram até mesmo em conflito até uma explosão de êxtase. É aquele tipo de som que te deixa estático para sentir o drama da música. É de doer o coração e a alma. Guardadas as devidas proporções, as comparações tecidas são na verdade inevitáveis. Isso porque a banda é completa por demais, e tem a capacidade de absorver com maestria ímpar esse paralelo. A banda fez de tudo do melhor que cada uma das outras prog tem, mas com o brilho próprio de seus clássicos como Hocus Pocus, Harem Scarem, La Cathedrale, Sylvia e Eruption,. Foi a viagem psicodélica perfeita, como se esperava.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda: Thijs van Leer (órgão hammond, flauta, vocal), Menno Gootjes (guitarra), Bobby Jacobs (baixo) e Pierre van der Linden (bateria).

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rock Progressivo: Os 15 maiores guitarristas do gênero



Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá.