Mötley Crüe: banda arma uma verdadeira festa glam em SP

Resenha - Mötley Crüe (Credicard Hall, São Paulo, 17/05/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Adriana Farias
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Dezenas de garotos usando laquê, outros de maquiagem e calças apertadíssimas, uma menina vestida de mulher gato, outra de enfermeira (!), centenas com cabelos esvoaçantes, de salto alto e usando couro, muito couro, e, claro, bêbados por todos os cantos. Sem falar nos andróginos e nas piadinhas alheias: “Será que esse aí é homem? Mas olha a cara de mina!”, disse um. Esse foi o cenário do primeiro show do Mötley Crüe no Brasil, na última terça-feira, 17, no palco do Credicard Hall, em São Paulo.

725 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"5000 acessosDanilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro

Conterrâneos e amigos de longa data do Mötley Crüe, o Buckcherry fez as honras da abertura. Indicado a prêmios nos Estados Unidos e tocado a exaustão nos pubs ingleses, o grupo liderado pelo vocalista Josh Todd era uma completa incógnita para os brasileiros. Mesmo mostrando serviço em palco, “Slammin'” e o single, “Crazy Bitch”, foram as poucas músicas que realmente empolgaram o público. Mas quem ficou de braço arrepiado com o show da banda foi o vocalista do Kiara Rocks, Cadu Pelegrini. “Eu vim mesmo para ver o Buckcherry!”, disse o músico. “Os caras do Mötley são legais e eu os respeito, mas pra mim é muito marketing e pouca música!”, concluiu enfático.

Críticas a parte... o Mötley Crüe entrou em cena com “Wild Side” e deixou o público de boca aberta. Depois de 30 anos, presenciar Vince Neil (vocalista), Nikk Sixx (baixista), Tommy Lee (baterista) e o sexagenário Mick Mars (guitarrista) num só palco, sem discussões judiciais, sem quedas de braço e sem disputas de ego, mas unidos pela música - por um estilo que está quase desaparecendo se não fossem algumas bandas novas retomando o fôlego – foi como uma vitória para os hard rockers e uma inspiração para a nova geração de fãs.

O trio de amigos Alexis Cantaux, Pedro Crepalde e Pedro Fernandes não haviam nascido quando o Mötley Crüe estourou nos Estados Unidos e conquistou o mundo. Os três, com 12 anos de idade, não se sentem frustrados por terem perdido toda a década de ouro do hard rock. “Estamos revivendo todas essas bandas agora, indo nos shows!”, disse entusiasmado Cantaux. Toda vez é uma choradeira para convencer o adulto, às vezes o pai, às vezes um tio amigo, para acompanhar a garotada onde só imperam os marmanjos. “A gente prometeu só tirar nota alta na escola. Tudo pra não perder o show dos caras”, disse Fernandes com ar de fã número 1.

“Saints of Los Angeles” foi a única música recente dentro de um repertório só de clássicos. O disco multiplatinado “Shout At The Devil”, lançado em 1983, foi muito bem aproveitado pelo grupo. “Too Young to Fall in Love”, “Ten Seconds to Love”, “Looks That Kill”, além da faixa título, foram as escolhidas do álbum que, na época, vendeu 4 millhões de cópias e se tornou referência ao universo glam oitentista.

A calibrada “Home Sweet Home” e as enérgicas “Smokin' in the Boys' Room”, “Dr. Feelgood” e “Kickstart My Heart” vieram para comprovar que o Mötley Crüe esta dando as caras e o combustível para toda a vitalidade do grupo não poderia ser outro… Girls Girls Girls.

Confira o set list:

“Wild Side”
“Saints of Los Angeles”
“Live Wire”
“Shout At The Devil”
“Same O' Situation”
“Primal Scream”
“Home Sweet Home”
“Don't Go Away Mad (Just Go Away)”
“Dr. Feelgood”
“Too Young To Fall In Love”
“Ten Seconds To Love”
“Smokin' In The Boys Room”
“Girls, Girls, Girls”
“Kickstart My Heart”
Bis
“Looks That Kill”

* A autora cobriu o show do Mötley Crüe a convite da emissora PlayTV (www.playtv.com.br)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Mötley Crüe (Credicard Hall, São Paulo, 17/05/2011)

1941 acessosMötley Crüe: Nikki Sixx & Cia invadem o Brasil1294 acessosMötley Crüe: um show sem efeitos mas impecável em SP3781 acessosMötley Crüe: show mostra grandeza da banda no Brasil

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mötley CrüeMötley Crüe
Nikki Sixx anuncia aposentadoria

725 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"1425 acessosHair Metal: dez álbuns que valem a pena480 acessosMötley Crüe: como crianças de hoje reagem ao som da banda?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motley Crue"

Motley CrueMotley Crue
Nikki Sixx: "Com certeza, foi sorte ter sobrevivido!"

Motley CrueMotley Crue
"Buenos Aires foi o melhor show que eu já toquei!"

Motley CrueMotley Crue
Sebastian Bach chegou a ser chamado para o vocal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Motley Crue"0 acessosTodas as matérias sobre "Buckcherry"

Danilo GentiliDanilo Gentili
O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro

Power MetalPower Metal
Conheça dez álbuns essenciais do estilo segundo About.com

AC/DCAC/DC
Isso sim é uma bela estrada para o inferno

5000 acessosHall Of Shame: as melhores músicas ruins da história do Metal5000 acessosSeparados no nascimento: Phil Lynott e Tiririca5000 acessosHeavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capas5000 acessosDave Mustaine: em clima hueBR, pede ajuda para banda ter avião como o Maiden5000 acessosJapão: a última fronteira para colecionadores de discos5000 acessosJimi Hendrix: Segundo Carmine Appice, ele não gostava do Led

Sobre Adriana Farias

Nascida em São Paulo, Adriana Farias é jornalista pela PUC-SP e autora do livro-reportagem ¨London Calling - histórias de brasileiros em Londres¨. A jornalista já foi produtora na RedeTV! e repórter da emissora PlayTV na área cultural, locais em que coleciona entrevistas importantes com grandes nomes do heavy/rock nacional e internacional, como Joey DeMaio (Manowar), David Bryan (Bon Jovi), Crashdïet, Kings of Leon, The Dickies, Kid Vinil, Angra, Sepultura entre outros. Com apenas 16 anos a autora deu início a sua colaboração ao Whiplash!, entre suas reportagens mais importantes constam os textos analisando a grande imprensa no quesito heavy/rock e a cobertura de mega shows no Brasil e na Europa. Atualmente, a jornalista tem uma dupla jornada como editora de texto na TV Cultura e repórter na Folha de S.Paulo. Entre em contato com a jornalista no blog meonthestreet.

Mais matérias de Adriana Farias no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online