Katatonia: "a audiência mais barulhenta de toda a turnê!"

Resenha - Katatonia (Hangar 110, São Paulo, 27/02/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gustavo Hermann
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quem chegou ao Hangar 110 por volta das 20:30 encontrou uma fila enorme para entrar no local. A casa, cujo espaço é relativamente limitado, estava realmente cheia, sendo difícil encontrar espaço para passar pela porta de entrada após a revista na portaria.

Playback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceuNotas altas: as dez mais impressionantes do Heavy Metal

Alguns problemas técnicos atrasaram o início do show, que não começou antes das 21:20. O calor e o aperto deixava o público ainda mais impaciente. Era a primeira passagem da banda sueca pelo país, com apresentação única em São Paulo, e os fãs (alguns vindos de fora do Estado, com mochilas na costas) se mostravam realmente ansiosos.

Quando finalmente as cortinas se abriram, a banda foi recebida calorosamente pelo público. O show teve início com "Night and then Shade" e "Liberation", duas faixas do último álbum, "Night is the New Day". Os problemas técnicos continuavam e o guitarrista Anders Nyström deixou o palco algumas vezes para checar o equipamente neste início de show.

Enquanto os problemas técnicos eram resolvidos, o vocalista Jonas Renkse agradeceu o apoio dos fãs brasileiros, dizendo que a longa espera de 20 anos para tocar no Brasil finalmente chegava ao fim e que tinham grande expectativa em relação aos fãs brasileiros.

Problemas técnicos solucionados, a terceira música executada pela banda, "My Twin", do aclamado álbum "Great Cold Distance", acordou de vez o público, que cantou a música a plenos pulmões do início ao fim e que continuaria participando de forma frenética até o fim do show.

A banda executou seu repertório de maneira impecável. O baixista Niklas Sandin e o guitarrista Per Eriksson, que recentemente substituíram os irmãos Norrman como "live members", se mostraram bastante competentes em suas funções. A banda apresentou um setlist variado, tocando músicas de todos os seus álbuns a partir do lp "Discoraged Ones" de 1998, com ênfase no dois últimos álbuns, "Night is the New Day" e "Great Cold Distance". Todos esperavam alguma música favorita que não foi tocada, como era de se esperar, mas aparentemente "Tonight's Music", do álbum "Last Fair Deal Gone Down", foi a faixa cuja falta foi mais sentida pela audiência - no intervalo entre cada música alguém pedia por ela.

Mas a falta de uma ou outra música não desanimou o público, que cantou as músicas com tal ânimo que deixou a própria banda perplexa. A impressão da banda sobre o show pode ser melhor descrita nas palavras dos próprios membros, que postaram a seguinte mensagem no Facebook no dia após o show:

"WOW Brasil! Vocês provaram ser a audiência mais barulhenta de toda a turnê! Raramente vemos tamanha paixão e entusiasmo do início ao fim (do show) e é raro termos nossos monitores completamente saturados pelo coro da audiência. São Paulo, nós amamos vocês..."

Após "July", a banda deixa o palco, retornando em seguida para mais três músicas. Depois de 17 músicas o público mantinha a mesma energia do início do show, gritando pela banda, que retorna pela segunda vez, dessa vez para tocar duas músicas da era doom-death metal da banda, "Without God", que aparece pela primeira vez no álbum " Jhva Elohim Meth... the Revival" de 1992, e "Murder", do clássico "Brave Murder Day" de 1996.

Terminado o show, a audiência continuava empolgada, e não dispersou até que a banda deixasse a palco de uma vez por todas, após agradecimentos e interação com o público.

Uma noite de domingo que certamente ficará gravada na memória dos fãs que tiveram a sorte de presenciar a banda no Hangar 110.

Setlist:

1. Day and Then the Shade
2. Liberation
3. My Twin
4. Onward Into Battle
5. The Longest Year
6. Soil's Song
7. Omerta
8. Teargas
9. Saw You Drown
10. Idle Blood
11. Ghost of the Sun
12. Evidence
13. Criminals
14. July

Encore:
15. For My Demons
16. Forsaker
17. Leaders

Encore 2:
18. Without God
19. Murder


Outras resenhas de Katatonia (Hangar 110, São Paulo, 27/02/2011)

Katatonia: Grupo cheio de vigor e energia em show memorável




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Katatonia"


HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal


Playback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceuPlayback.FM
Saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceu

Notas altas: as dez mais impressionantes do Heavy MetalNotas altas
As dez mais impressionantes do Heavy Metal

Fotos de Infância: EvanescenceFotos de Infância
Evanescence

Fotos de Infância: Cliff Burton, do MetallicaMulheres e guitarras: as mais importantes segundo a GibsonNightwish: fãs criam "dueto" entre as vocalistasGeoff Tate: "Lars Ulrich era um mijão em série!"

Sobre Gustavo Hermann

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Gustavo Hermann no Whiplash.Net.