Triumph of Metal Festival 4ª edição: intenso e histórico

Resenha - Triumph of Metal Festival (Clube Fernão Dias, Pouso Alegre, 27/08/2010)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Écio Souza Diniz
Enviar Correções  










O festival Sul-mineiro Triumph of Metal chegou este ano de 2010 a sua 4ª edição com nomes de peso na cena do Metal. O cast composto pela presença do lendário vocalista PAUL DI'ANNO, CHAKAL, EVIL EYES, SCELERATA, SILENT HALL e CORPSE GRINDER, já davam a premissa de a noite de 27 de agosto, agitaria a cidade de Pouso Alegre e região calcada em som de e qualidade.

A abertura do evento ficou a cargo da banda SILENT HALL (Heavy Metal, Varginha-MG), que mostrou boa presença de palco, além da qualidade e profissionalismo dos músicos, alguns relativamente jovens. O empenho da banda pode lhe trazer bons frutos, basta que mantenham um nível contínuo de inspiração e aprendizado, associados a garra para tocar.

Em seguida, entram em cena os gaúchos da SCELERATA, que recentemente divulgam seu lançamento mais recente, o álbum "Skeletons domination" (2008) e tem acompanhado PAUL DI' ANNO, como "open act" e banda de apoio nesta sua passagem pelo Brasil. Além das músicas de "Skeletons", eles também tocaram material do primeiro álbum, o bem conceituado, "Darkness and light" (2006). Contando agora com a presença do vocalista Fábio Juan no lugar de Dan Rubin (Magician), eles levantaram o público com um show enérgico e empolgante, destacando também uma versão arrebatadora para 'Master of puppets', do Metallica. Realmente os sulistas ainda teêm muito à soar e impressionar a galera.

Após o Power metal vigoroso da SCELERATA, chegara o momento aguardado por muitos dos presentes, era hora de ninguém mais ninguém menos que PAUL DI'ANNO adentrar o palco do festival. Atualmente, realizando uma turnê em comemoração aos 30 anos do lançamento do álbum "Iron maiden", na qual toca as músicas dele na íntegra, mais algumas músicas do álbum "Killers" e o restante da carreira solo. Com uma energia incrível para o seu tempo de estrada, PAUL cantou todas as músicas com emoção e destreza, sobretudo as do IRON. Bem acompanhado pelos experientes músicos gaúchos, o set foi impecável, dando destaque merecido a 'Charlot the harlot' 'Remember tomorrow', 'Prowler', 'Iron maiden' e 'Killers'. Mas não parou por aí, ainda tivemos a oportunidade histórica de ouvir 'Muders in the rue morgue', 'Gengis Khan' e 'Transylvania', esta última muito bem executada. De sua carreira solo, foram tocados clássicos que agitaram os Headbangers, como 'Mad man in the atic' (do álbum "The living dead", originalmente lançado como "Nomad"), 'Children of the revolution' (do BATTLEZONE), entre outras. Apesar de alguns probleminhas técnicos no retorno da voz, PAUL não se deixou abater e deu um show simplesmente histórico. Longa vida a este louco Metaleiro, que influenciou e influencia muitas gerações. O que seria do Maiden sem ele para alavancar logo de cara uma legião de fãs?!?

Passada a euforia dos "Maiden maniacs", para tornar o ambiente carregado, os mineiros do CHAKAL entram em cena, despejando clássicos que fizeram parte fundamental da história do Trash/Death metal nacional. Com uma presença de palco marcante, Vladmir Korg & Cia, mandaram ver, fazendo os fãs agitarem do início ao fim do show. Destaque para a interpretação de Korg em 'Jason lives', repleta de feeling. A atuação dos demais membros também é digna de cumprimentos, sobretudo o incansável Wiz (Bateria), que esteve presente em todos os momentos durante os anos de estrada já percorrido, por esse grande nome do Metal Brasileiro.

Para dar uma pausa ao desejo de fúria e moshs, e dar segmento a uma grande nostalgia, a banda EVIL EYES, formada por músicos das bandas KING BIRD e TORTURE SQUAD, veio para matar a sede dos fiéis adeptos do Heavy Metal incomparável criado pelo grande e saudoso RONNIE JAMES DIO. Mandando clássicos da carreira deste grande compositor, que foram desde músicas do RAINBOW até a sua rica e produtiva carreira solo na banda DIO, os caras do EVIL EYES, tocaram com maestria e fidelidade. O destaque do vocalista João Luiz é merecido, apresentando além de um técnica vocal de qualidade, uma performance de palco fiel e precisa a do grande mestre DIO. Impossível, alguém não ter ficado hipnotizado e eufórico ao mesmo tempo, ouvindo eles tocarem, 'Holy diver', 'Stand up and shout', 'Rainbow in the dark', 'Long live rock and roll', 'We rock', 'Heaven and hell', entre muitas outras pérolas do Metal Dio. Parabéns ao EVIL EYES pelo show que deram, e que continuem agitando muitos fãs de Metal onde forem.

Assim, após o EVIL EYES, encerra-se esse ótimo evento, com ótimas bandas, que só teve como ponto negativo, as bandas ARS TENEBRAE e CORPSE GRINDER não terem tido como tocar, visto o horário que já se via avantajado. Uma pena os GRINDERS não tocarem, afinal são veteranos como eles que nos dão orgulho de fazer parte do Underground. Mas deixemos de lástimas meus caros leitores, pois os shows que ocorreram, falaram por si próprios. E que em breve tenhamos mais um Triumph of Metal.



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Black Sabbath: avó de Iommi era brasileira e pais eram católicosBlack Sabbath
Avó de Iommi era brasileira e pais eram católicos

Sonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejadosSonho de Consumo
Os 10 palcos de shows mais desejados


Sobre Écio Souza Diniz

Graduado em Ciências Biológicas e pesquisador na área de Ecologia e Evolução vegetal, sempre foi aficionado por leituras sobre o mundo do Rock/Metal. Além do metal, tem como paixões filmes de terror e épicos. Já participou como vocalista de várias bandas de Death/Grind, mas como nenhuma vingou se encontrou melhor em redigir matérias, fundando há alguns anos atrás o Pólvora Zine. Colabora também com vários sites especializados e com a revista Roadie Crew. Suas bandas preferidas são Iron Maiden, Black Sabbath, Dio, Dorsal Atlântica, Candlemass e Sarcófago.

Mais matérias de Écio Souza Diniz no Whiplash.Net.