Matérias Mais Lidas

Bruce Dickinson: viralizando ao cantar 4 segundos de Heaven and Hell, do SabbathBruce Dickinson
Viralizando ao cantar 4 segundos de "Heaven and Hell", do Sabbath

Sebastian Bach: Ouça o vocalista anterior cantando e enfia aquele vídeo na...Sebastian Bach
"Ouça o vocalista anterior cantando e enfia aquele vídeo na..."

Myles Kennedy: um dos guitarristas favoritos dele é brasileiroMyles Kennedy
Um dos guitarristas favoritos dele é brasileiro

Van Halen: bateria utilizada por Alex Van Halen em 1980 é comprada por fortunaVan Halen
Bateria utilizada por Alex Van Halen em 1980 é comprada por fortuna

Kiss: integrantes tiveram que entrar na malhação antes de reuniãoKiss
Integrantes tiveram que entrar na malhação antes de reunião

Cannibal Corpse: o que Corpsegrinder faz com os bichos de pelúcia que pega em máquinasCannibal Corpse
O que Corpsegrinder faz com os bichos de pelúcia que pega em máquinas

Música na Biblioteca: 10 bandas que tiveram seus nomes inspirados por livrosMúsica na Biblioteca
10 bandas que tiveram seus nomes inspirados por livros

1984: 15 grandes discos lançados em um dos anos mais impressionantes da música pesada1984
15 grandes discos lançados em um dos anos mais impressionantes da música pesada

Cannibal Corpse: filhas do vocalista George Corpsegrinder não gostam da bandaCannibal Corpse
Filhas do vocalista George Corpsegrinder não gostam da banda

Paul Gilbert: os dez discos que mudaram a vida do guitarristaPaul Gilbert
Os dez discos que mudaram a vida do guitarrista

Amazon: seleção de CDs, LPs e livros de rock e metal com até 80% de desconto hojeAmazon
Seleção de CDs, LPs e livros de rock e metal com até 80% de desconto hoje

Sepultura: das discordâncias ao enterro apressado de enteado, por que Max Cavalera saiuSepultura
Das discordâncias ao enterro apressado de enteado, por que Max Cavalera saiu

King Diamond: vocalista relembra ameaça de processo do Kiss pela sua maquiagemKing Diamond
Vocalista relembra ameaça de processo do Kiss pela sua maquiagem

Gojira: vegano, vocalista relaciona pandemia com o consumo de carne animalGojira
Vegano, vocalista relaciona pandemia com o consumo de carne animal

Skid Row: banda vai comemorar 30 anos de Slave To The Grind tocando disco na íntegraSkid Row
Banda vai comemorar 30 anos de "Slave To The Grind" tocando disco na íntegra


Arte Musical
Stamp

Living Colour: review e fotos do show em São Paulo

Resenha - Living Colour (Via Funchal, São Paulo, 15/10/2009)

Por Roger Lopes
Em 20/10/09

A quinta-feira acordou de ressaca. Despejou um pequeno dilúvio pela manhã, amarrou a cara o resto do dia e permaneceu amena à noite, trazendo consigo uma peculiar nostalgia. Clima perfeito para uma saudável viagem no tempo. Dos cabarés de jazz da década de 30, passeando pela rebeldia dos anos 50 ao psicodelismo dos 60. Da agressividade dos 70 à introspecção dos 80, culminando no prolificamente sonoro anos 90, cujo legado lançou à luz do mainstream os emblemáticos californianos do Red Hot Chilli Peppers, Faith No More, Jane’s Addiction, Infectious Groove e Primus, entre outros menos badalados. É nesse cenário que os novaiorquinos do LIVING COLOUR, aliando riffs distorcidos e muita técnica às influências de jazz, funk, soul, blues, rap, hard rock, punk e metal, se destacam como um dos precursores do chamado "funk metal" ou, para os mais nerds, equivocadamente, "fusion".

Fotos: Roberta Forster

Mais de duas décadas passadas desde seu estrondoso nascimento e diversas passagens pelo país (inclusive roubando a cena no Hollywood Rock de 92), porém, sem os holofotes de outrora, Vernon Reid, Corey Glover, Doug Wimbish e Willian Calhoun aportam novamente no Brasil para a turnê "The Chair In The Doorway". Chegam discretamente a São Paulo, depois de passar por Porto Alegre, para uma única apresentação no mesmo Via Funchal, onde há pouco mais de cinco anos ressurgiam do limbo onde inexplicavelmente se enclausuraram. Complementando o tom melancólico, um público paciente, composto, salvo alguns reminiscentes atemporais, quase exclusivamente de respeitáveis cidadãos que há muito abandonaram os largos bermudões, os tênis encardidos e os andrajos de flanela enrolados na cintura.

Após pequeno atraso, os aguardados cavalheiros sobem ao palco, ao vivo e em cores, bastando os primeiros acordes de "Middle Man" para esquentar a platéia, acompanhada de "Time´s Up", "Go Away" e uma insinuaçãozinha sutil de "Give It Away" dos Chilli Peppers. A temperatura aumenta com o petardo heavy jazzístico "Sacred Ground". Expectativas saciadas, o melhor ainda está por vir. "Burned Bridges", "The Chair", "Decadance" "Young Man" e "Method" são aperitivos do novo album. "Open Letter To A Landlord" do primeiro disco "Vivid", serve de prelúdio para o show a parte de Doug Wimbish, que desce em meio ao público para um impávido solo de baixo em "Bi", enquanto os acordes sofisticados de Vernon Reid, britanicamente imponente em seu visual texano, ficam na retaguarda.

Os presentes mal têm tempo de fechar a boca quando Willian Calhoun saca seus sabres de luz em forma de baquetas e no melhor estilo Darth Vader mostra o lado negro da força em um anestesiante solo de bateria. Pirotecnia para Jedi nenhum botar defeito. Muito groove ainda há de rolar. "Papa Was A Rolling Stone", clássica soul music da Motown, imortalizada pelos The Temptations, outro tributo prestado na noite, resgata o clima cult dos velhos seriados setentistas a lá "Starsky & Hutch - Justiça em Dobro".

O suingue dançante do hit "Glamour Boys" levanta de vez o público na pista, "Always dancing always laughing, I ain't no glamour boy, I’m fierce!". Adendo especial à incansável e magnífica voz de Corey Glover. Irrepreensível frontman. Na sequência, "Behind The Sun", "Bless Those" e a potente "Hard Times" mantém a pegada hard, enquanto a levada tecno reggae de "Out Of My Mind" permite à tripulação respirar por um breve instante. Quem sobreviveu até aqui já pode morrer sem peso na consciência.

Mas os caras definitivamente não querem deixar ninguém descansar em paz e exultam "Elvis Is Dead", já emendando "Hound Dog", do próprio, afinal o rei nunca há de estar morto, longa vida ao rei. Os clássicos "Type" e "Cult of Personality" terminam por arrancar qualquer vestígio de fôlego restante na platéia.

O tradicional bis com "Love Rears Its Ugly Head" é o golpe de misericórdia, seguido de uma versão lisérgica de "Should I Stay Or Should I Go", hino punk rock do The Clash. Wimbish, sem saber se vai ou se fica, volta aos braços da galera para um "stage dive". Ao final, Corey Glover leva a turba ao delírio ao desfilar entre ela cantando os versos de "What's Your Favorite Colour". Fecham-se as cortinas. O fim está próximo. Antes, porém, os quatro cavaleiros do psico-hard-punk-funk-rap-metal ainda encontram energia para distribuir autógrafos e confraternizar com a longa fila de fãs no hall de entrada. Se o apocalipse ocorrerá realmente em 2012, que seja sob as trombetas fulminantes do LIVING COLOUR. Porque pra quem presenciou o espetáculo, o mundo já pode acabar amanhã.

Colaboração: Roberta Forster


Outras resenhas de Living Colour (Via Funchal, São Paulo, 15/10/2009)

Living Colour: ecletismo musical reforçado por tecnologia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Pentral
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metallica: Ele está detonando, diz Santana sobre participação de Kirk em discoMetallica
"Ele está detonando", diz Santana sobre participação de Kirk em disco

Rock in Rio: festival é adiado oficialmente para 2022; confira as novas datasRock in Rio
Festival é adiado oficialmente para 2022; confira as novas datas


Lista: os 25 melhores álbuns de rock lançados em 1990Lista
Os 25 melhores álbuns de rock lançados em 1990

Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na bandaMegadeth
Pepeu Gomes comenta convite para tocar na banda

Anos 90: 10 shows pouco comentadosAnos 90
10 shows pouco comentados


Metallica, Guns, Slipknot, Kiss: tombos, erros e fatos engraçadosMetallica, Guns, Slipknot, Kiss
Tombos, erros e fatos engraçados

Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregosHeavy Metal
Os maiores álbuns da história para os gregos


Sobre Roger Lopes

O nascimento ilustrou literalmente a expressão 'foi um parto'. A pouca intimidade do menino com os padrões de beleza vigentes não apenas naquela época, mas em toda a história da humanidade, fez com que o pai, um lorde de notória reputação, segurasse o o jato rompante que forçava caminho a fim de devolver o auspicioso jantar ainda não digerido. Apesar da indescritível feiúra que acometia a criatura, esta denotava um ar aristocrático e de empáfia jamais visto no meio civilizado, insurgindo na tradicional família uma dúvida atroz: Jogamos essa coisa na privada e damos descarga ou vendemos para um circo? Nem um nem outro. Graças a um inexplicável apelo fraternal a coisa cresceu, estudou Jornalismo, formou uma banda de rock com fins lucrativos que até hoje não ganhou um único centavo e graças aos deuses não se multiplicou. Eventualmente escreve resenhas nerds relacionadas ao mundo do entretenimento e das artes.

Mais informações sobre

Mais matérias de Roger Lopes.