Resenha - Badfinger (Campinas, 22/04/2006)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Gabriel Gonçalves
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Badfinger é uma daquelas bandas que merecem muito mais reconhecimento do que realmente tem. Contratada pela Apple Corporation - empresa que os Beatles fundaram para lançar seus trabalhos e de outros artistas – em 1968 quando ainda se chamava The Iveys, a banda lançou seu primeiro single – "Maybe Tomorrow" – que não vendeu o esperado. Em 1969, ainda como The Iveys, eles estouraram com a canção "Come and get it", escrita por Paul McCartney. Em 1970, eles adotaram o nome Badfinger e estabilizaram a formação conhecida como a clássica na história da banda: Pete Ham na guitarra e voz, Mike Gibbins na bateria, Tom Evans no baixo e voz, e Joey Molland, o mais novo integrante, na guitarra e voz.

5000 acessosBlack Sabbath: About.com elege os 5 melhores álbuns da banda5000 acessosMega-hits Manjados: 10 clássicos que se tornaram clichês

Trinta e seis anos depois, o Badfinger vem ao Brasil para uma única apresentação em Campinas-SP, no evento Campinas Moto Week. Contando apenas com Joey Molland como remanescente da formação clássica, já que Pete Ham e Tom Evans se suicidaram e Mike Gibbins morreu de causas naturais, o Badfinger fez um show arrasador, mesmo com um público minúsculo.

O show começou por volta das 23h30 com a clássica Come and get it. O som estava muito bem equalizado, e a banda extremamente entrosada brindou o público com verdadeiros hinos do rock. "Day after day", "Baby blue", "Midnight caller" e, é claro, "No matter what you are", o maior hit da banda, fizeram o pequeno, porém animado público, cantar, pular, dançar, gritar, enfim, curtir um show de Rock n’ Roll do jeito que ele deve ser curtido.

Vale destacar a postura da banda que, mesmo tocando para um público diminuto, parecia se divertir o tempo todo o que, consequentemente, contagiou a audiência. Como era de se esperar, Molland foi o porta voz da banda, contando as histórias e curiosidades de cada canção que tocavam. Uma grande surpresa foi ver que todos os integrantes da banda se revezavam nos vocais, com a exceção do baterista John Richardson. Um dos pontos altos da noite – e foram vários – foi ver o baixista Mark Healey cantando "Midnight Caller". Que voz tem esse cidadão!

Após duas horas de show aproximadamente, os integrantes marcam o tempo e cantam com as vozes harmonizadas: "sonny/if you want it/here it is/come and get it"... Terminando com os versos "you’d better hurry/’cause it’s going fast". Um final emocionante para um show irretocável, que já devia ter acontecido há muito tempo. Ainda bem que a chuva, mesmo ameaçando, não apareceu para disfarçar as lágrimas nos rostos de boa parte das pessoas que lá estavam e, com certeza, Pete, Tom e Mike também apareceram por lá para abençoar seu irmão Joey Molland e seus atuais comparsas. Um show que só o Rock n’ Roll consegue proporcionar!

Badfinger:
Joey Molland – Guitarra e vocal
Billy Davis – Guitarra e vocal
Mark Healey – Baixo e vocais
Steve Wozny – Teclado e vocais
John Richardson - Bateria

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Badfinger"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Badfinger"

Black SabbathBlack Sabbath
About.com elege os cinco melhores álbuns da banda

Mega-hits ManjadosMega-hits Manjados
10 clássicos que se tornaram clichês

MardukMarduk
Guitarrista guarda pedaço do crânio de Dead Ohlin

5000 acessosNine Inch Nails: a face oculta de uma lenda5000 acessosCerveja: os efeitos sobre a performance de uma banda5000 acessosCapas de álbuns em versão... Lego? - Parte 25000 acessosMetallica e Lou Reed: assista primeira apresentação na TV5000 acessosGuns N' Roses: o melhor cover de "Sweet Child O'Mine"?5000 acessosDave Ellefson: desesperado por heroína, ele recorreu ao Guns

Sobre Gabriel Gonçalves

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online