Badfinger: Daquelas bandas que merecem mais reconhecimento

Resenha - Badfinger (Campinas, 22/04/2006)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gabriel Gonçalves
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Badfinger é uma daquelas bandas que merecem muito mais reconhecimento do que realmente tem. Contratada pela Apple Corporation - empresa que os Beatles fundaram para lançar seus trabalhos e de outros artistas - em 1968 quando ainda se chamava The Iveys, a banda lançou seu primeiro single - "Maybe Tomorrow" - que não vendeu o esperado. Em 1969, ainda como The Iveys, eles estouraram com a canção "Come and get it", escrita por Paul McCartney. Em 1970, eles adotaram o nome Badfinger e estabilizaram a formação conhecida como a clássica na história da banda: Pete Ham na guitarra e voz, Mike Gibbins na bateria, Tom Evans no baixo e voz, e Joey Molland, o mais novo integrante, na guitarra e voz.

Mas afinal... o que é rock progressivo?Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Trinta e seis anos depois, o Badfinger vem ao Brasil para uma única apresentação em Campinas-SP, no evento Campinas Moto Week. Contando apenas com Joey Molland como remanescente da formação clássica, já que Pete Ham e Tom Evans se suicidaram e Mike Gibbins morreu de causas naturais, o Badfinger fez um show arrasador, mesmo com um público minúsculo.

O show começou por volta das 23h30 com a clássica Come and get it. O som estava muito bem equalizado, e a banda extremamente entrosada brindou o público com verdadeiros hinos do rock. "Day after day", "Baby blue", "Midnight caller" e, é claro, "No matter what you are", o maior hit da banda, fizeram o pequeno, porém animado público, cantar, pular, dançar, gritar, enfim, curtir um show de Rock n' Roll do jeito que ele deve ser curtido.

Vale destacar a postura da banda que, mesmo tocando para um público diminuto, parecia se divertir o tempo todo o que, consequentemente, contagiou a audiência. Como era de se esperar, Molland foi o porta voz da banda, contando as histórias e curiosidades de cada canção que tocavam. Uma grande surpresa foi ver que todos os integrantes da banda se revezavam nos vocais, com a exceção do baterista John Richardson. Um dos pontos altos da noite - e foram vários - foi ver o baixista Mark Healey cantando "Midnight Caller". Que voz tem esse cidadão!

Após duas horas de show aproximadamente, os integrantes marcam o tempo e cantam com as vozes harmonizadas: "sonny/if you want it/here it is/come and get it"... Terminando com os versos "you'd better hurry/'cause it's going fast". Um final emocionante para um show irretocável, que já devia ter acontecido há muito tempo. Ainda bem que a chuva, mesmo ameaçando, não apareceu para disfarçar as lágrimas nos rostos de boa parte das pessoas que lá estavam e, com certeza, Pete, Tom e Mike também apareceram por lá para abençoar seu irmão Joey Molland e seus atuais comparsas. Um show que só o Rock n' Roll consegue proporcionar!

Badfinger:
Joey Molland - Guitarra e vocal
Billy Davis - Guitarra e vocal
Mark Healey - Baixo e vocais
Steve Wozny - Teclado e vocais
John Richardson - Bateria




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Badfinger"


Mas afinal... o que é rock progressivo?Mas afinal... o que é rock progressivo?
Mas afinal... o que é rock progressivo?

Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saídaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Guns N' Roses: melhores músicas segundo a Ultimate Classic RockGuns N' Roses
Melhores músicas segundo a Ultimate Classic Rock

Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendemMetallica: Perguntas, respostas e curiosidades diversasNightwish: Marido de Tarja responde a 150 perguntas dos fãsPower Metal: os melhores álbuns de 2016, segundo o SputnikMusic

Sobre Gabriel Gonçalves

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.